Notícias

Maturidade empresarial

Confira artigo escrito pelo presidente da FIEMG, Flávio Roscoe

Fica cada vez mais clara a importância da economia, e da indústria, como poderosos instrumentos de inclusão e transformação social. Na verdade, ao longo dos últimos anos e décadas, extrapolando sua missão primordial de produzir e gerar empregos, estes setores da vida nacional se afirmaram de forma muito especial como vetores fundamentais de políticas sociais eficientes e eficazes. A pandemia da Covid-19 veio mostrar que o empresariado nacional entendeu que empresas só atingem a verdadeira maturidade, a maturidade plena, quando compreendem que ao lado e além de gerar lucro para seus acionistas têm, igualmente, a missão de distribui-los com justiça e equidade.

Desde o começo do ano passado, quando a pandemia se instalou com violência em nosso estado, assim como no Brasil e no mundo, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), e também os sindicatos e empresas a eles vinculados, assumiram a responsabilidade de postarem-se ao lado da sociedade mineira na guerra contra o coronavírus em todas as frentes necessárias, com ações nos campos da economia e da saúde. Neste momento, por acreditar que a vacinação massiva da população é a nossa principal arma contra esta moléstia insidiosa, a FIEMG e a indústria mineira trabalham para oferecer ao país, e a Minas Gerais, ações em duas frentes: na aquisição de equipamentos que permitem que a vacina seja aplicada, como refrigeradores para acondicionamento dos frascos, e no investimento para o desenvolvimento de uma nova opção de vacina que virá somar-se às que já estão em uso.

Nessa empreitada, unimo-nos, ainda em 2020, a empresas mineiras e brasileiras para a criação do imunizante UB-612, desenvolvido pela Covaxx, que integra o conglomerado da United Biomedical, empresa internacional com fábricas nos EUA, China e Taiwan. Estamos investindo R$ 30 milhões – o Instituto Dasa, de São Paulo, entra com R$ 15 milhões e as indústrias de Minas Gerais com mais R$ 15 milhões. Com isso, asseguramos que a pesquisa clínica da vacina seja feita também em nosso país, como já está ocorrendo. Caso o UB-612 seja aprovado pela Anvisa, nossa expectativa é de que, já no segundo semestre, 50 milhões de doses venham para o Brasil – serão entregues ao Ministério da Saúde e distribuídas aos postos de vacinação do SUS. Trata-se de uma vacina de dose única e é mais uma alternativa para a população mineira e brasileira.

Com o Conselho Estratégico da FIEMG, também apoiamos, com entusiasmo, a campanha Unidos pela Vacina, idealizada e liderada pela empresária Luiza Trajano, dona do Magazine Luiza. Com este objetivo, mobilizamos os maiores industriais do estado e vamos doar, para pelo menos 275 municípios mineiros, itens essenciais para que a vacinação da população ocorra de maneira mais rápida e eficaz, como câmaras frias e freezers, fundamentais para o acondicionamento das vacinas. Registre-se, por necessário e justo, que a iniciativa de Luiza Trajano é, de fato, exemplo a ser seguido e compartilhado.

Também por justo e necessário, é preciso reconhecer e ressaltar a elevada sensibilidade dos empresários e empresas mineiras para a gravidade do cenário e, via de consequência, para a necessidade de ajudar, participar e compartilhar. O trabalho que realizamos nos últimos 12 meses mostra, de fato, a força da união da indústria mineira, que, mobilizada em torno da FIEMG, viabilizou recursos para importantes projetos que atendem demandas que emergiram em razão direta da pandemia. O solidário mutirão que se formou trouxe, com certeza, intenso aprendizado nos campos da medicina, ciência, educação, políticas sociais e até no campo individual, com profundas mudanças no comportamento de todos nós.

Os resultados são expressivos e falam por si. Em 2020, doamos 1.600 ventiladores pulmonares e equipamentos de leitos hospitalares para centenas de cidades de todo o estado. Foram distribuídos 1.428 respiradores para 268 municípios e 166 leitos em 12 regionais que contemplam todo o território mineiro. Mas os equipamentos, essenciais para salvar a vida de pacientes com dificuldades respiratórias, beneficiarão também brasileiros de outros estados. Outros 100 equipamentos foram doados ao governo federal.

O trabalho continua este ano, começando com a doação de 100 ventiladores mecânicos ao governo do Estado, o que permitiu a montagem de 100 novos leitos de UTI para atendimento a pacientes da Covid-19 em Belo Horizonte, Betim, Juiz de Fora, Timóteo, Montes Claros, Viçosa, Ponte Nova, São Lourenço, Paracatu e São João del-Rei, que receberam os equipamentos segundo critérios da Secretaria de Estado de Saúde. No Centro de Inovação e Tecnologia SENAI (CIT SENAI), um mutirão de 20 profissionais – engenheiros mecânicos, eletricistas e de automação, além de técnicos especializados em eletroeletrônica –, recuperaram 240 respiradores para atender pacientes com Covid-19 nas diversas regiões brasileiras.

Atuamos igualmente em uma das áreas mais dramáticas da pandemia, que é a falta de oxigênio. A indústria mineira está mobilizada e vai ceder aos hospitais, pelo tempo que for necessário, dois mil cilindros para armazenamento do oxigênio medicinal. Também vamos doar mais de 500 “capacetes Elmo”, equipamento capaz de reduzir em até 60% a necessidade de internação em leitos de UTI. Desde o início da pandemia, o SENAI-MG produziu e doou 180 mil litros álcool glicerinado 70% (parceria com a UFMG e o Sindicato do Açúcar e Álcool de Minas Gerais), 1,63 milhão de máscaras, 11 mil jalecos, além de 1.988 conjuntos de válvulas e 12.827 pistões para a fabricação dos ventiladores mecânicos. Em parceria com a Fiat e a empresa Supress, o SENAI apoiou municípios da RMBH na desinfecção de ruas.

Atuando sempre em permanente sintonia com os governos federal e estadual, além de governos municipais, a FIEMG também participou de importantes ações na área econômica, nos campos trabalhista, tributário, ambiental, acesso ao crédito e prorrogação de prazos para pagamento de tributos. Destacam-se, aqui, as Medidas Provisórias 927 e 936/2020, que, somente em Minas Gerais, preservaram mais de 300 mil empregos. São, todas, iniciativas que evitaram a “morte” de expressivo número de empresas e preservou milhares de empregos.

São todas, igualmente, ações que colocam a FIEMG e a indústria mineira entre as organizações que mais colaboram e se conectam à sociedade brasileira no desenvolvimento de iniciativas que mitigam os efeitos da pandemia. Nesta jornada que já entra em seu segundo ano, a indústria mostrou-se atividade verdadeiramente essencial, como reconhecido oficialmente pelo Estado desde março de 2020. E vamos seguir adiante nesta mesma direção, cientes e conscientes de nossa responsabilidade diante da sociedade.

Últimas notícias

  1. Entenda como a indústria gera desenvolvimento e empregos e chega até à mesa dos mineiros

    Leia

  2. Hidrogênio verde renova perspectivas econômicas e ambientais

    Leia

  3. CIT SENAI participa da Maratona da Indústria – Alimentos e Bebidas

    Leia

  4. Atuação da FIEMG contribui para mudança de entendimento do TJMG sobre a inconstitucionalidade dos TAC's

    Leia

  5. Os desafios da sucessão patrimonial e familiar

    Leia

  6. FIEMG apoia o Junho Laranja

    Leia

  7. Desenvolvimento sustentável e ESG: caminho sem volta

    Leia

  8. FIEMG capacita jovens aprendizes para o mercado de trabalho

    Leia