Notícias

Micro e pequenos empresários se preparam para mudanças no regime tributário

Os produtores de bebidas alcoólicas poderão finalmente optar pelo Simples Nacional

Representantes dos setores de cachaça e de cerveja participaram de um seminário, respectivamente nos dias 18 e 19/12/2017, promovido pelo Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral do Estado de Minas Gerais (SINDBEBIDAS), para debater as mudanças no Simples Nacional e na legislação trabalhista.

As alterações incluem desde o aumento de limites para inclusão de empresas até novas tabelas de enquadramento e alíquotas progressivas. O regime do Simples estabelece um tratamento diferenciado, permitindo que microempresas e empresas de pequeno porte possam recolher impostos por meio de uma única guia.

No caso dos microempreendedores individuais (MEIs), o teto de faturamento será de R$ 81 mil por ano (antes era de R$ 60 mil). O limite das micro e pequenas empresas que era de R$ 3,6 milhões passa para R$ 4,8 milhões.

Com as mudanças, os produtores de bebidas alcoólicas poderão finalmente optar pelo Simples Nacional. No encontro os empresários tiveram o auxílio de especialistas para saber se a opção pelo simples pode ser feita e se ela vale à pena. Existem casos em que aderir ao Simples pode não ser vantajoso para o negócio.

Na palestra sobre modernização da legislação tributária também foram abordados os principais aspectos da reforma trabalhista e o impacto das mudanças no dia a dia dos associados.

Últimas notícias

  1. FIEMG entende que manutenção da Selic em 6,50% a.a. é conservadora

    Leia

  2. Cooperação para competitividade da indústria

    Leia

  3. Greve dos caminhoneiros abala confiança dos empresários

    Leia

  4. Atividade da construção permanece fraca em abril

    Leia

  5. Prêmio SESI de Literatura alcança mais de mil inscrições

    Leia

  6. II Conferência de Meio Ambiente debate Políticas Ambientais em Contagem

    Leia

  7. Polo de Confecção de Espinosa/MG recebe visita técnica para mapear necessidades

    Leia

  8. Tabelamento de frete pode levar à formação de cartel, aponta Cade

    Leia