Notícias

Protocolo de intenções para a construção da sede da Regional é assinado Minascon

Everton Magalhães Siqueira apresentou ao presidente do Sistema FIEMG, Olavo Machado Junior, o projeto inicial para a construção da sede para a Regional, em Uberlândia.

Durante a solenidade de abertura do 14° Minascon o presidente da Regional Vale do Paranaíba, Everton Magalhães Siqueira apresentou ao presidente do Sistema FIEMG, Olavo Machado Junior, o projeto inicial para a construção da sede para a Regional, em Uberlândia. Acompanhado dos presidentes de sindicatos da regional, ele mostrou a proposta a Olavo Machado Junior e aos candidatos à presidência da Federação a partir de maio de 2018, Alberto Salum e Flávio Roscoe.

Na ocasião foi assinado um protocolo de intenções por Olavo Machado Junior presidente do Sistema FIEMG e pelos vice-presidentes do Sistema FIEMG Alberto José Salum e Flávio Roscoe Nogueira se comprometendo a realizar ações que viabilizem a construção da sede.

A FIEMG Regional Vale do Paranaíba pretende construir a sua nova sede em Uberlândia com o intuito de melhorar o atendimento as indústrias da região e abrigar os 12 Sindicatos Patronais. O projeto arquitetônico do futuro prédio da sede foi desenvolvido com o apoio do Sinduscon -Tap.

“Tenho certeza, que está nova sede, será um diferencial para a indústria regional e para as nossas entidades de classe empresariais, terão um novo ambiente de negócios contemplando um espaço para os sindicatos da indústria, salas de reuniões, auditórios, áreas de convívio e locais de atendimento das diversas consultorias que a regional oferece às indústrias”, pontuou o presidente da Regional Vale do Paranaíba, Everton Magalhães Siqueira.

Convênios e protocolo de intenções 

Durante a solenidade de abertura do 14° Minascon, o Sistema FIEMG e o Plano de Amparo Social Imediato (PASI) assinaram um acordo “guarda-chuva”, para que os sindicatos da indústria mineira possam contar com o produto da empresa – seguro personalizado para atendimento às convenções coletivas de trabalho. “Tenho certeza, será um diferencial para a indústria mineira e para as nossas entidades de classe empresariais, que oferecerão um produto importante para o empresariado”, pontuou Machado Junior. 

O Sistema FIEMG assinou ainda um Protocolo de Intenções com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e o Sinduscon-MG. O termo estabelece que os três estabelecerão cooperação institucional para o desenvolvimento de projetos como o “Álvara na Hora”, o “Banco de Terras”, o “Sistema de Gerenciamento online de licenciamento ambiental” e a construção de indicadores de desempenho institucional. Os esforços são para a melhoria do ambiente de negócios no setor da construção civil e pesada em Minas Gerais. 

O presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, destacou o trabalho parceiro como fator de sucesso para o desenvolvimento dessas ações. “É assim em diversos projetos que a Codemig tem a oportunidade de conduzir junto com o Sistema FIEMG, como a revitalização dos Distritos Industriais do estado, o P7 Criativo e o Minas Trend, onde a Companhia também é parceira”, disse. 

Cenário político-econômico 

A abertura do Minascon 2017 contou com palestra do economista Claudio Frischtak. Ele traçou um panorama para os próximos dois anos no Brasil, destacando aspectos positivos, pontos de atenção e oportunidades de desenvolvimento. “O cenário que prevemos é de crescimento para este ano e para 2018, com aposta de desinflação, aumento real de renda da população e redução sustentável dos juros”, afirmou. Em 2017, aposta em crescimento do PIB brasileiro em 1% e para os 12 meses seguintes, 3%. 

Frischtak destacou os problemas fiscais do país como uma questão-chave para que esse crescimento se transforme em algo sustentável para depois de 2018. “É preciso solucionar esse rombo, reduzindo a relação dívida bruta-PIB”, pontuou. Para o economista, a saída desse buraco só será viável com investimento privado. “Com os juros menores, isso fica, naturalmente, mais viável”, disse. 

Ele destacou os investimentos em infraestrutura como parte importante do esforço para a construção de um país em um caminho de desenvolvimento sustentável de mais longo prazo. As áreas destacadas como de maior possibilidade de entrada de capital privado, pelas oportunidades existentes, são, na visão de Frischtak, saneamento e transporte. 

Também fizeram suas leituras do cenário político-econômico do Brasil o superintendente-regional do Trabalho e Emprego em Minas Gerais, João Carlos Gontijo de Amorim, e o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, João Carlos Martins. Ambos destacaram a importância da Reforma Trabalhista para a modernização das relações entre empregados e empregadores e para a retomada do desenvolvimento no país. 

Galeria