Produtos

Orquestra de Câmara SESIMINAS Sempre às Quartas

Orquestra interpreta obras eruditas e populares

Na quarta-feira de setembro (20/09), com regência do maestro e violinista alemão Michael Rein

No dia 20 de setembro, dando sequência à série “Sempre às Quartas”, a Orquestra de Câmara SESIMINAS contará com uma participação especial. Após o grande sucesso proporcionado pelo maestro polonês Jaroslaw Lipke no mês passado, neste concerto o convidado é o alemão Michael Rein, que terá dupla atuação, como regente e como violinista. O programa inclui Adagietto em dó menor da 5ª Sinfonia, de Mahler, Concerto para violino e cordas, de Felix Mendelssohn,e "A Morte e a Donzela", de Schubert. A apresentação será às 20h, no Teatro SESIMINAS, com ingressos a R$30 (inteira) e R$15 (meia).

A série “Sempre às Quartas” integra as comemorações dos 70 anos do SESI MG e conta com a participação de solistas e regentes de nível internacional. O próximo concerto contará com a presença do violinista Marcus Viana.

Compre Ingressos

500x500.png

Repertório

O programa será aberto com o Adagietto da 5ª sinfonia, de Gustav Mahler, em dó menor. A sinfonia está escrita para grande orquestra, mas o autor reservou um momento de reflexão em meio à obra, fazendo uso tão somente das cordas juntamente com a harpa. Há quem diga que esta tenha sido a mais bela página que este genial compositor pôde escrever.

Na sequência, o regente interpretará, desta vez como solista, o Concerto para violino e cordas, de Felix Mendelssohn. Embora não seja tão conhecido como o seu Concerto em mi menor utilizando a sinfônica completa, esta é uma obra obrigatória no repertório camerístico.

Completando o programa, a Orquestra executa uma versão orquestral do Quarteto nº 14 em Ré Menor, de Schubert, por ele mesmo batizado de “A Morte e a Donzela”. Trata-se de uma obra que, pelas suas características originais — a princípio escrita para quatro solistas — exige enorme destreza e apuramento técnico dos executantes.


Michael Rein

Michael Rein é nascido na Alemanha. Estudou em Stuttgart e Freiburg, aperfeiçoando-se mais tarde na Guildhall School, de Londres. Em Essen, realizou estudos superiores de música de Câmara na Folkwang Hochschule, sob a orientação do professor Andreas Reiner.

Na Europa, tem atuado junto a renomadas orquestras do porte da Filarmônica de Stuttgart e, no Brasil, foi professor e violinista do Festival Internacional de Música de Belém do Pará.

Como regente trabalhou em importantes montagens de óperas, tendo regido a estreia mundial de Baba Jaga, do compositor australiano radicado na Holanda, Anthony Leigh Dunstan.

Atualmente é membro da Netherlands Symphony Orchestra sediada em Enschede na Holanda.

5ª quarta do ano (16/08), com regência do maestro polonês Jaroslaw Lipke e o percussionista Rafael Alberto

O Centro Cultural SESIMINAS apresenta Sempre às Quartas, que acaba de retomar a agenda após o intervalo de julho. A temporada deste ano integra as comemorações dos 70 anos do SESI MG e contempla oito concertos, todos realizados às quartas-feiras. Sempre às Quartas e sermpre com a participação de solistas e regentes de nível internacional. 

Pressefoto.JPG

O maestro polonês Jaroslaw Lipke e o percussionista Rafael Alberto, principal percussão da Filarmônica de Minas Gerais, são os convidados da  Orquestra de Câmara SESIMINAS do dia 16 de agosto, às 20h, no Teatro SESIMINAS. Rafael Alberto interpretará Concerto para Marimba e Cordas, do compositor gaúcho Ney Rosauro. Sob a regência de Jaroslaw Lipke, a Orquestra executará, ainda, obras de Radziwill, Czyz, Koszewski e Villa-Lobos.

