Notícias

FIEMG debate “Reforma Trabalhista e os Impactos no Departamento Pessoal”

Com a nova legislação, profissionais de RH terão papel fundamental na relação entre empregadores, colaboradores e sindicatos para que os acordos firmados sejam convenientes para ambas as partes.

A reforma trabalhista é um novo marco para a legislação trabalhista. No intuito de orientar os profissionais da área de RH quanto aos seus impactos, a FIEMG Regional Vale do Aço promoveu nessa quarta-feira, 23/05, o curso “Reforma Trabalhista e seus impactos na rotina do Departamento Pessoal”.

Com as mudanças, o profissional de RH passa a ter um papel ainda mais importante para o bom andamento da empresa. Afinal, ele será o responsável por intermediar a relação entre empregadores, colaboradores e sindicatos para que os acordos firmados sejam convenientes para ambas as partes.

Para a advogada trabalhista, Winnie Martins, o curso visa ultrapassar as informações que a mídia fornece em relação à Reforma Trabalhista, trazendo os detalhes sobre as alterações promovidas pela Lei 13.467/2017, em vigor desde novembro de 2017.

“Foram significativas e numerosas as mudanças para a rotina e a realidade da empresa, incluindo questões como jornada de trabalho, negociações coletivas, férias, terceirização, rescisão do contrato de trabalho, trabalho intermitente, dentre outras”, explica.

Winnie alerta que os gestores e profissionais de RH e Departamento Pessoal precisam estar atentos às mudanças. “As adequações são necessárias. É fundamental que o profissional de RH se mantenha informado e busque orientação na área jurídica”, completa.

De acordo com o analista de Relações Empresariais da FIEMG, Luiz Sérgio Martins Júnior, a iniciativa da Regional visa responder a uma grande demanda dos profissionais quanto as mudanças e impactos provocados pela Reforma Trabalhista.

“Embora esteja em vigor desde novembro, a nova legislação é complexa e ainda gera dúvidas. O curso proporcionou um momento de esclarecimentos, orientações e debate sobre os principais impactos”, reforça.