Notícia

Não existe investimento maior do que a educação, diz economista

ODS 4 (Educação de Qualidade) foi um dos temas tratados no 1° almoço-palestra ADCE de 2019

Muito já se disse sobre os impactos da paralisação parcial das atividades extrativistas em Minas Gerais e esse também foi o assunto do 1° almoço-palestra de 2019 da Associação de Dirigentes Cristões de Empresas (ADCE-MG). Realizado na sede da FIEMG, no dia 12/04, o evento teve como palestrante o economista da Federação, Sérgio Luiz Guerra Xavier, que extrapolou a analise econômica da situação. Xavier propôs, aos presentes, uma reflexão de como a comunidade empresarial poderia auxiliar esses municípios, que dependem da atividade mineradora, a superarem a crise.

Xavier ressaltou que, uma das maneiras de minimizar os impactos humanos e econômicos decorrentes do rompimento Barragem do Córrego do Feijão, ocorrido em Brumadinho, no dia 25/01, é o setor industriário e a sociedade estarem em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O economista citou alguns deles e destacou o Objetivo 4 – Educação de Qualidade. “Esse é um dos objetivos mais bem escritos, pois está totalmente sintonizado com o momento que estamos vivenciando e com o mundo do futuro”, pontuou.

Segundo ele, projeções mostram a tendência inevitável da redução da vida útil das qualificações que são ensinadas atualmente. “As pessoas terão que ser treinadas e recicladas ao longo de suas carreiras”, afirmou, lembrando que isso traz um impacto muito grande na maneira como se ensina. “Precisamos ensinar as pessoas a aprender, constantemente”, ressaltou.

Xavier esclareceu que essa é uma reflexão que deve ser tanto do Sistema FIEMG, que se dedica à educação por meio do SESI e do SENAI, quanto da nossa sociedade como um todo. Segundo ele, quem se dedica a educação, como a Federação, é preciso se atentar para as novas formas de ensinar, como, por exemplo, o campo da linguagem. “Não apenas do idioma materno ou estrangeiro, mas também, o domínio de linguagens artísticas, como a música, programação e matemática”, afirmou, pontuando que o SESI é uma das referências nessas áreas, com o ensino de Robótica Educacional em suas escolas. “É necessário que as pessoas aprendam a se expressarem de diversas formas”, disse citando a literatura e a encenação teatral como métodos importantes para se trabalhar a linguagem. “Isso permitirá com que os trabalhadores do futuro estejam disponíveis para aprender e se adequarem a novas realidades”.

O economista ressaltou que, neste momento delicado que as cidades mineradoras estão passando, ações da área de educação são muito bem-vindas. “Esses municípios são propícios, pois podem vincular recursos, que eles já possuem, para essas atividades. Não há retorno econômico maior do que o investimento em educação”, disse ressaltando que essa é uma necessidade imediata para esses locais.
Durante o encontro, foram citados também os seguintes ODS: Trabalho Decente e Crescimento Econômico, Indústria, Inovação e Infraestruturas, Cidades e Comunidades e Sustentáveis, Consumo e Produção Responsável, Paz, Justiça e Instituições Eficazes. “A nossa sociedade estimula a gestão responsável de riscos? O que fazemos, na prática? Qual é o papel dos gestores?”, provocou o economista da FIEMG.

Almoço palestra da Associação de Dirigentes Cristões de Empresas (ADCE-MG) – Realizado periodicamente e em parceria com a FIEMG, o evento tem dentre seus objetivos o compartilhamento de informações e conhecimento de interesse do empresariado, abrindo um canal de troca entre os envolvidos. “Devido ao momento econômico que estamos vivendo em Minas, escolhemos o estudo realizado pela Federação para apresentarmos aos nossos associados e dirigentes de empresas”, disse Sérgio Frade, presidente da ADCE-MG. “Minas Gerais irá superar a crise com o dialogo e compromisso”, afirmou. Saiba mais sobre o trabalho desenvolvido pela ADCE NESTE LINK.

IMG_9936.JPG

ODS - Os ODS são um grande plano estratégico para as empresas, governos e entidades compreenderem as oportunidades de negócios existentes dentro de uma prática sustentável e responsável. Para conhecer todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e o Guia SESI: Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, CLIQUE NESTE LINK.

Paralisação da mineração - O PIB mineiro pode fechar 2019 com recuo de 4% com a perda de 851 mil empregos. A estimativa está em um estudo que a Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) lançou, no qual analisa os efeitos da paralisação das atividades minerárias no estado. O trabalho considera três diferentes cenários no horizonte de três anos (2019-2021): “pessimista”, com a interrupção de 70% das atividades do setor, “otimista”, com a retomada gradual da mineração, e “atual”, marcado pela paralisação de aproximadamente 50% da produção minerária estimada para 2019. A atividade em algumas minas no estado foi interrompida após o rompimento da Barragem do Córrego do Feijão. Faça o download do estudo completo NESTE LINK.

Últimas notícias

  1. Ensino de excelência internacional

    Leia

  2. Futuros negócios com a Eslováquia

    Leia

  3. Empresários mineiros continuam insatisfeitos

    Leia

  4. SESI firma acordo com o JF Vôlei para a formação das categorias de base do time

    Leia

  5. Construção oscila em 2019

    Leia

  6. FIEMG participa da ExporRecicla

    Leia

  7. Nova turma de Aprendizagem Industrial começa as aulas em Paracatu

    Leia

  8. Reclamar é fácil. Você faz a diferença?

    Leia