Notícia

Internacionalização: CIT SENAI recebe visita de diretor da ArcelorMittal Canadá; veja vídeo

Gestor conheceu laboratórios e declarou interesse em formar parcerias futuras entre a unidade estrangeira e o complexo mineiro

Anderson Rocha/ FIEMG

Uma visita internacional com grandes perspectivas de (ainda) mais negócios. É assim que pode ser definido o encontro entre representantes do Centro de Inovação e Tecnologia (CIT) SENAI, em Belo Horizonte, nesta quarta-feira (12/01), e o Diretor-Geral de Operações da ArcelorMittal Canadá, Bertrand Bougenot. O gestor francês conheceu laboratórios do complexo de pesquisa e avaliou positivamente a estrutura de ponta disponibilizada pelo Sistema FIEMG às indústrias.

"Eu, sinceramente, fiquei muito impressionado pelo tamanho do CIT, pela qualidade dessa infraestrutura, dos equipamentos de nível 'top' de tecnologia que eu vi. Eu tenho a melhor impressão e, com certeza, poderemos fazer muitas coisas em parceria com o CIT. Sobre as pessoas, a recepção foi incrível, com muita gentileza e profissionalismo. Cada pessoa muito competente na área de atuação dela. Assisti uma apresentação realmente espetacular. Estou impressionado com todos os projetos que estão sendo tratados e desenvolvidos. Um centro desse de ciência oferece muitas possibilidades", afirmou Bougenot.

O Chief Operating Officer (COO) da ArcelorMittal Canadá foi recebido e acompanhado em todos os prédios pelo vice-presidente da FIEMG, Teodomiro Diniz Camargos. O empresário celebrou a vinda do estrangeiro ao SENAI. Segundo ele, é uma excelente oportunidade de ampliar a parceria já existente com a ArcelorMittal no Brasil e no exterior.

"Um dos fundamentos do nosso CIT é a agregação de valor na indústria mineira. Então, quando a gente trabalha com uma indústria, como a ArcelorMittal, estamos agregando valor a um produto dela e de Minas. Isso é muito importante. A ArcelorMittal é uma empresa de classe mundial, que nós estamos atendendo, e atendendo bem. E agora surge uma potencialidade da gente fazer a internacionalização do CIT trabalhando com esse parceiro, colaborativamente, no mundo inteiro", afirmou Camargos.

Como relatou o assessor de Direção do CIT, Carlos Alberto Schuch Bork, o complexo tecnológico é parceiro da ArcelorMittal no Brasil há cerca de dois anos. Atualmente, os pesquisadores atuam em 15 projetos com a siderúrgica, especialmente os Institutos SENAI de Inovação em Metalurgia e Ligas Especiais, e de Engenharia de Superfícies, que movimentam cerca de R$ 20 milhões.

A parceria é bem avaliada pelo gerente geral de Inovação e Açolab da ArcelorMittal Aços Longos LATAM e Mineração Brasil, Alexandre Caldeira, que também gerencia o CIAMI e o Açolab, ambos para inovação aberta. "O legal dessa parceria é que, primeiro, nós temos uma super infraestrutura de laboratórios à nossa disposição, profissionais super competentes e muito disponíveis. E traz uma visão complementar ao nosso conhecimento técnico para essa solução de problemas e desenvolvimento de novos processos e produtos", declarou Caldeira. Ele também comentou a ida de Bertrand ao CIT.

"Comentei com ele, muito entusiasmado, de tudo que estamos fazendo no Açolab, no CIAMI. Ele ficou interessado em conhecer. Eu o convidei porque o Canadá tem muita similaridade com a ArcelorMittal Brasil. As mesmas dores que nós temos aqui, eles têm lá. Eles têm um portfólio muito parecido. Então, acho que abre uma oportunidade, também para o CIT, de fazer uma parceria internacional", disse.

Importância das parcerias

Carlos Alberto Schuch Bork também explicou a importância das parcerias feitas entre o Centro de Inovação e Tecnologia e as empresas. Na atualidade, são 719 clientes ativos, que utilizam - a depender da especificidade - algum dos 68 laboratórios do CIT espalhados pelos oito institutos (Alimentos e Bebidas; Automotiva; Engenharia de Superfícies; Meio Ambiente; Metalmecânica; Metalurgia e Ligas Especiais; Processamento Mineral; e Química), em 121 mil metros quadrados.