SERVIÇO

Orquestra de Câmara SESIMINAS recebe Jaroslaw Lipke e Rafael Alberto

Data: 16 de agosto (quarta-feira)

Horário: 20h

Teatro SESIMINAS – Rua Padre Marinho, 60 – Santa Efigênia – BH/MG

Informações: 3241-7181 / www.centroculturalsesiminasbh.com.br

Ingressos: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)

à venda na Bilheteria do Teatro e no site TUDUS:

Compre ingressos aqui



Na quarta de junho (07/06), houve homenagem ao maestro Marco Antônio Maia Drumond pelo 1000º concerto como regente titular

Há 30 anos se dedicando como regente e diretor artístico da Orquestra de Câmara SESIMINAS, o maestro Marco Antônio Maia Drumond celebra, em concerto especial no dia 7 de junho, às 20h, no Teatro SESIMINAS, sua apresentação de número 1.000 à frente da Orquestra. Em suas três décadas de atuação, o maestro conduziu emocionantes apresentações e teve a oportunidade de reger o grupo em mais de cem municípios de Minas Gerais e em outros estados brasileiros. O concerto contará com a participação dos solistas Elias Barros, no violino, e Gabriel Faustino, no contrabaixo, ambos músicos da Orquestra. No repertório, obras de Mozart, Larsson, Pizzolla, Schubert e Kilar. Ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

O concerto, da Temporada 2017 dentro da série “Sempre às Quartas”, integra as comemorações dos 70 anos do SESI MG e contempla oito apresentações, todas com a participação de solistas e regentes de nível internacional.


Orq_Sesi_29_03_17-Andre_Fossati01.jpg

Programa

O programa foi cuidadosamente escolhido pelo maestro Marco Antonio Maia Drumond e contém obras que ele considera importante no contexto e desenvolvimento da Orquestra de Câmara SESIMINAS.

Divertimento para cordas em Ré Maior (KV. 136), de Mozart, abre o programa. Esta peça faz parte do disco gravado pela Orquestra, em 1989, nos estúdios da Transamérica, na capital fluminense. E o resultado ficou tão bom que o maestro a colocou como abertura da mensagem de sua secretária eletrônica.

Na sequência, será executado o Concertino para Contrabaixo e Cordas, de autoria do compositor sueco do sec. XX Lars-Erik Larsson. O solo estará sob a responsabilidade do jovem contrabaixista da Orquestra, Gabriel Faustino. A escolha do maestro recaiu sobre ele por ser dotado de grande talento e musicalidade que, aliados à uma impecável técnica e um alto padrão de afinação, trarão ao público uma belíssima performance de uma obra muito pouco conhecida pelo público mineiro.

A primeira parte será encerrada com o tango La muerte del angel, do brilhante compositor argentino Astor Piazzolla.

A segunda parte será aberta com a execução do Rondó para Violino e Cordas, de Franz Schubert. O solista Elias Barros é o atual spalla da Orquestra de Câmara Sesiminas. Dono de grande conhecimento do repertório camerístico e com larga experiência no comando do seu naipe, Elias foi indicado para tocar uma obra de rara beleza. Schubert já está entre os preferidos do maestro e a obra entre as preferidas de Schubert. A soma do favoritismo da peça com o respeito que nutre pelo solista acabou por colocar a peça em destaque no programa.

Finalizando, o regente faz justa homenagem à Polônia, país que o acolheu tão bem em tempos de crise. Orawa, do compositor polonês morto em 2013, Wojciech Kilar, é uma das mais belas páginas da composição contemporânea daquele país.

Primeira Parte

MOZART      Divertimento em Ré Maior (KV. 136)

LARSSON    Concertino op. 45:11 para Contrabaixo e Cordas

PIAZZOLLA  La muerte del angel

Intervalo

Segunda Parte

SCHUBERT   Rondo para violino e orquestra em Lá Maior (D. 438)

KILAR          Orawa

Regente: Maestro Marco Antônio Maia Drumond

SERVIÇO

Orquestra de Câmara SESIMINAS

7 de junho (quarta-feira) – 20h

Teatro SESIMINAS - Rua Padre Marinho, 60 - Santa Efigênia – BH-MG

Ingressos: R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia)

Meia-entrada para estudantes e maiores de 60 anos, mediante comprovação.

