Notícias

Existe vida após a aposentadoria

SESI MG implanta programa de preparação para aposentadoria na Vale

As angústias da vida pós-trabalho podem ser superadas com programação. É o que mostrou o gerente de carreira industrial da FIEMG, Luis Cláudio Lopes, na palestra de sensibilização do Programa Futuro Planejado da Vale, na Mina da Mutuca, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). “É preciso escrever um novo capítulo da vida, criar uma nova identidade, evitar os adoecimentos físicos e mentais e se aceitar em um novo contexto”, diz.

Redução da renda, prejuízo social e problemas de autoestima podem ser evitados com o estabelecimento de um plano que permite a superação desse período de transição. Segundo o especialista, o aspecto financeiro deve receber uma atenção especial. “Há pouco tempo, a aposentadoria era um fim em si, mas a expectativa de vida era menor. Com o aumento da expectativa de vida, o valor da reserva financeira deve ser maior. É preciso poupar no mínimo 10% da renda e buscar outras fontes, como planejar uma segunda carreira”, orienta Lopes.

O programa na Vale está sendo conduzido pelo SESI MG. A primeira ação foi apresentada em Itabira-MG para 212 empregados e a turma piloto contou com 22 participantes. “São soluções integradas adequadas às necessidades específicas da empresa, divididas por módulos e ministradas em uma carga horária de 30 horas. Obtivemos resultados muito bons com a primeira turma, que foi muito engajada”, diz a gerente da unidade do SESI de João Monlevade, Jullie Fonseca.

Segundo a analista de Recursos Humanos Master da Vale Cristiane Ribeiro, o programa é oferecido para todos, de operadores a gestores. “Qualquer empregado pode participar independentemente de quantos anos faltam para a aposentadoria, porque na filosofia do programa, quanto antes começar a se preparar, melhor. Estamos oferecendo uma preparação para aqueles que estão para se aposentar e ao mesmo tempo identificando posições críticas ocupadas por empregados aposentáveis e mapeando sucessores para a organização”, diz

Atualmente, apenas na diretoria de Ferrosos Sul, 83 empregados poderão se aposentar nos próximos cinco anos. “A regra da Previdência está mudando constantemente, esse é o cenário atual, que pode se modificar. O programa não trata de desligamento de pessoal, mas de um planejamento para a vida pós-trabalho. Temos casos de pessoas a partir de 50 anos porque temos algumas aposentadorias especiais”, diz.

Os módulos do programa propõem reflexões e oferecem ferramentas aos empregados. Eles são divididos em: sensibilização, identidade, aspectos psicossociais, promoção da saúde e qualidade de vida, gestão financeira, aposentadoria, projetos de vida e planejamento do futuro. “Existem muitas opções nas consultorias, no empreendedorismo, no voluntariado e na prática de uma vida mais saudável”, alerta o pedagogo Márcio Egídio.

Galeria

Últimas notícias

  1. FIEMG lança Plano Regional de Atração de Investimentos em Divinópolis

    Leia

  2. Associativismo na mobilização social pela transparência

    Leia

  3. Fortalecendo o voluntariado empresarial

    Leia

  4. Setor Moveleiro de Ubá e região participa de ciclo de treinamentos e capacitações

    Leia

  5. Flávio Renegado e Orquestra de Câmara SESIMINAS abrem as celebrações da Semana da Consciência Negra

    Leia

  6. Afastamentos e benefícios previdenciários geram dúvidas quanto à obrigação de empresas

    Leia

  7. FIEMG apresenta caso de sucesso na busca pela eficiência

    Leia

  8. IEL e CNPq lançam programa para empresas que buscam soluções tecnológicas

    Leia