Notícias

Sustentabilidade pode não custar muito

Programa Minas Sustentável disponibiliza para as indústrias diagnóstico e soluções para impactos ambientais

Equilibrar desenvolvimento econômico, respeito ao meio ambiente e comprometimento social pode ser um ótimo negócio para as empresas. É o que mostram os resultados do programa Minas Sustentável, uma iniciativa do Sistema FIEMG, que está levando para dentro das empresas medidas eficientes que geram ganhos ambientais, diminuem custos e aumentam a competitividade.

Na Quimiplast BH - Indústria e Comércio de PVC, especializada em forros de PVC em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), o desperdício ficou no passado. As medidas foram simples, mas com impacto econômico considerável. Hoje, a água que sai dos aparelhos de ar condicionado é aproveitada para regar os jardins, com um sistema de coleta, que usa bombonas plásticas e canos de PVCs.

A empresa também trocou antigas torneiras por outras de fechamento automático, fez reparos nos reservatórios de água para conter vazamentos, trocou lâmpadas fluorescentes por led e redimensionou os capacitores de energia elétrica para evitar cobranças pelo retorno de energia para a rede.

Somando todos os investimentos, a empresa desembolsou cerca de R$ 11 mil. Em compensação, a conta de luz da empresa ficou 6% mais barata, o que equivale a cerca de R$ 2.500 por mês - R$ 30 mil no ano. “A economia permitiu com que nós não precisássemos aumentar os preços de nossos produtos e mantivéssemos melhores condições de venda”, diz o administrador da empresa, Guilherme Schierholt.

Outras 8.500 empresas em quase 400 municípios de todo o Estado foram atendidas pelo programa de forma personalizada. Criado em 2010 para ajudar a indústria mineira a adotar processos produtivos mais sustentáveis, o programa oferece amplo mapeamento de impactos ambientais e sociais, consultorias para a regularização ambiental e eco eficiência, além de capacitações e ações educativas.

A gerente de Responsabilidade Social Empresarial da FIEMG, Luciene Araújo, analisa que a equipe vem conseguindo avaliar as necessidades individuais e coletivas das empresas para regularização ambiental e eco eficiência. O objetivo, além de ampliar a base de atendimento, é aprofundar a adoção do Minas Sustentável nos processos produtivos. Incluir a sustentabilidade na gestão da empresa e fazer o programa entrar no seu DNA. “Quando o empresário avalia o risco e o impacto de, por exemplo, não ter o licenciamento ambiental, ele aceita fazer o investimento para obtê-lo. Depois, ele também nota o resultado positivo no bolso e que há retorno institucional”, diz a gerente de Responsabilidade Social Empresarial da FIEMG, Luciene Araújo.

Ao implantar as mudanças, o programa continua monitorando as empresas para que a sustentabilidade continue fazendo parte da cultura e da mentalidade de todos na empresa. “À medida que vão surgindo novas demandas vamos atualizando o plano de ação e os resultados econômicos e ambientais são visíveis”, diz a analista ambiental Isabel Rosenthal.

Na Tecnohidráulica Soluções em Manutenção, indústria metalomecânica em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), o Minas Sustentável ajudou a implantar um sistema simples para uso racional da água. Ela passou a ser armazenada e reutilizada na lavagem das peças durante o processo de cromagem. Com isso, o consumo foi reduzido em média 30%. Além disso, ao ser orientada a utilizar produtos menos poluentes, a empresa deixou de sofrer o risco de autuações e de pagar multas de R$ 600 por trimestre.

A sustentabilidade passou a fazer parte da rotina diária da empresa e dos funcionários. “São ações que se multiplicam na empresa e nossos clientes enxergam isso. Além do resultado econômico existe um ganho para as pessoas que participam dele e os próprios funcionários incorporam a mentalidade, implantando ações também em suas casas”, diz o empresário Marcelo Vilela Alves.

Últimas notícias

  1. FIEMG entende que manutenção da Selic em 6,50% a.a. é conservadora

    Leia

  2. Cooperação para competitividade da indústria

    Leia

  3. Greve dos caminhoneiros abala confiança dos empresários

    Leia

  4. Atividade da construção permanece fraca em abril

    Leia

  5. Prêmio SESI de Literatura alcança mais de mil inscrições

    Leia

  6. II Conferência de Meio Ambiente debate Políticas Ambientais em Contagem

    Leia

  7. Polo de Confecção de Espinosa/MG recebe visita técnica para mapear necessidades

    Leia

  8. Tabelamento de frete pode levar à formação de cartel, aponta Cade

    Leia