Notícia

Ex-presidente do Intersind funda empresa de importação nos Estados Unidos

A Musa Furniture LLC, fundada por Michel Henrique Pires, já carregou o primeiro container com móveis das indústrias do polo moveleiro de Ubá

Em abril, a empresa Musa Furniture LLC carregou o primeiro container 40HC consolidado entre seis empresas do polo moveleiro de Ubá: Carolina Baby, Fatto, Ferrari Estofados, JCM Movelaria, Lopas e Toque de Arte. 

Morando nos Estados Unidos, Michel Pires, que por oito anos ficou na presidência do Intersind - Sindicato Intermunicipal das indústrias do mobiliário de Ubá decidiu continuar no ramo da indústria moveleira, só que agora em outro país. 

“O motivo da minha vinda para os Estados Unidos foi para melhorar nosso inglês, ficar mais preparado para o mercado mundial, pois já tínhamos ido diversas vezes em feiras no exterior, mas sempre passando apertos ou tendo que contratar tradutores, e foi também para esquecermos um pouco o trauma vivido no assalto a minha casa, as crianças não dormiam a noite. No início, eu estava voltando ao Brasil a cada 40 dias, administrava as empresas sem problemas, a Modecor, Tokimport, Fratelli e a loja de bicicletas. Mas aí veio a pandemia, a renda que eu tinha aqui nos Estados Unidos, com minhas casas de aluguel, despencaram, o dólar se valorizou, o real perdeu muito valor, o custo de vida aumentou para quem trás dinheiro do Brasil. Conversamos em casa, se voltaríamos ou ficaríamos mais um tempo, as crianças queriam ficar, ai resolvi colocar em prática um projeto que já tinha em mente, importar os móveis do polo moveleiro de Ubá para os Estados Unidos. Não tinha colocado em prática porque começar um negócio com data para terminar, não é bom, pois nosso projeto era ficar no máximo 2 anos fora. Já tinha conversado com diversas pessoas sobre isso, tanto amigos fabricantes da região, que precisavam expandir os negócios, quanto com amigos de Orlando, que necessitavam comprar móveis de melhor qualidade, com preço competitivo e garantia de entrega, todos me cobrando começar a importar, mas eu aguardando, agora a empresa começou e já com excelentes perspectivas.”, explica Michel.

Após o pedido de ajuda de um amigo para montar uma cômoda brasileira, muitas pesquisas e conversas, o empresário enxergou a possibilidade de iniciar o projeto, continuar no ramo de móveis, mesmo sem estar morando no Brasil. 

“Um amigo daqui me pediu ajuda para montar uma cômoda brasileira que não tinha manual e que parecia que estava faltando peças. Já tinha ido dois montadores e não conseguiram montar. Fui lá e montei. Ele reclamou comigo que não estava conseguindo comprar diversos móveis e que se eu conseguisse trazer alguns móveis do Brasil, ele seria cliente e precisava disso para expandir seu negócio. No outro dia, meu futuro genro, João, namorado da minha filha, me disse que precisava de estruturas de cadeiras e poltronas em madeira, para ampliar seu negócio, hoje ele fabrica móveis em alumínio para área externa. Não tinha mais jeito, eu precisava ser o elo de ligação dos amigos fabricantes com os amigos clientes, ajudar a todos a ganhar. Formamos o primeiro container com algumas empresas, não foi fácil, pois consolidar um container com vários produtos, caixas diferentes, formas de embalagem variadas, é difícil. Mas deu certo. Embarcamos e já vamos receber aqui no final de abril. O primeiro passo foi dado, o segundo é importar alguns produtos semiacabados, para serem montados por aqui, diminuindo assim os volumes e barateando fretes e o custo final do produto a ser vendido. Com isso, gerando um volume maior de vendas, pois seremos mais competitivos frente até aos chineses. Já iniciamos os pedidos do próximo container e estamos desenvolvendo alguns produtos específicos para o mercado norte americano”, diz o empresário. 

O atual presidente do Intersind, Aureo Calçado Barbosa, que também é diretor da empresa Carolina Baby, uma das empresas participantes do primeiro embarque, acredita que a oportunidade seja uma “grande porta” que se abre para o polo moveleiro de Ubá. 