"As empresas descobriram, na prática, que têm que fazer muito mais com muito menos. Isso significa que, se você não colocar tecnologia nos produtos e processos, você não será mais competitivo. Porque a matéria-prima é limitada, sim. Ela não se multiplica. Nossa unidade é especialista, principalmente, em novos materiais. Um exemplo genérico: nós entregamos materiais que, para uma determinada propriedade, você precisaria, por exemplo, de 1kg de material, porém, alterando a microestrutura desse material, talvez você precise de 2 gramas para a mesma propriedade. Então, esse olhar é que impulsionou nossos negócios. Hoje somos uma referência no desenvolvimento de materiais", afirmou Bork.

Ele ainda lembrou que a visita desta quarta-feira representa a ampliação de uma relação de troca de experiências e conhecimento. "A gente quer crescer cada vez mais. Incorporar uma unidade canadense da ArcelorMittal (no CIT) para desenvolvimento de um problema que eles têm hoje, e que estão desenvolvendo com outros países, vai nos dar um salto muito importante. Por isso é importante a vinda deles. Porque nós temos, sim, condição de competir com 'qualquer um'. Basta nos dar uma oportunidade", finalizou.

CIT

O Centro de Inovação e Tecnologia SENAI, CIT SENAI, é uma unidade SENAI composta por um conjunto de Institutos de Inovação e Institutos de Tecnologia focados na competitividade industrial. Na prática, é um motor científico de classe mundial. Essa foi a definição de um dos conselheiros do Governo Britânico, Sir Mark Wallport, em nota de agradecimento pela visita ao CIT em 2011. Não poderia ser diferente. O CIT tem um DNA da inovação.

Criado em 2011 a partir do Centro Tecnológico de Minas Gerais (CETEC) uma fundação pública estadual, o CIT SENAI herda o histórico de desenvolvimento de pesquisa voltada à indústria. O Centro também nasce com o desafio de ampliar o atendimento industrial tanto em Minas quanto no Brasil e assume o compromisso de desenvolver a inovação e tecnologia de ponta em parceria com universidades e outros centros de pesquisa nacionais e internacionais.

ArcelorMittal

Líder mundial na produção de aço e um dos maiores em mineração, o Grupo ArcelorMittal possui clientes em 160 países e conta com mais de 190 mil empregados. Em seus 11 centros de pesquisa, cerca de 1.300 pesquisadores desenvolvem produtos e processos mais eficientes voltados a gerar valor para os clientes e assegurar o crescimento futuro.

A ArcelorMittal Brasil opera na produção de aços no país, com capacidade instalada superior a 12,5 milhões de toneladas/ano. Com plantas industriais em seis estados, emprega cerca de 16 mil pessoas. Produz aços longos e planos de alta qualidade para indústrias automobilística, de eletrodomésticos, embalagens, construção civil e naval. Também atua em mineração, geração de energia, produção de biorredutor renovável e tecnologia da informação. Sua ampla rede de distribuição e serviços atende às demandas dos mercados doméstico e internacional.

Com operações industriais em cinco estados brasileiros (Bahia, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo) e comerciais em todo o país, por meio da Rede de Distribuição, oferecemos ao mercado produtos e soluções para Construção Civil, Indústria e Agronegócio. Em parceria com o Grupo Bekaert, também somos líderes no Brasil no fornecimento de arames para a Indústria e o Agronegócio e estamos entre os três maiores produtores de cordonéis de aço para reforço de pneus.

Galeria

Últimas notícias

  1. FIEMG é homenageada na celebração dos 150 anos da pioneira Cedro Têxtil

    Leia

  2. Uma discussão sobre os conceitos V.U.C.A e B.A.N.I

    Leia

  3. SESI-MG se destaca no Robotics International Open Brazil

    Leia

  4. Câmara de Metalurgia, Siderurgia e Mineração se reúne no CIT SENAI

    Leia

  5. Confiança do Empresário Industrial atinge patamar mais alto em um ano

    Leia

  6. Setor de mineração investe em energia renovável para atingir a meta de carbono zero

    Leia

  7. Vem aí a 3ª edição da Mostra de Móveis de Ubá

    Leia

  8. FIEMG debate "Política de Concessão de Benefícios Fiscais - Tratamentos Tributários Setoriais"

    Leia