Notícia

Impressora de cimento vence "Concurso Mãos à Obra - Prêmio Gustavo Charlemont"

Projeto visa a reduzir os custos da construção civil e aumentar o acesso à moradia

Fotos: Sebastião Jacinto Júnior

O grande vencedor do "Concurso Mãos à Obra - Prêmio Gustavo Charlemont" – nome adotado para a honraria a partir desta edição –, anunciado nesta quinta-feira (25/11), na programação do Minascon, é o projeto “Desenvolvimento de Protótipo de Impressora 3D para Argamassa e Grautes”, de autoria dos alunos do 10º período de Engenharia Mecânica da PUC Contagem Adriano Vinícius Silveira Resende, Guilherme da Silva Amorim e João Pedro Basílio Lisboa, com orientação do professor Ayrton Hugo de Andrade Santos.

O projeto consiste em uma impressora 3D, comumente usada para a produção de peças de plástico, que imprime concreto. Adriano Resende explicou que, além de reduzir custo de produção, a tecnologia, mais acessível, pode vir a ser uma solução importante na construção de casas populares. João Pedro Lisboa disse que a próxima etapa do trabalho da equipe é avançar nos estudos para a produção em escala real. “Acreditamos que, com mais estudos e investimento financeiro, a produção em escala poderá vir a beneficiar consumidores e a indústria da construção civil”, considerou o futuro engenheiro.

O trabalho vencedor do primeiro lugar recebeu R$ 4 mil. O segundo colocado, “Sustentabilidade do BIM na produção agrícola”, desenvolvido pela arquiteta Regina Damasceno, foi premiado com R$ 3 mil. Segundo a autora, um dos principais objetivos de seu projeto é colaborar na solução do grave problema social e econômico de desperdício de alimentos. A arquiteta se baseou no exemplo dos Países Baixos - cujo território é um pouco maior do que o tamanho do estado de Sergipe -, um dos maiores exportadores de alimentos do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos, segundo ela.

Cooperativas

Damasceno sugere um modelo de negócios focado na montagem e na administração de cooperativas, que poderia levar ao desenvolvimento social nos municípios, a uma agricultura familiar mais tecnológica, com profissionais melhor capacitados. “É uma forma de promover socialmente várias comunidades, desenvolver a indústria de fornecimento de tecnologias sustentáveis, painéis fotovoltaicos, energia eólica e biogás, por exemplo”, apontou ela.

A partir desta edição, o Concurso Mãos à Obra passa a homenagear seu fundador, Gustavo Charlemont, ex-coordenador do Sindicato das Indústrias de Instalações Elétricas Gás, Hidráulicas e Sanitárias no Estado de Minas Gerais (Sindimig), morto em maio deste ano, vítima da Covid-19. O vice-presidente da FIEMG, Teodomiro Diniz, reforçou que Charlmont “não só fez a ponte entre o mercado e a universidade, quando criou o concurso, como desempenhou o importante papel de contribuir com a avanço da cadeia produtiva”.

Jefferson Dias Santos, analista do Sebrae Minas, ressaltou que a homenagem visa a lembrar o trabalho de Charlemont, que acreditou na conexão entre a academia e o mercado, facilitando para os alunos o acesso ao conhecimento que está no mercado. “O Sebrae está à disposição para continuar esse trabalho de conexão entre o mercado e a academia”, afirmou.

O concurso “Mãos à Obra” faz parte da programação do Minascon e é uma realização da Câmara da Indústria da Construção da FIEMG, em parceria com o Sebrae Minas, e da empresa Offsite Hub Brasil - Soluções & Inovações (OHB). Seu objetivo é incentivar e aprofundar o debate sobre temas que impactam a competitividade da cadeia produtiva da construção, através da integração da comunidade acadêmica com o setor produtivo.  

Confira imagens da premiação neste link.

Últimas notícias

  1. Presidente do STF defende segurança jurídica em evento da FIEMG

    Leia

  2. FIEMG Jovem se reúne em local totalmente inusitado

    Leia

  3. Programa de Desenvolvimento de Conselheiros conclui a capacitação de nova turma

    Leia

  4. CIEMG promove encontros para tratar de inovação em Contagem

    Leia

  5. FIEMG debate custo da energia, tributos e regulação do setor

    Leia

  6. O futuro do trabalho em debate

    Leia

  7. Congresso de Direito Empresarial tem “aula” de ex-ministro da Fazenda

    Leia

  8. Canadá e Minas Gerais: mais oportunidades de negócios

    Leia