“ Recebemos com muita satisfação um telefonema do Michel, desde os primeiros momentos em que ele tomou a  decisão  de partir para essa experiência de levar os móveis de nosso polo de Ubá para a terra do Tio Sam. E foi muito rápido nossa decisão de embarcar nessa empreitada. Nós já temos alguma experiência acumulada em exportação e em particular para os Estados Unidos , lá pelos idos de 2003...Foi com grande prazer e esperança em um futuro brilhante que nós fizemos parte desse primeiro carregamento para Musa Furniture LLC,  a empresa do nosso amigo Michel. É uma grande porta que se abre para todos nós, desta vez através de uma pessoa experiente e amiga de nosso polo, que saberá muito bem conduzir os próximos passos rumo ao sucesso.Michel sempre foi muito dinâmico , criativo e combativo. Nos deixou um maravilhoso legado enquanto presidente do Intersind, sempre lutando pelo bem comum de todos os empresários do polo. Sem dúvida alguma, o móvel  está no sangue de todos nós,  e quanto ao Michel não poderia ser diferente. Com certeza ele irá continuar com muita competência e dedicação o trabalho pelo nosso polo, agora dentro do mercado norte americano, que diga-se de passagem é um mercado enorme e muito promissor”, avalia Aureo. 

O presidente do sindicato acredita que outras empresas terão o interesse em participar dos próximos carregamentos e relembra que já existia no sindicato esse olhar atendo em relação à preparação das empresas para exportação.“Nós do Intersind já oferecemos vários conteúdos e até mesmo palestras referentes à exportação a quem quis participar. É preciso ter em mente que exportar é muito diferente de vender no mercado interno. A qualidade tem que ser impecável. As informações nos manuais de montagem têm um formato particular, para a leitura do mercado externo. Existe todo um procedimento logístico apropriado, mas nada que não possa ser conseguido por quem se dedica e quer exportar”, afirma o presidente.

A empresa JCM Movelaria, localizada na cidade de Ubá/MG, não só participou do primeiro embarque, como também desenvolveu produtos específicos para serem comercializados no mercado americano. Emílio Candian, diretor da empresa, destaca a importância da expansão dos negócios. “Desenvolvemos em parceria com o cliente, baseando nos produtos que trabalhamos no mercado nacional, produtos que serão comercializados pela empresa americana.  Com algumas alterações e adaptações conseguimos atingir nosso objetivo e estes produtos em breve poderão ser lançados também no Brasil. O segundo pedido está sendo preparado para embarque no início de maio. Esperamos que seja mais um de uma parceria que tem tudo para dar certo e com certeza será um sucesso”, diz. 

Emílio ainda avalia com orgulho a concretização da parceria com a empresa Musa Furniture LLC . “Para nós que estamos expandindo os negócios constantemente, ter mais um cliente no mercado americano é motivo de orgulho. Ainda mais se tratando de uma pessoa do nosso polo, que está alçando novos voos em um mercado competitivo como o americano, que está em constante crescimento. Além claro, de mostrar que temos sim empreendedores no nosso polo moveleiro com visão global do negócio de móveis”. 

O vice-presidente do Intersind e diretor da empresa Lopas, localizada na cidade de Rodeiro/MG,  Carlos Augusto Paschoalino Lopes, pontua que a parceria com a empresa Musa Furniture é a consolidação dos negócios já existentes no mercado americano. “Ficamos muito felizes em participarmos desse projeto, ao qual acreditamos e abraçamos desde o primeiro momento em que soubemos. O Michel é uma pessoa que sempre buscou fazer pelas indústrias e mesmo distante está empreendendo e fomentando a economia da nossa região. Consideramos o mercado norte americano como prioritário em nossa empresa e essa é uma chance de consolidar nossa marca através da empresa Musa Furniture LLC. Temos grandes expectativas quanto ao produtos enviados para esse primeiro carregamento, pois acreditamos ter acertado na seleção do mix enviado ao cliente”. 

O empresário também acredita que outras empresas terão o interesse em participar e reforça a ideia de que a participação de outras empresas reforçará ainda mais o maior polo moveleiro de Minas Gerais. “Com certeza outras empresas terão o interesse em participar dos próximos carregamentos, o que irá fortalecer ainda mais o nosso polo, já que a exportação é um caminho muito interessante para a indústria e exportar para um mercado tão exigente quanto os Estados Unidos, exige de nós um padrão de qualidade mais apurado, estendendo-se ao restante dos clientes. Portanto, o benefício será para todos, indústria e clientes em geral”, analisa Carlos Augusto.  

Para o empresário Fernando Arquete, da empresa Cris Movelaria, a estabilidade da economia do mercado americano faz dos carregamentos uma excelente oportunidade para as indústrias do polo. “Acho que é o momento de todas as empresas interessarem em participar. A questão é adaptar. Será preciso adaptar os seus produtos ao mercado consumidor nos Estados Unidos. Imagino que todo mundo que tiver a oportunidade de abrir esse mercado, terá o interesse. O poder aquisitivo do americano é bem maior que o nosso, tem o custo do transporte, sim, mas vamos conseguir colocar os produtos com uma margem satisfatória, imagino. No meu caso específico, que é de uma empresa pequena, que fabrica o produto quase que artesanalmente, quando passamos para o Michel as fotos dos nossos produtos praticamente estava tudo encaixado, o que fizemos foram algumas adaptações de desmontagem, para que seja possível ganhar espaço físico dentro do container e para baratear frete”, explica. 

