Notícias

CNI e FIEMG orientam coordenadores sindicais sobre alterações do Simples Nacional

Palestra tirou dúvidas sobre novo limite de teto, níveis de tabela, faixas de tributação e metodologia de cálculos

As novas regras do Simples Nacional pautaram a reunião dos coordenadores de sindicatos da Região Metropolitana de Belo Horizonte, no dia 19/04, na sede da FIEMG. A Assessoria de Relações Sindicais (ARS) promoveu uma palestra na qual o contador Niveson da Costa Garcia explicou as principais mudanças no regime tributário. A iniciativa resultou de uma parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA). 

Para a assessora de Relações Sindicais da FIEMG, Maria Rita Santana, a palestra é uma oportunidade de atualizar o tema para os interessados. “Como entidade de classe, é importante orientarmos os empresários sobre as novas mudanças e sabermos como lidar com elas. A maioria dos filiados aos sindicatos são micro e pequena empresas que fazem parte do Simples”, pontuou. 

Entre as mudanças apresentadas durante a palestra estão o papel do “investidor-anjo” (pessoa física que faz investimentos com capital próprio), a metodologia de cálculo do Simples Nacional e as tabelas com alíquotas e anexos I (atividades comerciais), II (atividades industriais), III (atividades de serviços), IV (atividades específicas de construção de imóveis e obras de engenharia em geral, serviços de vigilância, limpeza, conservação e serviços de advocacia) e V (atividades específicas de áreas como medicina, odontologia, agenciamento e jornalismo e publicidade). 

Entretanto, segundo Garcia, a alteração mais relevante é o limite de teto, que em 2018 subirá de 3,6 milhões para 4,8 milhões de reais. Para o especialista, a mudança permitirá que mais empresas optem pelo sistema tributário. “Essa regra afetará positivamente, pois ela trará incentivos para as empresas desenvolverem as suas atividades. Além disso, o número de cadastrados no Simples Nacional aumentará”, avaliou. 

Capacitação 

Ainda no âmbito do PDA, a FIEMG, junto a CNI, está capacitando empresários, gestores de recursos humanos e outros profissionais para lidar com as normas regulamentadoras de Segurança e Saúde no Trabalho que mais impactam as indústrias. No dia 12/04, a Regional Rio Doce recebeu o curso, ministrado pelo consultor da Confederação, Adelson Damasceno Costa.

3.jpg

Últimas notícias

  1. Greve dos caminhoneiros e crise comprometem o ano dos avicultores

    Leia

  2. SINDUSCARNE e SENAI promovem visitas técnicas em indústrias do setor

    Leia

  3. Cooperação para competitividade da indústria

    Leia

  4. Tabelamento de frete pode levar à formação de cartel, aponta Cade

    Leia

  5. Polo de Confecção de Espinosa/MG recebe visita técnica para mapear necessidades

    Leia

  6. Atividade da construção permanece fraca em abril

    Leia

  7. Produção de rejeitos é um dos desafios da indústria extrativa

    Leia

  8. SINDBEBIDAS vence etapa estadual no 1º Prêmio Nacional de Boas Práticas Sindicais

    Leia