Palavra do Presidente

09/03/2017

BH, capital da inovação

por Olavo Machado Junior

Brasília é a capital política do país, São Paulo é a capital da economia brasileira e o Rio de Janeiro é a capital do turismo. Nosso objetivo é transformar Belo Horizonte e sua região metropolitana na “capital brasileira do conhecimento e da inovação”. Nessa direção, um passo importante foi dado, na última segunda-feira (6), com a seleção de cem projetos inovadores que participarão do FIEMG Lab – programa pioneiro entre as federações de indústrias de todo o país. É uma centena de boas ideias vindas de jovens e pequenas empresas (startups e spinoffs) das diversas regiões mineiras, de outros estados e até de outros países. Durante 18 meses, eles terão o apoio do Sistema FIEMG e dos parceiros do FIEMG Lab para transformar seus projetos e suas ideias em produtos de alta intensidade tecnológica e elevada capacidade de agregação de valor à indústria mineira.

Temos uma excepcional base a nos apoiar. Já dispomos de instituições do porte e da importância da UFMG e das universidades de Viçosa e de Itajubá. Também temos a Fundação Dom Cabral, a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), a unidade do Google em BH, o Centro de Engenharia e Tecnologia da Embraer (instalado no CIT SENAI FIEMG – Campus Cetec) e os polos de inovação e tecnologia em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, e aqui mesmo em BH – o São Pedro Valley. Em Varginha, está o hub de tecnologia para a saúde da Philips América Latina. Em Betim, localiza-se o centro de design da Fiat Chrysler, com mais de cem designers – o único fora dos EUA e da Itália.

Essa é a linha que queremos seguir, apoiada no binômio “Inovação e Tecnologia” e em sua capacidade de construir uma indústria moderna e competitiva globalmente. Nessa empreitada, com muita honra, contamos, no FIEMG Lab, com as seguintes parcerias: Sebrae MG, Governo de Minas Gerais, Fapemig, CNI, Grupo BMG e Atmosphera.

Em seu conjunto, a qualidade dos cem projetos selecionados pelo programa apresenta atributos fundamentais – ousadia, criatividade e potencial para se transformar em negócios de sucesso. De fato, as 73 startups e 27 spinoffs selecionadas apresentam ideias inovadoras e disruptivas em setores estratégicos para a economia mineira - nas áreas de TI, segurança e saúde do trabalho, alimentos, energia, educação, vestuário, construção civil, logística e agropecuária. O FIEMG Lab é um exemplo importante do trabalho que, em parceria com os nossos sindicatos filiados, realizamos, tendo o objetivo de inovar e investir em novas tecnologias e soluções para as empresas do nosso estado.

Há outras iniciativas igualmente relevantes. Uma delas é o P7 Criativo – projeto que estamos realizando em parceria com o Sebrae MG, a Apex Brasil e o Governo do Estado, por meio da Codemig e da Fundação João Pinheiro. O objetivo é a criação, na Praça Sete, em BH, de um espaço destinado a ampliar a densidade do ecossistema de startups em Minas Gerais. O antigo prédio do Bemge (construído em 1953, com projeto de Oscar Niemeyer) será restaurado e reestruturado para abrigar, em um ambiente de colaboração e empreendedorismo, empresas inovadoras e de alta intensidade tecnológica nos segmentos de design, moda, software, games e audiovisual. O P7 começa a operar, já neste semestre, com ações nos eixos da internacionalização e do empreendedorismo.

A proposta é transformar o hipercentro de BH no maior polo de economia criativa do Brasil, como epicentro desse movimento que vai conectar startups, grandes empresas, profissionais da economia criativa e empresas de TI. É um movimento alinhado com a tendência mundial de concentrar a economia criativa em zonas centrais, aproveitando a diversidade de talentos e setores, como ocorre em Pittsburgh, Kansas, San Francisco, Medellín, Lisboa e Barcelona.

No âmbito do Conselho de Tecnologia e Inovação da FIEMG, presidido pelo nosso vice-presidente Valentino Rizzioli, criamos o projeto Synergy. A ideia da construção de coworkings industriais, com foco no setor eletroeletrônico e na “internet das coisas”, foi idealizada dentro do nosso Conselho e implementada pela iniciativa privada. As empresas Seva e Unitec já se beneficiam, em Contagem (MG), de um espaço criado dessa maneira, onde podem ser desenvolvidos e fabricados placas e chips.

No CIT SENAI FIEMG – Campus Cetec, em Belo Horizonte, estão sendo aplicados R$ 149 milhões, em parceria com a CNI e com o BNDES. Ali, instalamos três Institutos de Inovação e cinco de Tecnologia, nos quais mais de 40 doutores e mestres atuam em conjunto com a indústria mineira, visando ao desenvolvimento de soluções para setores de grande impacto na economia de Minas.

Em essência, o FIEMG Lab, o P7 Criativo, o Projeto Sinergy e os nossos centros de inovação e tecnologia são exemplos da forma como a indústria mineira trabalha para criar, no estado, um ambiente propício ao surgimento de soluções inovadoras para nossas empresas.

 

“Nosso objetivo é transformar Belo Horizonte e sua região metropolitana na capital brasileira do conhecimento e da inovação.”

Palavra do Presidente

Olavo Machado Junior
Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais – Sistema FIEMG

Publicado no jornal Estado de Minas do dia 09/03/2017

Edições Anteriores

  1. Constituinte, já!

    Leia

  2. Direito da Cemig

    Leia

  3. Carne Forte em Minas

    Leia

  4. BH, capital da inovação

    Leia

  5. Educação campeã

    Leia

  6. Somos todos Usiminas

    Leia

  7. Educação e violência

    Leia

  8. Em 2018 tem eleição

    Leia


Confira artigos anteriores