Fernando acredita que é um momento histórico para o polo. “Eu acredito muito que é uma oportunidade para o polo moveleiro de Ubá. O polo irá ganhar muito. Se eu tiver um dia que fazer a minha produção cem por cento para lá, desde que a gente tenha uma garantia de fornecimento, eu não vou pensar duas vezes. O Michel contribuiu muito para o sindicato sendo presidente por vários anos, projetando Ubá através do polo para o Brasil inteiro e agora essa oportunidade de representar o polo moveleiro de Ubá nos Estados Unidos. Isso é histórico”, destaca o empresário. 

Uma recente pesquisa mostrou que para o estado da Flórida, onde está Orlando, em torno de 1.500 pessoas se mudam diariamente, vindos de outros lugares dos Estados Unidos, principalmente, e também da Europa, América Central e do Sul, entre outros. 

“A comunidade brasileira por aqui é uma das maiores. Hoje, em Orlando temos supermercados com produtos brasileiros, restaurantes com comidas típicas e empresários brasileiros em diversos segmentos. Atualmente, estou com um depósito alugado e vou distribuir os móveis para pequenos lojistas e para empresas que decoram casas. Na Flórida é muito comum a pessoa comprar uma casa e contratar uma empresa para decorar, ou não tem tempo ou não querem ir de loja em loja. É aí que entramos, fornecendo a estas empresas os móveis do nosso polo. Vamos também fornecer a lojistas e Construtoras, algumas alem da cozinha ja montada, entregam as casas todas padronizadas, com todos os móveis”, explica Michel. 

A empresa Musa Furniture LLC também possui equipe de montagem e entrega, um diferencial em relação a alguns concorrentes locais. “Hoje o mercado moveleiro está, grande parte, nas mãos dos chineses, mas já existe uma tendência de ir diminuindo. Devido ao crescimento e domínio deles em todos os setores, algumas pessoas e empresas já estão dando preferências aos produtos de outros países, inclusive os brasileiros, mesmo com uma diferença de preços, que não pode ser grande. Acredito muito que teremos sucesso, passei minha vida inteira em fábricas de móveis, desde os 12 anos e me capacitei em comércio exterior, visitando feiras no mundo Inteiro, tanto como comprador quanto vendedor.  A minha história com o polo moveleiro de Ubá, que começou em 1991, que achei que estava enfraquecida pela minha mudança, mudou de foco em 2021, mudou de local de atuação, agora como cliente, distribuidor, parceiro internacional, e este elo está muito mais forte do que nunca agora. Inclusive, o segundo container ja está programado para embarcar no final de maio, ja estamos com produtos vendidos mesmo sem o container chegar, a perspectiva de vendas está muito boa, e estamos com produtos em desenvolvimento em várias empresas, JCM, Carolina Baby, Ferrari e outros, produtos que se vende muito bem aqui”, finaliza o empresário.  

Intersind busca apoio da FIEMG para oferecer cursos de exportação 

O Intersind está em contato com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais para, através do programa FIEMG Competitiva com custo subsidiado , apresentar um treinamento para capacitar as empresas que tenham o interesse em exportar. A proposta está sendo formatada pelo Centro Internacional de Negócios. Os treinamentos serão direcionados aos associados do sindicato, contribuindo assim para o aumento da competitividade das empresas.  

Para o fundador da Musa Furniture LLC, os treinamentos irão possibilitar a participação de várias outras empresas. “Darei oportunidade a todos em estarem exportando seus produtos, mas como disse o Aureo, é extremamente importante os móveis serem impecáveis, isso não quer dizer que tenham que ser móveis de linha alta, e sim que não podem dar problemas, pois aqui o consumidor pode devolver o produto e receber o dinheiro de volta sem motivo algum. Com certeza os treinamentos serão essenciais”, explica Michel Pires. 

Últimas notícias

  1. Relação entre Covid-19 e doença ocupacional é abordada em Ciclo de Debates

    Leia

  2. Novas formas para financiamento de projetos da Indústria 4.0

    Leia

  3. FIEMG mobiliza indústrias do Vale do Aço no combate à pandemia

    Leia

  4. SESI Cultura promove cursos on-line

    Leia

  5. Últimos dias para se inscrever nos cursos da Escola SENAI para o Audiovisual

    Leia

  6. Nova lei de licitações e suas consequências para o setor produtivo

    Leia

  7. Brexit e as relações Brasil-Reino Unido

    Leia

  8. Copom anuncia elevação e Selic vai a 3,5% ao ano

    Leia