Notícias

Workshop discutiu a Indústria 4.0 em Valadares

Durante o evento, os participantes compreenderam como a 4ª revolução industrial vai impactar nos processos e empregabilidade e quais as oportunidades virão com ela

Aconteceu ontem (21), no auditório da FIEMG Regional Rio Doce, o workshop sobre a Indústria 4.0. A iniciativa é do Sistema FIEMG, que está levando às suas Regionais, discussões e abordagens sobre os impactos gerados pela quarta revolução industrial, suas novidades, oportunidades e desafios para as empresas mineiras.

O palestrante Ricardo Aloysio e Silva, especialista em engenharia de projetos industriais, produção automobilística e gerente de Educação para Indústria do SENAI, apresentou a temática com muita propriedade e didática clara, levando os participantes à compreenderem, de fato, essa revolução que já está sendo vivenciada por essa geração, que tem acompanhado todas as evoluções na tecnologia.

Para Silva, a Indústria 4.0 vem para tornar os processos de produção mais eficientes, autônomos e customizáveis. “Nosso papel essa noite é clarear e desmistificar esse conceito da Indústria 4.0, que nada mais é que usar tecnologias digitais para fazer crescer o negócio, fabricando produtos mais inteligentes, em processos mais autônomos e customizáveis”, explica.

Durante sua apresentação, o palestrante ainda abordou sobre a empregabilidade e tendências de profissões para o futuro, impactando no fornecimento de mão de obra. “Algumas profissões estão sendo extintas, mas, ao mesmo tempo, outras estão surgindo a partir dessas novas tecnologias aplicadas à indústria. Nosso papel daqui para frente, enquanto instituição de educação, será formar essa mão de obra desejada e aperfeiçoar quem está na indústria”.

A presidente da FIEMG Regional Rio Doce, Rozâni Azevedo, demonstrou otimismo com a Indústria 4.0. “Em um mercado cada vez mais exigente, muitas empresas já procuram integrar ao seu produto, necessidades e preferências específicas de cada cliente, mas somente as fábricas inteligentes serão capazes de levar essa personalização em consideração, se adaptando às preferências. Já vivemos parte disso nos dias de hoje, quando nossos clientes, principalmente do vestuário e moda, segmento que represento, já nos demandam esse serviço. Estou animada com essa nova fase e tenho certeza que industriais e empresários já veem a Indústria 4.0 como meio de gerar competitividade”, disse.

Ao final, Silva ainda abordou a importância das empresas e indústrias investirem em startups, como propostas de soluções para as necessidades dos empreendimentos.

 

Centro de Treinamento para a Indústria 4.0

Durante o evento, Ricardo Aloysio e Silva, anunciou as obras de expansão da unidade Euvaldo Lodi, em Contagem, que vai abrigar um Centro de Treinamento para a Indústria 4.0. O investimento na construção do novo prédio será de R$ 6 milhões, valor aprovado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

Segundo o gerente, o novo Centro faz parte do projeto Educação 4.0 do Sistema FIEMG. “A unidade será focada nas tecnologias habilitadoras 4.0 - como a Internet das Coisas (do inglês, Internet of Things, IoT), realidade aumentada, impressão 3D - visando a formação de mão-de-obra especializada e a criação de soluções integradoras”. 

O Centro funcionará com a parceria de empresas geradoras de tecnologias, como a PTC, a SiemensFesto e a IBM. “A parceria fará toda diferença porque vai favorecer a troca de conhecimento e tecnologias”, reforça.

 

Governo incentiva Indústria 4.0

Recentemente o Governo Federal anunciou programa de incentivo para a Indústria 4.0 de R$ 9,1 bilhões em financiamento; alíquota zero para importação de robôs industriais não produzidos no Brasil utilizados na indústria têxtil, automotiva, calçadista, alimentos, bebidas, entre outros; e redução da alíquota do Imposto de Importação para impressoras 3D e equipamentos voltados para a Manufatura Aditiva. 

Algumas linhas de financiamento já estão disponíveis, outras, serão liberadas até junho de 2018. Informações na FIEMG Regional Rio Doce com o analista de negócios, Agripino Franklin, pelo telefone 33 – 3272.4850.

Galeria