20% de desconto sobre o valor da inteira mediante apresentação do crachá funcional, na bilheteria do teatro.

Informações: 3241-7181 / www.centroculturalsesiminasbh.com.br



3ª quarta (17/05), com regência e solo de piano de João Carlos Martins

Com um programa composto por obras eruditas e populares, a Orquestra de Câmara SESIMINAS dá sequência à série Sempre às Quartas. Inaugurada em 2016, a série recebe convidados de nível internacional, e prossegue, em sua 3ª apresentação, contemplando composições de Mozart, Bach, Villa Lobos, Tom Jobim e Vinicius de Moraes, entre outros.

Maestro João Carlos Martins 
Ocupa um lugar ímpar no cenário musical brasileiro, tendo sido considerado um dos maiores intérpretes de Bach do século XX pela crítica internacional, do qual registrou a obra completa para teclado. Nasceu em São Paulo, no dia 25 de junho de 1940, e iniciou seus estudos de piano aos oito anos com o professor José Kliass, aos treze iniciou a sua carreira no Brasil e aos dezoito no exterior.
Abandonou definitivamente os palcos como pianista no ano de 2002 por problemas físicos. Em 2004 iniciou os seus estudos de regência. Apresentou-se com sucesso em Londres, Paris e Bruxelas como regente convidado, imprimindo em suas interpretações a mesma dinâmica que o fez quando pianista. Em 2006 idealizou a Fundação Bachiana, cujo tema é a arte e sustentabilidade. Hoje, aos 76 anos, construiu uma sólida carreira com a sua Bachiana Filarmônica SESI-SP
Já lançou 25 álbuns, escreveu um livro emocionante sobre sua vida, intitulado “A Saga das Mãos”, é o único brasileiro a ter sua vida registrada por cineastas europeus por duas vezes, e conta com um registro fotobiográfico, lançado na ONU.

Teatro SESIMINAS

Rua Padre Marinho, 60 – Santa Efigênia – Belo Horizonte – MG



2ª quarta (26/04), com o consagrado pianista Maurício Veloso


Com um programa integralmente dedicado ao classicismo, a Orquestra de Câmara SESIMINAS dá sequência à série Sempre às Quartas. Inaugurada na última quarta-feira do mês de março com um repertório que homenageou Beethoven, com a execução de três de suas mais expressivas e grandiosas composições, a série prossegue desta feita contemplando dois de seus mais ilustres antecessores: Mozart e Haydn. O esplendor do rococó vivido pelos austríacos na segunda metade do sec. XVIII será aqui revisitado.

O programa é aberto com o Adágio e Fuga em Dó Menor de Mozart. A fuga teria sido escrita em sua forma original para dois pianos 1783. Cinco anos mais tarde ela ganharia, pelas mãos do próprio autor, nova instrumentação com o acréscimo do belíssimo adágio que a antecede.

Encerrando a primeira parte, teremos a Sinfonia nº 55 em Mi bemol maior de Joseph Haydn. Embora não conste nos manuscritos do autor, a obra recebeu, no início do sec. XIX o sugestivo nome de Sinfonia do Mestre-escola. Alguns musicólogos sugerem que o ritmo pontilhado predominante do segundo movimento lembra os gestos de um velho professor batendo com o indicador nas antigas lousas.

