Notícia

FIEMG é parceira em acordo que avalia impacto de esgoto não doméstico em sistema da Copasa

Pesquisa coordenada pelas universidades federais de Minas Gerais e de Ouro Preto inclui estações de tratamento instaladas em Sabará, BH, Betim, Paracatu e Montes Claros

Imagens Copasa/Divulgação

Mais de R$ 1,1 milhão, incluindo recursos financeiros da Copasa MG e da FIEMG, serão investidos na concretização do Acordo de Parceria para Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), assinado no último 30 de junho, após três anos de trabalho rumo a garantir melhorias no Programa de Recebimento e Controle de Efluentes Não Domésticos (Precend), criado pela Copasa, para controlar e regulamentar o lançamento de efluentes não domésticos na rede coletora. Toda a coordenação da pesquisa está sob atribuição da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), para assegurar que os trabalhos sejam desenvolvidos de forma transparente e isenta.

O objetivo do acordo de parceria é a avaliação do impacto do recebimento de efluentes não domésticos nos sistemas de esgotamento sanitário da Copasa MG. Participam também o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) – Núcleo Regional Minas Gerais, o Centro de Inovações Tecnológicas (CIT SENAI), com interveniência da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), a Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG) e o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais.

 

Abrangência

A pesquisa abrange cinco bacias de contribuição das Estações de Tratamento de Esgotos - ETE Arrudas, ETE Onça, ETE Betim Central, ETE Vieira e a ETE Paracatu -, localizadas nos municípios de Sabará, Belo Horizonte, Betim, Montes Claros e Paracatu, respectivamente. O acordo, assim como outros que integram o plano de trabalho elaborado conjuntamente, pretende avaliar e identificar a qualidade dos esgotos recebidos nessas ETEs e revisitar a Norma Técnica T.187/6 – que trata do lançamento de efluentes não domésticos no sistema de esgotamento sanitário da Copasa. Serão pesquisados também os impactos das substâncias constantes dos efluentes no sistema de coleta, transporte (redes e elevatórias) e nas estações de tratamento.

A perspectiva é de que, ao final dos trabalhos, previstos para execução em 18 meses, os pesquisadores entregarão um produto que permitirá avançar na melhoria do Precend, com regras mais modernas, próximas da tecnologia adotada pela indústria em sua cadeia de produção e contribuindo para a redução do custo operacional das empresas e para o atendimento das normas ambientais de disposição final do efluente.

Serviço:

Acordo de Parceria para Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I)

Objetivo: Avaliação do impacto do recebimento de efluentes não domésticos nos sistemas de esgotamento sanitário da Copasa MG

Duração: 18 meses

Luisana Gontijo

Imprensa FIEMG

Últimas notícias

  1. Alunos do SENAI são capacitados para conversão de antenas parabólicas

    Leia

  2. Flávio Roscoe disputa partidas de xadrez com alunos SESI

    Leia

  3. Empossada nova diretoria da FIEMG Vale do Rio Grande

    Leia

  4. Troca de experiências entre Espírito Santo e Minas Gerais

    Leia

  5. O futuro da indústria está nas salas de aulas

    Leia

  6. Conselho de Tecnologia apresenta e debate diretrizes de trabalho

    Leia

  7. Minas tem inventário positivo de remissões de gases de efeito estufa

    Leia

  8. Espaço CEMIG SESI de Eficiência Energética oferece atividades gratuitas

    Leia