Notícia

FIEMG estima retomada do crescimento para 2019

Balanço apresentado pela entidade aponta crescimento de 2,53% do PIB nacional e de 3,3% no estado

A FIEMG espera a retomada econômica de Minas Gerais e do Brasil em 2019. Segundo o balanço anual apresentado nesta sexta-feira, 21/12, na sede da Federação, em Belo Horizonte, a expectativa é o que o PIB do país cresça cerca de 2,53%, enquanto a produção industrial no Brasil alcance crescimento de 3,02%. Já em Minas, o PIB deve avançar 3,3%, enquanto a produção industrial no estado pode subir 5,1% no próximo ano.

O ano de 2018 foi marcado pela frustração em relação ao crescimento econômico. A expectativa era de que este ano a alta na economia girasse, em torno de, 2,7% do PIB. Entretanto, esse número não deve passar de, entre 1,3% e 1,5%.

Segundo o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, o aumento da incerteza impediu maior expansão do investimento em 2018. “Tivemos uma série de fatores que contribuíram para o desempenho abaixo do previsto. O primeiro foi a greve de caminhoneiros, que teve um efeito grave na economia. Outro ponto importante foi a eleição, que acentuou a indefinição de um cenário de retomada e a desacelerou a aprovação de reformas estruturais,” disse. 

O cenário internacional também influenciou o desempenho abaixo do esperado da economia. “Outros fatores como tensões comerciais externas, crise econômica em parceiros comerciais, além da redução de liquidez em mercado globais contribuíram para o cenário de queda da retomada,” apontou Roscoe.

Perspectivas para 2019

A expectativa de alta para as economias mineira e brasileira em 2019 devem ser acompanhadas por uma série de reformas. “A manutenção da política monetária estimulativa (Selic a 6,50% a.a.), juntamente com a retomada do investimento agregado são consistentes com crescimento do PIB brasileiro da ordem de 2,53%. As projeções possuem viés de alta, que será confirmado mediante aprovação de reformas estruturais, tais como a da Previdência,” comentou o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe.

Ainda segundo o empresário, a retomada econômica no estado é essencial e deve ser ancorada em dois pontos – melhora do ambiente de negócios e das questões ambientais no estado. “É imprescindível que haja um melhor ambiente de negócios, que traga mais estímulo para investimentos, mas isso só será possível quando, principalmente, forem retirados o entraves gerados pelo licenciamento ambiental em Minas Gerais, uma vez que temos alguns dos parâmetros mais rigorosos e burocráticos do mundo no estado”, enfatizou.

Além disso, a taxa de desemprego no país deve cair para o intervalo entre 10,0% e 11,0%.

Setores

Alguns segmentos da indústria apresentam boas perspectivas para 2019, como o setor alimentício, que apresenta expectativa de crescimento de 4,0%, a indústria automotiva, que tende a crescer 3,5%; além de máquinas e equipamentos com crescimento esperado de 6,2%; construção civil, com 3,2% de alta e indústria extrativa que tende a subir em 7,8%. A expectativa desses setores se deve à melhora das condições de crédito, da renda real e retomada do mercado trabalho, melhora dos níveis de confiança e aumento dos investimentos, facilitação das condições de crédito imobiliário, além da estabilidade do crescimento chinês.

Últimas notícias

  1. Ensino de excelência internacional

    Leia

  2. Futuros negócios com a Eslováquia

    Leia

  3. Empresários mineiros continuam insatisfeitos

    Leia

  4. SESI firma acordo com o JF Vôlei para a formação das categorias de base do time

    Leia

  5. Construção oscila em 2019

    Leia

  6. FIEMG participa da ExporRecicla

    Leia

  7. Nova turma de Aprendizagem Industrial começa as aulas em Paracatu

    Leia

  8. Reclamar é fácil. Você faz a diferença?

    Leia