Notícia

Indústrias farmacêuticas geram oportunidades de emprego e querem mais profissionais qualificados para o segmento

Reunião na Regional Norte entre representantes de indústrias e de escolas de ensino superior e técnico discutiu o assunto

As indústrias farmacêuticas instaladas em Montes Claros - bem como as que estão em processo de instalação - estão gerando cada vez mais oportunidades de empregos e procuram mão-de-obra qualificada, voltada para o segmento industrial, notadamente no ramo farmacêutico. É que os profissionais formados pelas instituições de ensino locais têm grade curricular com foco no comércio e as indústrias querem que sejam adequadas também às demandas das indústrias.

Para discutir o assunto, uma reunião entre representantes do Hipolabor, do Centro Universitário FipMoc, da Grau Técnico - escola de cursos técnicos terceirizados -, com o presidente da FIEMG Regional Norte, Adauto Marques Batista, e o analista de Desenvolvimento Sindical, Angelo Vieira da Silva, representante dos sindicatos empresariais filiados à FIEMG, aconteceu na sede da Regional Norte quando as demandas foram apresentadas.

Fabiana Tavares, diretora do Hipolabor - laboratório farmacêutico instalado no Distrito Industrial e que gera atualmente 450 empregos diretos -, destacou a necessidade da adequação das grades curriculares dos cursos de Farmácia para atender às indústrias, pois, segundo ela, "não devem apenas formar profissionais que depois não terão qualificação específica para atender as demandas das indústrias farmacêuticas". O reitor do UniFipMoc, Marcelo Chaves, disse que as grades curriculares são definidas pelo Ministério da Educação e são rígidas, porém, "nada impede que possamos procurar alternativas que possam qualificar melhor os profissionais que formamos", destacou. Ele informou que a instituição está prestes a iniciar novo curso de Farmácia e já abriu inscrições. Já o gestor da Grau Tecnico, Marcelo Monteiro, destacou que a instituição tem mais de 100 mil alunos espalhados por suas diversas franquias no país e, pela expertise que detem, não vê dificuldades em atender à demanda.

O Polo Farmacêutico de Montes Claros abriga atualmente grandes indústrias do segmento, como a Novo Nordisk, MSD, Hipolabor e, em implantação a Eurofarma (que vai gerar mais de 2 mil empregos diretos) e a Cristália, que projeta mais de 700 vagas. Há ainda a possibilidade de implantação de mais um laboratório farmacéutico que já iniciou tratativas para a possível instalação de uma unidade em Montes Claros. Todas dependem de mão-de-obra qualificada para o segmento farmacêutico industrial.

E, antecipando-se à demanda, o presidente da FIEMG Regional Norte, Adauto Marques, sugeriu a criação de um grupo conjunto - indústria, instituições de ensino e FIEMG - para discutir o assunto e criar um movimento dinâmico que permita aos jovens estudantes da região terem mais oportunidades de emprego, e que não precisem sair da região em busca de oportunidades. "Além disso, precisamos facilitar aos jovens o acesso ao primeiro emprego, por meio de uma integração escola/indústria", acrescentou Marques.

Últimas notícias

  1. FIEMG e sindicatos apoiam trabalhadores e empresas de Sabará afetados por chuvas

    Leia

  2. TJMG recebe visita do presidente da FIEMG

    Leia

  3. Treinamento orienta sobre eSocial na FIEMG Regional Zona da Mata

    Leia

  4. Atividade industrial desacelera em dezembro, aponta pesquisa

    Leia

  5. Empresas da Grande BH reúnem-se com CEMIG para discutir atendimento no período chuvoso

    Leia

  6. FEMUR 2022 é aberta em Ubá e marca a retomada econômica do setor moveleiro

    Leia

  7. FIEMG abre busca da Vale de fornecedores para obras na Bacia do Paraopeba

    Leia

  8. Startups: ideias que transformam a sua vida

    Leia