Notícias

FIEMG e SEBRAE lançam PROCOMPI para o Polo de Pirotecnia de Santo Antonio do Monte

O programa é uma parceria entre a CNI e o SEBRAE para elevar a competitividade das empresas industriais de menor porte

Indústrias de pirotecnia de Santo Antônio do Monte poderão contar com um novo projeto de fomento ao Polo. O PROCOMPI – Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias foi apresentado aos empresários no último dia 11, em encontro realizado no auditório do LagoaCred. Estavam presentes representantes da FIEMG, SEBRAE e do SINDIEMG – Sindicato das Indústrias de Explosivos no Estado de Minas Gerais.

O programa é uma parceria entre a CNI – Confederação Nacional da Indústria  e o SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, para elevar a competitividade das empresas industriais de menor porte, por meio do estímulo à cooperação entre as empresas, à organização do setor e ao desenvolvimento empresarial e territorial. 

O Polo de Santo Antônio do Monte já vem sendo assistido pelo PCIR – Programa de Competitividade Industrial Regional, do Sistema FIEMG. De acordo com o Presidente da Regional Centro-Oeste, Afonso Gonzaga, a união de forças entre as entidades é essencial na promoção do desenvolvimento do Polo e aumento da competitividade. “Com as ações do PROCOMPI e PCIR, as indústrias pirotécnicas vão receber capacitação e consultoria para alavancar a produtividade e eficiência nos negócios, com isso conseguimos vislumbrar para o segmento a abertura de novos mercados, aumento da produtividade, do faturamento e da geração de empregos. Será uma transformação para o Polo de Santo Antônio do Monte”, enfatizou.

O PROCOMPI tem a duração de 24 meses e vai disponibilizar R$ 300 mil para a realização das ações, com 20% de contrapartida das empresas participantes. Para o Presidente do SINDIEMG, Jorge Filho Lacerda, o segmento de pirotecnia enfrenta um momento de dificuldade de mercado e a expectativa é que o programa, aliado ao PCIR consiga sanar as principais lacunas do setor e contribuir com a melhoria da gestão e do processo produtivo, promovendo o fortalecimento mercadológico e transformando positivamente a imagem da atividade industrial. “Esperamos que essa somatória de forças possa contribuir com o crescimento do Polo. O Sindicato vai fazer seu papel e mobilizar os empresários para participar ativamente; a adesão e união de todos é muito importante para vislumbrar os benefícios futuros”, afirmou o empresário.

As principais metas do programa são aumentar a produtividade das empresas participantes em 15%; que 20% dos empreendimentos tenham produtos, processos e serviços novos ou aperfeiçoados; redução de 5% no custo de produção sobre o faturamento; qualificação de 75% dos empresários em Gestão Empresarial e que 75% das empresas estejam em ações de negócios até o final do projeto. O empresário Rogério de Oliveira, proprietário da Indústria e Comércio de Fogos São João aderiu ao programa e acredita que as ações propostas vão sanar as principais dificuldades do setor. “Nosso segmento está estagnado no processo produtivo e de gestão e o projeto vai nos capacitar e trazer inovação que vão refletir no fortalecimento de todo o Polo”, afirmou.

Gracielle Castro

Analista de Comunicação

FIEMG Regional Centro-Oeste