Notícia

Bons ventos para as importações e exportações mineiras

Aeroporto Indústria é apresentado em reunião do Conselho de Política e Mercados Internacionais da FIEMG

“O Aeroporto Indústria é uma âncora para o desenvolvimento integrado, principalmente para o vetor Norte. É essencial para Minas Gerais”, afirmou Fabiano Nogueira, presidente do Conselho de Política e Mercados Internacionais, na abertura da reunião do Colegiado, realizada no dia 20/08. O tema central do encontro on-line, que foi “O Aeroporto Indústria – Oportunidades para Indústria Mineira”, foi apresentado pelos representantes da BH Airport, Marcos Brandão, CEO, Cristiano Jardim, coordenador Novos Negócios, e Rafael Laranjeira, diretor de Gestão Executiva e Soluções Logísticas.


Localizado ao lado do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, o Aeroporto Industrial é o primeiro de sua categoria na América Latina. “Está em um lugar estratégico no país. Minas Gerias retém 65% da produção do país, sendo a 5ª maior base de distribuição de produtos da América Latina”, explicou Cristiano Jardim lembrando que o espaço é o primeiro a atuar como entreposto aduaneiro e o 3ª a receber o certificado de Operador Econômico Autorizado (OEA). 

O Aeroporto Indústria tem uma área total de 12 mil², com armazém de carga perigosa de 300 m², 3.131 m³ de câmaras frias com setup personalizado de -20ºC a 25°C e 11 posições para estacionar aeronaves. O local vai unir a produção e o modal aéreo, facilitando o escoamento. “Entendemos que temos maturidade para nos colocarmos como instrumento de apoio ao crescimento do estado e o Aeroporto Indústria faz parte de uma ampla estratégia da BH Airport, que vai além do pouso e decolagem de passageiros. Vamos transformar o espaço em um hub logístico, proporcionando diferenciais competitivos para as empresas”, afirmou Rafael Laranjeira. 

Segundo Laranjeira, as operações realizadas no Aeroporto Indústria oferecem diversos benefícios fiscais para as empresas, como suspensão dos tributos federais incidentes na importação, isenção do ICMS nas compras dentro de Minas destinados à exportações, diferimento do ICMS para mercadorias destinadas a integrar o ativo permanente e a suspensão de todos os impostos durante o processo industrial de matéria-prima até a emissão da nota fiscal para a venda do mercado nacional. 

O coordenador Novos Negócios da BH Airport também aponta como diferenciais para o mercado o Controle End-To-End, que é a entrada e saída de matérias-primas nacionais e internacionais, Governança, com a conciliação de matérias-primas e produtos finais junto à Receita Federal reduzindo riscos fiscais, Segurança e Agilidade, com a prioridade no processamento de cargas e na liberação com mínimo de deslocamento entre o Terminal de Cargas e a Linha de Produção, e a Eficiência de Custos e Sustentabilidade, com a gestão ambiental de resíduos feita por uma equipe experiente. 

Projeto Horizontes e o Aeroporto Indústria - “O Aeroporto Indústria é uma grande oportunidade para o desenvolvimento da economia mineira e um instrumento poderoso para agregar valores aos setores industriais”, ponderou Teodomiro Diniz, vice- presidente da FIEMG, ao apresentar o Projeto Horizontes. “É um ponto focal para o desenvolvimento dos setores primordiais da economia de Minas. É um instrumento de potência, de força, que estimula os setores a exportarem mais”, ressaltou o empresário.

O 
Projeto Horizontes, que é uma iniciativa do Conselho de Desenvolvimento Local e Regional da FIEMG, tem o objetivo de promover o diálogo e articulação entre sociedade e governos. A rede se inspira no desenvolvimento de Minas Gerais e em valores como pertencimento, associativismo, cidadania e independência. E, assim como o Aeroporto Indústria, trabalha para a conexão rápida e pelo fortalecimento da economia mineira. “O mundo vive em redes”, afirmou Diniz.

Segundo Diniz, o projeto realizou um levantamento dos setores das ind
ústrias mineiras, que são 96, e deles, foram destacados 26, como prioritários. “Com os prioritários será feita uma pesquisa de reconhecimento para sabermos questões como infraestrutura e potencial de novação. Com esses resultados, vamos estabelecer planos de metas personalizados para cada setor”, explicou. “É um tipo de trabalho que não podemos esperar dos governos e cabe a FIEMG auxiliar as empresas a se desenvolverem”, finalizou o vice-presidente da Federação.

Últimas notícias

  1. Confiança dos industriais mineiros recua pela quinta vez seguida

    Leia

  2. Inovação e sustentabilidade como estratégias para a competitividade

    Leia

  3. Afeto e carinho para aquecer os corações

    Leia

  4. Gestão sustentável: é possível ter empresas lucrativas e conservar o planeta

    Leia

  5. FIEMG pede urgência na implantação de medidas que recuperem a economia

    Leia

  6. Sindivest-JF participa de campanha da FIEMG e doa capacetes para instituição de saúde de Juiz de Fora

    Leia

  7. Governo de MG debate diretrizes da liberdade econômica na área ambiental em webinar

    Leia

  8. Negócios com a Rússia e a Ásia Central

    Leia