Notícias

Reforma Trabalhista é tema de palestra na FIEMG Regional Centro-Oeste

Lei foi sancionada em 13 de julho de 2017 e passa a vigorar em novembro deste ano

Empresários de diversos setores e presidentes de sindicatos acompanharam, no dia 26/09, a palestra “Reforma Trabalhista – entenda o que muda”, ministrada pela advogada da Gerência de Relações Trabalhista do Sistema FIEMG, Luciana Charbel, na FIEMG Regional Centro-Oeste.

Em sua apresentação, a advogada esclareceu os principais pontos alterados com a Lei 13.467/2017, que passa a vigorar em novembro deste ano, entre eles, o banco de horas, jornada 12x36, horas in itinere, intervalos, férias, serviços insalubres, trabalho intermitente, verbas e equiparação salarial, prazo para pagamento de verbas rescisórias, acordo, demissão por justa causa, comissão, terceirização, entre outros.

Segundo a palestrante, a Reforma traz mais segurança jurídica ao empresário para contratar e investir no seu empreendimento, além de refletir na redução de gastos com reclamatória trabalhista e contribuir com o aumento da formalização. “A Reforma será muito positiva principalmente porque permite que se prevaleça o negociado sobre o legislado, o que sempre foi uma necessidade das empresas. Com as mudanças, os empregadores e empregados vão poder negociar com maior autonomia, sem uma interferência muito grande do estado e com isso os empresários terão maior confiança para contratar e expandir seus negócios”, defendeu.

Ao todo, foram alterados 114 artigos, sendo 106 na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e os demais nas Leis 8.036/90, que trata do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), Lei 8.212/91, que dispõe sobre a organização da Seguridade Social e Lei 6.019/74, que dispõe sobre o Trabalho Temporário e a Terceirização.

Para o presidente da FIEMG Regional Centro-Oeste, Afonso Gonzaga, a Reforma vai promover o aumento do potencial competitivo das empresas brasileiras, que terão mais segurança jurídica e maior flexibilidade nas relações de trabalho. “São mudanças necessárias. Nossa Legislação Trabalhista tem um perfil paternalista e precisava dessas alterações para promover um sistema mais negociável, que incentivará a formalização de vagas de trabalho e será um estímulo à economia”, enfatizou Gonzaga.

IMG_0317.JPG

Últimas notícias

  1. Setores da panificação e supermercadista confiantes na recuperação econômica do país

    Leia

  2. Dono da rede de escolas Chromos faz palestra em almoço da ADCE

    Leia

  3. Indústria apresenta oportunidades de negócios no Brasil a empresários dos Emirados Árabes

    Leia

  4. Fogos de artifício para Festa da Padroeira

    Leia

  5. ABIMAQ celebra oito décadas de atuação em benefício da indústria

    Leia

  6. Empresários do setor metalmecânico do Vale do Aço participam da Missão de Prospecção Comercial

    Leia

  7. FIEMG inicia terceira ação PROCOMPI do setor metalmecânico do Vale do Aço

    Leia

  8. Alunos do SENAI-MG competem na WorldSkills

    Leia