Notícias

Antônio Claret assume a presidência da FIEMG Jovem

Debate sobre liderança, papel da juventude e tecnologia norteou primeiro encontro da nova gestão

Antônio Claret é o novo presidente do Conselho FIEMG Jovem. Durante a primeira reunião do colegiado sob nova gestão, em 28/11, na sede da Federação, em Belo Horizonte, o novo mandatário ressaltou o papel do conselho como formador de líderes. “A FIEMG Jovem tem uma missão muito importante para o associativismo e para o setor empresarial que é a formação e renovação de lideranças. Além disso, como todo jovem, é agente fundamental no processo de mudança e desenvolvimento da entidade,” destacou.

O presidente do Sistema FIEMG, Olavo Machado Junior, explicou o intuito da reestruturação feita pela entidade nas Câmaras e Conselhos. “É nosso foco sempre buscar desenvolver nossas ações de forma coesa, na busca das melhores soluções para o setor industrial mineiro e na defesa de nossas empresas. Além disso, como já dito pelo Claret, a FIEMG Jovem tem um papel fundamental na renovação dos futuros líderes empresariais,” concluiu.

Daniel Lança, representante da SmartGov - startup que busca trazer soluções em governança para a melhorar a eficiência dos serviços públicos, analisou como os jovens podem fazer a diferença no mundo corporativo ou público.

Segundo ele, há um ímpeto, principalmente provocado pelo juventude de busca na melhora dos serviços públicos, diminuição de burocracias, aumento de transparência, redução de custos e prazos, além do esforço em utilizar a tecnologia para aproximar o cidadão das decisões governamentais.

Durante o encontro, o gestor do programa FIEMG Lab, Fábio Veras, foi um dos convidados. Ele pontuou sobre o intuito do programa para a indústria mineira. “Nosso intuito é o de criar valor em rede. O objetivo é o de incentivar projetos consistentes e compartilhar conhecimento para desenvolver não só a indústria, como o país,” disse.

Ele ainda explicou o objetivo de um programa de fomento à cultura de startups de uma federação de indústria abrigar projetos que não tenham ligação direta com o setor.

“Somos a soma de diversos tipos de empresas sejam elas vindas de empresas industriais já consolidadas, academia ou de empreendedores. Acreditamos que a diversidade pode trazer um resultado muito mais impactante do que apenas focarmos na criação de hardwares para o setor industrial ou criação de aplicativos e games. Todos saem ganhando,” concluiu.

Últimas notícias

  1. Museu de Artes e Ofícios celebra o aniversário de BH

    Leia

  2. SESI MG promoveu atrações na FNA

    Leia

  3. Cia. Caititu em “Calango deu! Os causos da Donazaninha”

    Leia

  4. Mais desenvolvimento para Cataguases

    Leia

  5. Conselho de Assuntos Metropolitanos se reúne na FIEMG

    Leia

  6. As melhores práticas de liderança

    Leia

  7. Palcos para grandes espetáculos

    Leia

  8. Alunos de processamento de carnes concluem curso

    Leia