Notícias

Presidente da Fiemg recebe homenagem do SIMMMEI no Fórum WE INOVAi

Olavo Machado Junior falou sobre os desafios da indústria 4.0 e o papel das startups na revolução tecnológica da indústria, em Itajubá

O presidente do Sistema FIEMG, Olavo Machado Junior, participou na última quinta-feira (10/05) no Teatro Municipal Christiane Riera em Itajubá, do We INOVAi Fórum - Desenvolvendo ambientes de negócios entre indústrias e startups

Com o objetivo de gerir ações, projetos e atividades de inovação e empreendedorismo no município, como o programa de incubação de empresas de base tecnológica e o parque científico tecnológico, para consolidar o município como uma cidade com inteligência tecnológica, a Associação Itajubense de Inovação e Empreendedorismo -INOVAi, foi criada em agosto de 2017 através de um consenso entre entidades do governo federal, estadual e municipal de Itajubá, e pelas associações de classe dos setores da indústria, do comércio e instituições de ensino, por entenderem que Itajubá possui mecanismos de geração de renda e de empregos baseados na ciência, tecnologia e inovação. 

O Presidente do Sistema FIEMG foi um dos palestrantes convidados para o evento e pode falar sobre o tema ‘Indústria 4.0 – Oportunidades de Negócios entre Indústrias e Startups’. "O Fiemg lab, programa de aceleração, está aproximando as startups das indústrias. Juntas elas trocam experiências e geram soluções para a sociedade e competitividade e diversificação para a economia", disse Machado. O Presidente do Sistema FIEMG também ressaltou que o empresário mineiro precisa contabilizar o que está fazendo: "Muitas vezes uma empresa morre, não por falta de inovação, mas por falta de mercado".

Para o gerente de Educação para a Indústria da FIEMG , Ricardo Aloysio, não é possível fazer indústria 4.0 sem as startups. Aloysio falou sobre a evolução dos processos produtivos por meio da aplicação de tecnologias que permitam aumentar seu controle, qualidade, eficiência e autonomia. “Na indústria 4.0 é possível  reduzir os custos de manutenção entre 10% e 40%, o consumo de energia entre 10% e 20% e aumentar a eficiência do trabalho entre 10% e 25%”, diz.

A digitalização industrial é o primeiro passo para a indústria entrar no novo patamar da Indústria 4.0. A indústria nacional para ser competitiva terá que passar a utilizar tecnologias digitais para fazer crescer seus negócios fabricando produtos mais inteligentes e com processos mais autônomos.

Para trilhar esse caminho há nove tecnologias habilitadoras: segurança da informação, realidade aumentada, big data, robôs autônomos, simulações, manufatura aditiva, sistemas integrados, computação de nuvem, e IoT (do inglês, Internet of Things) - internet das coisas. “Precisamos identificar as necessidades das indústrias, priorizar o que será realizado, desenvolver soluções customizadas para o seu processo e se adequar na nova forma de trabalho”, 

Além do presidente da FIEMG e sua explanação sobre Indústria 4.0, o fórum contou com as presenças do Diplomata Juliano Alves Pinto, que falou sobre ‘Conexão Indústria e Startup – Visão global e singularidade de Itajubá’; de um painel sobre ‘O papel da startups na revolução tecnológica da indústria’, mediado pelo CEO da startup Safe Trace, Vasco Varanda Picchi; e temas como ‘Posicionamento de uma empresa global instalada em Itajubá – relação indústria/startup’, com Carlos Vitor Rodrigues Conti, CEO da Honeywell; ‘Desafios no engajamento entre grandes empresas e startups’, com Halley Takano, CEO da startup Comprovei’ e ‘Política de apoio da EMBRAPII para a conexão Indústria/Startup’, com Jorge Almeida Guimarães, Presidente da EMBRAPII.

Após a fala de Machado Junior, o mesmo recebeu das mãos do Presidente da FIEMG Regional Sul, André Gesualdi, e do Presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Materiais Elétricos de Itajubá – SIMMMEI, Henrique Sérgio de Paula, uma maquete de um dos helicópteros fabricados pela Helicópteros do Brasil S.A - Helibrás, em Itajubá. O modelo no caso foi um H225M, o primeiro H225M armado da Marinha do Brasil e o mais complexo helicóptero que está sendo produzido e desenvolvido pelo Centro de Engenharia da empresa dentro do programa H-XBR.

Em sua fala, o Presidente da FIEMG Regional Sul, André Gesualdi, agradeceu Machado Junior pelos seus oito anos em defesa dos interesses do setor à frende da FIEMG e de seu comprometimento e profissionalismo na geração de recursos para o desenvolvimento industrial e tecnológico de Minas Gerais. “Agradeço pelo inestimável trabalho desenvolvido em nosso estado, o qual transformou o Sistema FIEMG numa das maiores e mais qualificadas entidades de apoio à indústria em nosso país. E claro, não posso deixar de agradecer a confiança em mim depositada para presidir nossa Regional Sul, a qual se mostrou digna de ser uma das melhores e mais produtivas do nosso Sistema”, pontuou André.

Junto às apresentações, no hall de entrada do teatro, ficou exposta a maquete do  Instituto SENAI de Inovação – Centro Empresarial de Desenvolvimento de Inovação da Indústria Elétrica e Eletrônica (ISI-CEDIIEE), que será construído em Itajubá e teve o contrato da sua construção assinado no último dia 7/5, pelo SENAI e pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge).  O investimento da Codemge na ação será de até R$ 32 milhões. O total do investimento no empreendimento é de R$ 425 milhões.

Galeria