Pianista-Maur-cio-Veloso.png

Na segunda parte voltamos a Mozart com a execução do seu Concerto nº 17 para piano e orquestra em Sol Maior (Kv. 453). A peça foi escrita em 1784, mas não se sabe ao certo quem a estreou. Alguns musicólogos atribuem a sua primeira execução a Barbara Ployer, aluna do compositor, dois meses após a conclusão do seu trabalho. Aqui ela ganhará a interpretação do consagrado pianista Maurício Veloso. Graduado pela UFMG, o solista realizou seus estudos de aperfeiçoamento na renomada Escola de Música da Universidade de Indiana nos Estados Unidos. De volta a Minas, já com o seu doutorado concluído, integra o corpo docente na mesma instituição em que se formou.
O concerto terá lugar na Sala Minas Gerais, na quarta-feira, dia 26 de abril, às 20 horas com ingressos a preços populares. A regência ficará sob a responsabilidade do Titular da Orquestra, maestro Marco Antônio Maia Drumond.

Classificação: Recomendado para maiores de 8 anos.


Meia Entrada: Estudantes, idosos acima de 60 anos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes, com documentação comprobatória no acesso ao evento.

Ponto de Venda Presencial: Bilheteria Sala Minas Gerais e online no Ingresso Rápido

Sala Minas Gerais

Rua Tenente Brito Melo, 1090 – Barro Preto - Belo Horizonte - MG



1ª quarta (29/03), com o premiado Kim Trio, formado por três irmãs coreanas

A temporada deste ano integra as comemorações dos 70 anos do SESI MG e contempla oito concertos, todos realizados sempre às quartas-feiras com a participação de solistas e regentes de nível internacional, como o pianista Mauricio Veloso, o percussionista Rafael Alberto, o duo de piano Celina Szrvinsk e Miguel Rosselini, e os maestros João Carlos Martins, Jaroslaw Lipke e Michael Rein.

Com um programa inteiramente dedicado a Beethoven, a Orquestra de Câmara SESIMINAS dá início à sua Temporada 2017, dentro da série Sempre às Quartas. O primeiro concerto será realizado no dia 29 de março, às 20h, no Teatro SESIMINAS e contará com a participação do reconhecido e premiado Kim Trio, formado pelas irmãs coreanas Nayoung Kim (piano), Taehyun Kim (violino) e Jiyeon Kim (violoncelo). Sob a regência do maestro Marco Antonio Maia Drumond, a Orquestra interpretará três obras de Beethoven: Egmont op. 84; a Quinta Sinfonia em dó menor op. 67 e o Concerto Tríplice em Dó Maior op. 56.


Repertório

O programa deste primeiro concerto inicia-se com a execução de Egmont op. 84. A obra é inspirada pela dramática peça de Goethe e deixa às claras o espírito libertário e progressista do compositor. Sóbria e elegante, ela mostra com clareza os ilimitáveis recursos técnicos do autor. Em seguida, a Orquestra interpreta a Quinta Sinfonia em dó menor op.67. Concluída em 1808 quando a surdez de Beethoven já era notada por todos, ela foi dedicada ao conde Razumovsky e ao Príncipe Lobkowitz. Forte e brilhante, a obra encerra a primeira parte do programa.

Completando o programa, a Orquestra executa o Concerto Tríplice em Dó Maior op. 56. Estreada em 1808 por ocasião do Festival de Verão “Augarten”, de Viena, a obra é exuberante em todos os aspectos, requerendo dos intérpretes refinada técnica e delicada sensibilidade. Por esta razão, o premiadíssimo Trio Kim, formado por três irmãs coreanas, foi escolhido.


Kim Trio
 

O Kim Trio foi formado em 2000 pelas irmãs Nayoung Kim (piano), Taehyun Kim (violino) e Jiyeon Kim (violoncelo). Nascidas na Coréia do Sul, completaram seus estudos em Viena, Hanover, Berlim, Oslo e Hamburgo. Venceram vários concursos internacionais importantes como Concurso Internacional de Música de Câmera na Noruega em 2003, Concurso Internacional de Música de Câmera em Tapani (Itália) em 2004, Concurso Internacional de Música de Câmera Gaetano Zinetti (Itália) em 2005, Concurso Europeu de Música Câmera Karlsruhe (Alemanha) em 2005. Receberam, ainda, o Prêmio Felix Mendelssohn da Fundação "Preußischer Kulturbesitz" de Berlim, o Prêmio de Música de Câmera do "Freunde Junger Musiker" na Alemanha, o Prêmio Hermann Rauhe em Hamburgo. O Kim Trio realizou turnês pela Austrália, Áustria, Alemanha, Itália, Brasil, Noruega e Coréia e gravações para as rádios NDR, NRK, RBB e ABC.

kim-Trio-verde-3.png



INGRESSOS

R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia)

Meia-entrada para estudantes e maiores de 60 anos, mediante comprovação.

