Notícia

Indústrias mineiras iniciam o ano com os estoques ajustados

FIEMG divulga Sondagem Industrial de Minas Gerais de janeiro

Os dados da Sondagem Industrial de Minas Gerias divulgados nesta segunda-feira, dia 25/02, mostram queda da atividade em janeiro.

A produção e o número de empregados caíram na comparação com dezembro, o que é normal para o mês, em razão do fim das encomendas para as vendas de fim de ano. Vale destacar que ambos os recuos foram mais tênues em relação aos anos anteriores. A utilização da capacidade instalada em relação à usual continuou baixa, mas superior à registrada em janeiro nos últimos oito anos.

As indústrias encerraram o mês com os níveis de estoques de acordo com o planejado, após dois anos de acúmulo indesejado.

As expectativas dos empresários para os próximos seis meses referentes à demanda, à compra de matérias-primas e ao número de empregados melhoraram pelo quarto mês consecutivo, reflexo da dissipação das incertezas políticas, passadas as eleições, e da perspectiva de aprovação de reformas estruturais. Nesse contexto de otimismo, as intenções de investimento dos empresários industriais seguiram em crescimento.

O índice de evolução da produção de janeiro marcou 49,2 pontos, valor abaixo da linha de 50 pontos. Mesmo exibindo retração da atividade industrial, o indicador foi 10,2 pontos maior que o verificado em dezembro (39,0 pontos) e 1,2 ponto acima do apurado em janeiro de 2018 (48,0 pontos). O indicador de evolução do número de empregados mostrou recuo no emprego industrial, registrando 48,7 pontos em janeiro.

O índice de utilização da capacidade instalada efetiva em relação à usual registrou 43,1 pontos em janeiro. Embora permaneça abaixo da linha de 50 pontos, a ociosidade das indústrias já foi maior: o índice cresceu 1,8 ponto em relação a dezembro (41,3 pontos) e foi o mais elevado para janeiro em oito anos.

Os estoques de produtos finais das empresas ficaram relativamente estáveis em janeiro, com índice de 49,7 pontos. O valor foi verificado após quatro meses de indicadores apontando queda dos estoques. As empresas encerraram janeiro com o nível de estoques ajustado – o índice de estoque efetivo em relação ao planejado registrou 50,2 pontos.

Os empresários esperam crescimento da demanda por seus produtos nos próximos seis meses, conforme índice de 61,3 pontos em fevereiro. O indicador, que avançou pelo quarto mês seguido, foi 2,2 pontos superior ao de janeiro (59,1 pontos) e o maior para fevereiro desde 2010 (65,2 pontos).

O índice que avalia as expectativas dos empresários com relação à evolução do número de empregados marcou 53,9 pontos em fevereiro, crescimento de 0,7 ponto frente a janeiro (53,2 pontos). Já o índice de intenção de investimento cresceu 2,6 pontos entre janeiro (55,1 pontos) e fevereiro (57,7 pontos).

Clique aqui e confira a pesquisa na íntegra.

Últimas notícias

  1. 8 razões para fazer um curso técnico

    Leia

  2. Cadeia produtiva do plástico é a primeira a ser trabalhada pelo FIEMG Social

    Leia

  3. Alterações na Legislação Trabalhista serão esclarecidas em Ipatinga

    Leia

  4. Interlocução pelo desenvolvimento de Minas Gerais

    Leia

  5. Entenda sobre o curso técnico EAD que prepara o profissional para garantir a qualidade dos processos industriais

    Leia

  6. Confiança do empresário é instável em 2019

    Leia

  7. Entenda sobre o curso EAD Técnico em Vestuário

    Leia

  8. Por que você deve fazer um curso EAD?

    Leia