Notícia

Internacionalização dos produtos da Indústria láctea mineira

CIN participa do seminário "Promoção de Exportações da Indústria Láctea Mineira"

Centro Internacional de Negócios da FIEMG (CIN), foi um dos convidados do seminário Promoção de Exportações da Indústria Láctea Mineira. O evento, que tem uma programação extensa que começou nesta terça-feira (20) e vai até dia 04/08, reuniu representantes de indústrias, cooperativas, associações e agroindústrias com o objetivo de apresentar o segmento lácteo mineiro a novos mercados internacionais. A transmissão está sendo realizada pelo canal da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA) no YouTube. 

A abertura do evento foi feita por Fernando Passalio, secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, que destacou a importância do setor para a economia mineira e o potencial para intensificar as relações comerciais com o mundo. “Os queijos de Minas são reconhecidos internacionalmente e devemos explorar cada vez mais este potencial”, ressaltou. Ana Maria Valentini, secretária de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, endossou as palavras de Passalio e pontuou que os queijos mineiros e os produtos regionais, característicos de cada localidade, têm muita potencialidade no mercado externo.   

O seminário é uma iniciativa do Governo de Minas, por meio das secretarias de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA) e de Desenvolvimento Econômico (SEDE), e conta com as parcerias da FIEMG e do Sindicato da Indústria de Laticínios de Minas Gerais (SILEMG) em sua realização. Com mais de 150 associados, o SILEMG desenvolve ações como negociações e convenções coletivas, representações políticas, ações conjuntas, networking, oportunidades de negócios, defesa de interesses e melhoria do ambiente de negócios para seus associados.  Paulo Hegg, diretor de Mercado Internacional da Tirolez, contou um pouco sobre a experiência da empresa no mercado internacional. Há 20 anos a empresa colocou a exportação como algo prioritário e estratégico em sua pauta, tanto para alcançar o mercado externo como também, para absorver as tendências mundiais. 

“Mesmo com dificuldades a empresa está galgando espaços. A produção de leite no país é baixa e ainda temos o problema da falta de competitividade dos produtos nacionais, mas acreditamos que podemos reverter este quadro, por meio de acordos comerciais favoráveis ao Brasil e também com a melhoria de nossas matrizes”, pontuou o gestor, explicando que a Tirolez distribui seus produtos para Japão, Chile, Uruguai, Estados Unidos, Gana e Angola. “É preciso negociar acordos tarifários para tornar as exportações de queijo viáveis e tornar nossos produtos compatíveis com os melhores queijos europeus”, reforçou o diretor. 

Como exportar - Alexandre Brito, consultor do Centro Internacional de Negócios da FIEMG, apresentou o tema Exportação de Lácteos: Operações e Procedimentos. Brito explicou o papel da Federação mineirae que a entidade conta com diversas áreas técnicas que apoiam o setor industrial, entre elas, o Centro Internacional de Negócios (CIN). O CIN atua por meio de assessorias e consultorias, capacitação empresarial, promoção de negócios e certificação internacional. Seu intuito é facilitar o processo de internacionalização das empresas, viabilizar a realização de negócios, parcerias e trocas de experiências com o mercado internacional, fortalecendo, desta maneira, as relações bilaterais entre Minas Gerais e o mercado externo.     Segundo Brito, o setor de lácteos, é caracterizado por uma gama de produtos com potencial para a exportação como leite em pó, condensado, soro de leite, manteiga, requeijão e queijos (muçarela, prato, provolone, coalho, burrata, azul e minas padrão). Estes podem ser classificados de acordo com a durabilidade, se originais ou tradicionais e aindicação geográfica. Ele esclareceu que Minas Gerais representa 23,5% do setor brasileiro de laticínios, com 1.440 de empresas, que geram 25,6% dos empregos brasileiros no setor. 

O consultor de negócios internacionais do CIN repassou todas as etapas do processo de exportação de um produto e apontou os principais gargalos, como a adequação dos produtos ao mercado externo, a aquisição de certificados e problemas internos, como a logística brasileira, regime de tributação e a baixa produtividade de nossa cadeia leiteira.    O primeiro dia do evento também contou com as apresentações de João Ricardo Albanez, subsecretário de Política e Economia Agropecuária da SEAPA/MG, Kathleen Garcia Nascimento, subsecretária de Promoção de Investimentos e Cadeias Produtivas da SEDE/MG e Leandro Diamantino Feijó, diretor do Departamento de Temas Técnicos, Sanitários e Fitossanitários (DTSF- MAPA).  

Os debates continuam – O seminário Promoção de Exportações da Indústria Láctea Mineira tem uma programação diversificada e no dia 22/07 será realizado um painel temático com a embaixada do Brasil no México. No dia 27/07, será a vez da equipe da embaixada brasileira no Peru se apresentar.  Em 03/08 o tema será o panorama do mercado chileno e dia 4/08, no encerramento do evento, a discussão será sobre o setor de laticínios do Egito. Ficou curioso? Acompanhe o evento neste LINK.

Últimas notícias

  1. Curso aborda estrutura tarifária e custos pagos pelos consumidores na conta de energia

    Leia

  2. FIEMG Regional ZM promove workshop para desenvolvimento de supervisores e coordenadores de Produção

    Leia

  3. Aprimore suas habilidades na área de audiovisual

    Leia

  4. FIEMG cria ferramenta que irá auxiliar a vacinação dos trabalhadores da indústria

    Leia

  5. Projeto “Mão na massa” realiza ações personalizadas para padarias em Uberlândia

    Leia

  6. FIEMG Regional ZM recebe deputado federal Reginaldo Lopes

    Leia

  7. Segunda rodada de negócios do Compre Bem FIEMG Virtual - DIMEP Sistemas

    Leia

  8. Escola de Esportes do SESI JF recebe o atleta de futsal Leo Santana

    Leia