Maestro Marco Antonio Maia Drumond     

Nascido em Belo Horizonte, Marco Antonio começou a estudar música, aos cinco anos de idade, com a educadora Célia Flores Nava. Em 1960, ingressou no curso fundamental de violino da Universidade Mineira de Arte – hoje, Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) –, onde frequentou a classe do professor Gabor Buza. Em 1974, foi admitido no curso de graduação em Regência da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), estudando sob a orientação do maestro Arthur Bosmans. Paralelamente, continuou o curso de violino com seu antigo professor.            Em 1981, obteve bolsa do governo polonês e seguiu para Varsóvia, onde realizou curso de pós-graduação em regência sinfônica e operística na Academia de Música Frederyk Chopin, estudando sob a orientação do maestro Henryk Czyz. Em 1983, em Weimar, frequentou curso de regência sinfônica com o maestro Kurt Mazur. De volta ao Brasil, assumiu, em 1986, a direção artística do Madrigal Renascentista e organizou a Orquestra de Câmara Sesiminas, da qual é regente até os dias hoje. Retornou à Polônia em duas oportunidades para dirigir orquestras como as Filarmônicas de Walbrzych (1986) e de Szczeczyn (1992).           


Orquestra de Câmara SESIMINAS

Com 30 anos de existência, a Orquestra de Câmara SESIMINAS foi fundada pelo Dr. Nansen Araújo, que foi presidente da FIEMG.

Com o objetivo maior de garantir o acesso ao repertório camerístico de qualidade ao trabalhador da indústria mineira e seus dependentes, a Orquestra já conta com mais de 1100 concertos realizados em locais que vão de pátios de fábricas, passando por hospitais e escolas, chegando às melhores salas de concertos não só da capital, mas também do interior de Minas.

Em sua trajetória, a Orquestra de Câmara Sesiminas pôde atuar junto a solistas renomados como Nelson Freire, Antônio Menezes, Arthur Moreira Lima e Duo Assad. No campo da música popular, artistas como Milton Nascimento, Vander Lee, Maria Gadu, Diogo Nogueira, e grupos como Skank e Jota Quest também puderam integrar sua rica programação.

SERVIÇO

Orquestra de Câmara SESIMINAS recebe Kim Trio

29 de março (quarta-feira) - 20h

Teatro SESIMINAS – Rua Padre Marinho, 60 – Santa Efigênia – BH/MG


Programa


Primeira Parte

BEETHOVEN     Abertura Egmont op. 84

BEETHOVEN     Sinfonia nº 5 em dó menor op. 67

■ Allegro con brio

■ Andante con moto

■ Allegro

■ Allegro

Intervalo

Segunda Parte

BEETHOVEN

Concerto Tríplice em Dó Maior op. 56

 Allegro

 Largo

 Rondo alla Polaca

Kim Trio

 Nayoung Kim, piano

 Taehyum Kim, violino

 Jiyeon Kim, violoncelo

Maestro Marco Antônio Maia Drumond

 

 

Galeria


INGRESSOS

R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia)

COMPRE AQUI:

Teatro SESIMINAS | TUDUS



Meia-entrada para estudantes e maiores de 60 anos, mediante comprovação.

20% de desconto sobre o valor da inteira mediante apresentação do crachá funcional, na bilheteria do teatro.

 

Informações: 3241-7181

www.centroculturalsesiminasbh.com.br