Notícias

Inovação e tecnologia nas indústrias

Projeto Venda Mais apresenta startups do FIEMG Lab para empresas interessadas

Por que digitalizar? O que espero da tecnologia? Questionou José Meinberg, gerente de sistemas corporativos da empresa Sada Transportes e Armazenagem, na abertura de sua palestra. A exposição do tema “Simplificando Jornadas de Processos na Indústria”, conduzida por Meinberg, fez parte da programação do evento Venda Mais - Startups FIEMG Lab, realizado em 4/8, na sede da FIEMG, em Belo Horizonte.

Segundo o representante da Sada, tecnologias como IOT, IA, e Big Data já estão disponíveis, mas não existe uma receita de bolo para utilização. “Somos obrigados a inovar. O mundo está conectado e precisamos levar toda essa tecnologia para dentro das fábricas. Mas o nosso desafio é saber qual delas faz sentido para nossos negócios, pois cada caso é um caso”, ressaltou.

O projeto Venda Mais - Startups FIEMG Lab foi uma parceria entre a gerência de Atração de Negócios e Investimentos e o programa FIEMG Lab. “Nosso objetivo foi apresentar soluções inovadoras e tecnológicas para pequenas e médias indústrias, que não têm acesso ao ecossistema de inovação, e para as grandes que ainda não conhecem esse universo” explicou Junia Cerceau, gerente de Atração de Negócios da Federação mineira, que mediou as discussões. Segundo a gestora, esse foi o segundo Venda Mais realizado em parceria com o programa FIEMG Lab. “O primeiro deu tão certo que resolvemos repetir este modelo e, para isso, contamos com a chancela e curadoria de nosso hub de inovação”, afirmou.

Bruna Silva Barbosa Pereira, coordenadora de Aceleração de Negócios e Ecossistema do FIEMG Lab, também participou do evento. “Nosso intuito é transformar a inovação aberta em resultados de negócios”, pontuou Pereira, esclarecendo que o FIEMG Lab tem como base os pilares Disseminação de Informações, Absorvição de Inovação e Geração de Inovação.

Durante o encontro, as startups participantes da jornada FIEMG Lab apresentaram suas soluções para os participantes. A Ajnatech, representada Matheus Carneiro, é especializada em visão computacional e desenvolveu um método de inspeção e digitalização da indústria. Tecnologia de câmeras 3D, chamadas HammerHead, usadas, entre outras aplicações, para medir e monitorar precisamente estoques de granulados em indústrias, são as bases da startup Mogai, representada por Takeo Fugiwara Santos e Pedro Ribeiro Pellacani.

A QualityHub, foi apresentada por Gustavo Garcia. A startup transforma processos de inspeção, gestão de ativos e controle de processos, levando tecnologia Analytics a dispositivos móveis.
Já a Smart Count utiliza visão computacional e IA para automação de processos de contagem de objetos. “Acreditamos que a mente humana é incrível e não deve se ocupar com tarefas chatas e repetitivas. Nós não fomos programados para isso. As máquinas, sim. Nosso foco é a automação de tarefas de contagem”, afirmou Vinícius Aquino, CEO da Smart Count.

Após a palestra e os pitchs das startups, os interessados participaram de rodadas de negócios com os representantes das startups.

Denise Lucas
Imprensa FIEMG

Últimas notícias

  1. Empossada nova diretoria da FIEMG Vale do Rio Grande

    Leia

  2. Conselho de Tecnologia apresenta e debate diretrizes de trabalho

    Leia

  3. Minas tem inventário positivo de remissões de gases de efeito estufa

    Leia

  4. 'Nada sobre nós sem nós'

    Leia

  5. Ministro do STF aponta caminhos para superar crises e impulsionar desenvolvimento

    Leia

  6. Câmara da Indústria de Obras recebe associação do Reino Unido que orienta empresas de energia

    Leia

  7. Conexão Aprendiz capacita jovens de 17 a 24 anos

    Leia

  8. Empresas familiares e seus desafios

    Leia