Notícias

FIEMG Regional Sul realizou workshop sobre Indústria 4.0

Foram abordados aspectos da chamada 4ª Revolução Industrial

O Sistema Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, FIEMG, por intermédio de sua Regional Sul, realizou nesta quarta-feira (08/03) o workshop ‘Indústria 4.0’, que foi ministrado por Ricardo Aloysio e Silva, Engenheiro Mecânico, especialista em produção automobilística e engenharia de projetos industriais, além de Gerente de Educação para a Indústria do Sistema FIEMG.

Antes da palestra, a Gestora do SEBRAE/MG Microrregião Pouso Alegre, Táta Beraldo, fez uma apresentação de alguns produtos e serviços que entidade oferece como agente de capacitação e de promoção de desenvolvimento, dando apoio aos pequenos negócios em todo o país, estimulando o empreendedorismo e possibilitando a competitividade e a sustentabilidade de empreendedores de micro e pequeno porte.

O Indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial é uma expressão que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados e utiliza conceitos de Sistemas ciber-físicos, Internet das Coisas e Computação em Nuvem,  facilitando a visão e execução de "Fábricas Inteligentes". O termo foi usado pela primeira vez na Hannover Messe, a principal feira do mundo para a tecnologia industrial

“Esse é um trabalho que estamos fazendo no estado inteiro. O objetivo principal é sensibilizar o empresário sobre o que é a Indústria 4.0, de uma forma bem didática, mostrando a importância desse novo movimento para a indústria desses empresários e os desafios que essa nova indústria está trazendo, principalmente as oportunidades que virão. Está sendo posto como a nova revolução industrial, basicamente é o uso intensivo da digitalização na indústria, o que já faz parte do nosso dia-a-dia, mas a indústria ainda não faz. É usar intensivamente essa digitalização no chão de fábrica com o objetivo do ganho de competitividade, é o aumento da produtividade, aumento da eficiência do chão de fábrica na produção de bens e consumo. Isso no Brasil é ainda muito novo, esse movimento começou em 2011 na Alemanha e no Brasil pouco mais de 2014, 2015 para cá é que ainda está se estudando, se analisando. O benefício é muito simples, é o uso das tecnologias habilitadas do Indústria 4.0 prevendo uma redução do custo de manutenção, uma redução do custo de produção e um aumento da produtividade do trabalhador. Esse é o ganho do Indústria 4.0.”, explicou o palestrante.

Ricardo explicou que a tendência é que o número de operários seja reduzido e que haverá alta qualificação em diversos campos. Demais setores serão criados dentro das empresas, assim como novos modelos e oportunidades de negócio. O consumidor exigirá produtos customizados e ecoamigáveis, com menor ciclo de vida. Dentro das indústrias, a conectividade fará com que todos os setores “conversem” entre si simultaneamente, trazendo autonomia e rapidez no processo produtivo. Os benefícios serão a redução dos custos de manutenção de 10% a 40%, redução do consumo de energia de 10% a 20% e também o aumento da eficiência do trabalho de 10% a 25%.

Para o participante do workshop, Alexandre Peres, Gerente Industrial da Festcolor, “a contribuição desse projeto Indústria 4.0 é algo multicultural, de transformação completa do segmento industrial brasileiro e mundial, e certamente na educação de base tendo esse tipo de influência vai contribuir muito com o crescimento profissional de cada uma das pessoas, como indivíduo, como profissional especificamente, certamente vai nortear as transformações de todos os processos, empresas, recursos, sistemas e operações ao longo do mundo. Parabéns a FIEMG Regional Sul pelo evento e pela oportunidade”.

Galeria