Notícia

FIEMG Regional Vale do Paranaíba realiza ‘Seminário sobre Linhas de Crédito para Inovação’

BDMG, FINEP, KPMG e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações participaram do evento

A fim de fomentar o ecossistema de inovação de Uberlândia e região, a FIEMG Regional Vale do Paranaíba realizou no último dia 14/02, o seminário “Linhas de Crédito para Inovação”.

Com objetivo de facilitar o acesso ao crédito para empresas que queiram desenvolver projetos e ações voltadas para a inovação, o seminário que acontece pelasegunda vez na Regional é desenvolvido pela Gerência de Capitalização e Financiamento do Sistema FIEMG.

 Para isso, estiveram presentes no seminário, o BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais), a FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), a KPMG e o MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações).

 Rafaela Palis, Analista de Negócios da FIEMG Regional, disse que o evento foi de larga importância para o ecossistema de inovação da região: “Nossa intenção era conectar empresas e startups que buscam meios de financiar seus projetos de inovação com instituições de fomento e bancos com linhas de financiamento para esta finalidade. Além disso, o evento contou com um painel muito interessante da Empresa de Consultoria KPMG para tratar do atual cenário de P&D no Brasil.” disse Palis.

O representante do MCTIC, Jorge Mário Campagnolo, explanou para os 50 ouvintes que ocuparam o auditório da FIEMG, a respeito da chamada “Lei do Bem”, que trata de benefícios fiscais para as empresas que investem em Pesquisa e Desenvolvimento. “A lei do bem é um incentivo fiscal; um benefício que o governo oferece para que as empresas desenvolvam P&D para inovar. O poder público abre mão de uma parcela de impostos para projetos gastos em  benefícios de determinada empresa e em consequentes benefícios da sociedade.”

A lei do bem começou no ano de 2006 e vigora até hoje. Em relação aos cases de sucesso que foram realizados por meio da iniciativa, Campagnolo destaca exemplos que estão em nosso cotidiano, como os aplicativos desenvolvidos pelos bancos. A grande maioria, segundo ele, foi desenvolvida com o apoio da lei.

 Daniel Morita, gerente adjunto da FINEP Regional Sudeste foi um dos palestrantes e frisou qual objetivo da Financiadora no evento:  “Hoje a gente falou um pouco dos instrumentos de apoios disponíveis, das estratégias da FINEP e da ampliação do acesso das políticas de fomento para essa quantidade enorme de empresas que ainda não utilizam os mesmos. A gente vai até as cidades e locais interessados, sempre em articulação com o um parceiro Regional, no caso de hoje foi a FIEMG, que é uma espécie de ponte para as empresas.”

 Segundo Morita, as empresas estão investindo, contudo, o desafio é acessar o recurso público, e esta foi exatamente a missão trazida pela FINEP durante o seminário.

 

Participantes foram atendidos individualmente pelo BDMG no segundo turno do seminário

            A fim de orientar os participantes de forma mais personalizada, o BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais) realizou atendimentos individuais das 14h às 18h, e desta forma, esclareceu as dúvidas e apresentou as propostas viáveis diante de cada caso.

            Gláucia da Silva, gerente de negócios do BDMG realizou alguns dos atendimentos individuais e reforçou a importância do Triângulo Mineiro enquanto uma região com muitos projetos no Banco. “Participar de eventos como este, juntamente com outros agentes do ecossistema de inovação é uma oportunidade muito importante para o BDMG, principalmente para divulgar os produtos disponíveis para financiamento, assim como as demais atividades em curso para o fomento à inovação no Estado de Minas Gerais. E o Triângulo Mineiro especificamente tem um número amplo de projetos conosco.”

            Já Patrícia Andrade, participante do evento e gerente da empresa ‘Projetas Soluções Integradas’, ficou muito satisfeita com o atendimento personalizado do BDMG. “A Gláucia foi super atenciosa comigo, eu tive uma hora para falar das minhas dúvidas e das minhas demandas. Inclusive ela me auxiliou a retomar um projeto que estava parado e agora voltou a caminhar por meio das orientações dela. Além dos grandes nomes trazidos para as palestras do turno da manhã, o conteúdo foi muito rico.” afirmou a gerente.

            No encerramento do seminário, os palestrantes já sinalizam interesse de retornar para Uberlândia e continuar a rodada de ideias e informações em uma das unidades SESI/SENAI do município.

           

            Uberlândia desponta no cenário de inovação em Minas Gerais

Uberlândia possui diversos mecanismos que desenvolvem a inovação, não somente na cidade bem como no Triângulo Mineiro. Segundo o Uber Hub, Instituição que fomenta a inovação na cidade, o valor de investimentos em inovação no município em 2018 foi de aproximadamente R$ 3,7 bi, e as previsões para 2019 são ainda melhores.

Saiba mais em www.uberhub.com.br

 

 

 

 

 

 

Últimas notícias

  1. 8 razões para fazer um curso técnico

    Leia

  2. Cadeia produtiva do plástico é a primeira a ser trabalhada pelo FIEMG Social

    Leia

  3. Alterações na Legislação Trabalhista serão esclarecidas em Ipatinga

    Leia

  4. Interlocução pelo desenvolvimento de Minas Gerais

    Leia

  5. Entenda sobre o curso técnico EAD que prepara o profissional para garantir a qualidade dos processos industriais

    Leia

  6. Confiança do empresário é instável em 2019

    Leia

  7. Entenda sobre o curso EAD Técnico em Vestuário

    Leia

  8. Por que você deve fazer um curso EAD?

    Leia