Eventos

Festival (Em) Processo

Em sua 3° edição, festival traz um olhar sobre as coletividades e movimentos artísticos de BH

O Festival (Em) Processo, em sua terceira edição, pretende trazer um olhar sobre as coletividades e movimentos artísticos de Belo Horizonte, e sobre o artista que se reconhece como parte de um corpo coletivo que deve ter voz, na formação do real entendimento de práticas que viabilizem seus modos de criação, resistência e manutenção de atividades através de encontros de temáticas, vontades e potências.

Se nas duas primeiras edições do Festival foram dados os primeiros passos para a ocupação do espaço, a ideia agora é ampliá-la e consolidá-la como um convite e abertura a criações, intervenções e suas potencialidades. 

Integram a programação movimentos e coletivos que se interessaram em propor intervenções, apresentações em diversas linguagens, oficinas e workshops voltados ao grande público e aos próprios artistas.  

PROGRAMAÇÃO

                                                                                                                               OFICINAS  

Oficina de Graffiti com o Coletivo Minas de Minas Crew
Atividade composta por bate papo e  oficina, destinados ao público feminino, e que consiste em aprender técnicas de graffiti (letra e personagem), usando desenho, pintura, colagem, trabalho de cores, fontes, etc. O objetivo é retratar através da arte, temas do nosso cotidiano, dificuldades e histórias. Compartilhar vivências umas com as outras, como uma residência artística.

Data: 18 a 22/06
Horário:
18h30 às 21h30
Participantes:
12 participantes
Público-alvo: Mulheres de 18 a 40 anos
Oficineiro: Krol Jaued - Minas de Minas Crew
Inscrições:
gratuitas /  sesiminasdebolso@fiemg.com.br 


Oficina de Linoleogravura 
A Linoleogravura é mais uma das diversas técnicas de reprodução de imagem existente no universo da gravura. Esta técnica consiste em cavar a matriz (linóleo), criando relevos que resultarão em diferentes valores e texturas na imagem impressa. O processo gráfico da linoleogravura é semelhante ao da xilogravura, contudo, o linóleo apresenta-se como uma matriz mais maleável que a madeira, permitindo uma gravação mais suave.

Data: 23/06
Horário: 14h às 18h
Participantes: até 15 participantes
Oficineiro: Atelier Casagravada
Inscrições: gratuitas /  sesiminasdebolso@fiemg.com.br 

Oficina de Gravura - Monotipia 
A monotipia é um procedimento de impressão que se situa entre a gravura, a pintura e o desenho. Utiliza-se tinta gráfica sobre uma superfície lisa - metal, vidro, plástico - e com uma prensa ou outro processo de impressão, tem-se apenas uma prova original. A oficina desenvolve o pensamento da imagem invertida, maneira pela qual, artistas gravadores desenvolvem e pensam a imagem para a feitura de uma gravura seja ela em metal, xilogravura, litografia, linóleo.

Data: 24/06
Horário: 14h às 18h
Participantes: até 15 participantes
Oficineiro: Atelier Casagravada
Inscrições: gratuitas /  sesiminasdebolso@fiemg.com.br 

 Oficina Arte Drag 
A oficina, assim como todas as atividades desenvolvidas pelo Coletivo Montarya, busca gerar a convivência entre a cultura drag e a comunidade belorizontina, ultrapassando o caráter meramente de entretenimento, e aprofundando o aspecto de “desmarginalização” e inserção social das pessoas que atuam nesse universo. A atividade prevê noções técnicas da maquiagem Drag, introdução à perucaria e experimentações performativas. A produção da oficina fornecerá parte do material, sendo os materiais complementares de responsabilidade do aluno. Será fornecida uma lista de materiais disponíveis e os solicitados no ato da inscrição.

Data: 30/06h às 17h
Participantes: até 10 participantes

Inscrições: R$80  

                                                                                                                  APRESENTAÇÕES  

Duelo de MC's Família de Rua
Edição especial do Duelo de MCs, convidando MCs improvisadores de destaque na cena da cultura Hip Hop da Grande BH. Para a terceira edição do Festival (EM) PROCESSO, a Família de Rua propõe a realização de uma edição especial do Duelo de MCs, convidando 8 MCs improvisadores de destaque na cena da cultura Hip Hop da Grande BH. O Duelo de MCs é um batalha de versos improvisados na qual rimadores e rimadoras se enfrentam numa disputa de técnica e estilo ao som de um DJ. Em 2018 o Duelo de MCs celebra 11 anos de festa e resistência no espaço público de Belo Horizonte. 

