Notícia

Synergy IOT é apresentado para o Conselho de Tecnologia e Inovação

Projeto visa destravar problemas que impedem a promoção da tecnologia e inovação em Minas Gerais e no Brasil

O Conselho de Tecnologia e Inovação da FIEMG se reuniu nesta terça-feira, dia 26/03, na sede da entidade, em Belo Horizonte. A pauta do encontro foi a apresentação, feita por João Luiz Neves, do Projeto Synergy IOT. 

O Brasil está entre os países com as tecnologias digitais mais caras do mundo, grande parte por causa das altas tarifas de importação e dos impostos elevados. Mas apesar desse cenário, somos o 4° país mais conectado do mundo. São mais de 120 milhões de usuários de internet, demandando cada vez mais soluções tecnológicas. Minas Gerais é o estado da indústria e tecnologia. O número de startups cresceu 320% desde 2015. Para João Luiz “é a era da Internet das Coisas (IOT) e da Indústria 4.0, que prevê a geração de negócios com grandes potenciais e lucratividade. 

Segundo o empresário, vendo essas demandas, surgiu o Synergy IOT: um cluster para desenvolvimento de soluções de hardware e software aplicadas ao mercado de IOT e Indústria 4.0. O Synergy contará com uma organização vertical com parceiros com know-how em diversas áreas de atuação, desenvolvimento de novos produtos e soluções, inteligência de mercado, capacidade de produção em escala, entre outros. 

O projeto foi concebido no Conselho de Tecnologia e Inovação há cerca de dois anos para destravar os problemas que impedem a promoção da tecnologia e inovação em Minas Gerais e no Brasil. O Synergy é baseado em três premissas: desenvolvimento de produtos tecnológicos; focar na fabricação de produtos tecnológicos para solucionar problemas verticais do mercado e buscar parceiros com experiência e abrangência de mercado e diversificar soluções. 

“Com o Synergy temos como objetivo melhorar a eficiência dos setores industriais, utilizando as tecnologias de IOT, Big Data, Inteligência Artificial, manufatura avançada e Indústria 4.0”, ressalta João Luiz Neves. Ele afirma que será um centro de fabricação e desenvolvimento das tecnologias, o que atualmente é muito disperso. “Temos o plano de ter um custo competitivo com a China”, diz.

Galeria

Últimas notícias

  1. Indústria pede esforço para redução de juro

    Leia

  2. Ensino de excelência internacional

    Leia

  3. Portaria altera autorização para trabalho aos domingos

    Leia

  4. Futuros negócios com a Eslováquia

    Leia

  5. Treinamento apresenta melhores práticas na gestão de estoques e inventário

    Leia

  6. Empresários mineiros continuam insatisfeitos

    Leia

  7. Abertas as inscrições para o curso Rotulagem de Cachaça e Aguardente de Cana

    Leia

  8. SESI firma acordo com o JF Vôlei para a formação das categorias de base do time

    Leia