Notícias

Presidente da Fiemg, Olavo Machado, visitou Montes Claros com o vice, Alberto Salum

Olavo reforçou a luta pelo escritório da Sudene em Montes Claros
(Olavo Machado e Alberto Salum com os presidentes de Sindicatos e Adauto Marques(ascom/fiemg)

Em visita a Montes Claros nessa quarta-feira (19/07), o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Olavo Machado Júnior, disse que está decidido a reativar o escritório da Sudene em Montes Claros e que já vem fazendo ações nesse sentido junto ao governo federal e à direção da autarquia. “Termino meu mandato na Fiemg no ano que vem e, até lá, quero deixar essa meta cumprida”, acrescentou Machado. Ele anunciou também a decisão de recriar o Conselho de Empresários da Área Mineira da Sudene (CEAMS), que tinha como foco atrair investidores para o Norte de Minas e como atrativo a isenção do imposto de renda por 10 anos. O Conselho funcionou na entidade até o final da década de 90, tendo como presidente o empresário Luiz de Paula Ferreira. Segundo ele, o Norte de Minas, por estar na chamada “área mineira da Sudene”, se tornou a região mineira de melhor opção para investimentos das empresas, por conta dos incentivos e por sua aproximação com os grandes centros consumidores do País.

Falando a jornalistas, o presidente da Fiemg destacou ainda o trabalho realizado pelo presidente da Fiemg Regional Norte, Adauto Marques Batista, também vice-prefeito de Montes Claros, que acompanhou as negociações dos investidores da Eurofarma junto ao governo de Minas que resultou na assinatura do Protocolo de Intenções, na semana passada, garantindo a instalação de uma unidade da gigante farmacêutica na cidade.

 O empresário Alberto Salum, que é vice-presidente da entidade e candidato a presidente, também destacou a importância do Norte de Minas para o fortalecimento da indústria mineira e garantiu que, se eleito, a região terá o mesmo espaço ocupado atualmente na Fiemg. Salum, que é diretor da Vilasa Construtora, empresa responsável pelas obras de reforma que estão sendo feitas na BR 251, prometeu apoio para as causas do Norte de Minas, principalmente a duplicação da 251, rodovia que registra alto índice de acidentes com mortes e precisa de melhor atenção. Ele ressaltou que as obras que estão sendo feitas atualmente, vão amenizar o problema, mas não resolver, e têm prazo de validade. “São dois anos de obras, mais três de manutenção, que garantirão maior segurança aos motoristas, porém têm data limite de validade. É preciso duplicar a rodovia e vamos lutar por isso”, pontuou Salum.  Ele ainda garantiu que sua empresa fará todo esforço para entregar as obras atuais em um prazo de um ano. 

 

Galeria