Data: 22/06
Horário: 20h
Realização e produção: Família de Rua, DJ, Junin Bumbep
Mestre de Cerimônia: Douglas Din 
Cobertura fotográfica e audiovisual: Pablo Bernardo e Pâmela Bernardo
Entrada gratuita - retirada de ingresso 1 hora antes do evento. Sujeito a lotação
odos os dias de 13h às 19h

Debate -  
Data: 23/06
Horário: 19h
Ingressos: R$ 20  | R$ 10
odos os dias de 13h às 19h

Espetáculo teatral "Antes que esfrie"
O espetáculo, na linguagem de teatro de bonecos, apresenta Dona Glória, uma senhora simpática e solitária que passa os dias em sua casa fazendo café, relembrando momentos de sua vida.  O texto busca uma reflexão sobre a vida, o tempo, a velhice e a solidão.

Data:
24/06
Horário: 16h às 18h
Ingressos: R$ 20 | R$ 10
odos os dias de 13h às 19h

Calcinhas em Jogo + Roda de Palhaças + Banda Calcinha de Palhaça
Banda de performance musical, que se utiliza da linguagem da palhaçaria, do humor jocoso, das gags e opta por musicas interpretadas por mulheres para o jogo.  Esta banda internacionalmente desconhecida compõe o corpo da bunda que preenche a nossa calcinha. Os sucessos da nossa banda podem ser ouvidos constantemente na rádio jovem Pum. Quanta palhaçada!

Data: 28/06
Horário: 20h
Ingressos:R$ 20 | R$ 10
odos os dias de 13h às 19h

Aquilombô: Um Arquipélago

No intuito de fortalecer ainda mais esse movimento A ilha cena preta belorizontina pretende reunir artistas pretas e pretos da cidade para aprofundarem reflexões sobre performance negra. A proposta dessa ilha será dividida em dois momentos. No primeiro momento os artistas apresentarão suas performances. Já no segundo momento haverá um debate intitulado cuja mesa será composta pelos performers e a crítica/pesquisadora/investigadora Soraya Martins para uma conversa sobre performance negra em Belo Horizonte.

Performance 1: “Blues para o fim do mundo” de Rodrigo Jerônimo

A ideia é trazer ao público o debate sobre a representatividade negra nas mais variadas linguagens artísticas. Com poemas de Marcos Fábio de Faria musicados por Rodrigo Jerônimo a ideia é propor um jogo musical com o público buscando construir uma empatia real no que diz respeito às ações que tentam denunciar o apagamento do corpo negro nos palcos da cidade de Belo Horizonte. 

Performance 2: “Abusos” de Bia Nogueira

A proposta é trazer à baila a discussão sobre abuso e pedofilia. Apenas duas poltronas, pessoas e histórias compõem a imagem. O relato sobre os abusos sofridos pela artista ao longo de sua vida são contados individualmente para mulheres que se sentam na poltrona à sua frente. O que virá depois?

Performance 3: “Dentro (Movimento N°2)” de Anderson Feliciano 
Uma bacia com leite refletida no espelho. Meu corpo refletido também.
Dentro: estou interessado na região atrás do espelho.
Conosco começa uma época nova: a dos espelhos virados.

Data: 29/06
Horário: 20h
Ingressos: R$ 20 | R$ 10
odos os dias de 13h às 19h

Fechação Drag: Exposição Luiz Dias + Show: The Pulso in Chamas
A exposição acontece em estações distribuídas em forma de circuito, onde encontram-se Drags vestindo figurinos/obra-de-arte. Expositor LUIZ DIAS cenógrafo e figurinista.The Pulso in Chamas é uma banda formada por artistas que performam a arte Drag na cena LGBTQIA´s de Belo Horizonte. A banda, criada há 2 anos, surge num momento onde se faz urgente um grito de revolução da diversidade e das minorias.

Data: 30/06
Horário: 20h
Ingressos: R$20 | R$10