Notícias

Audiência pública no CIEMG discute coleta seletiva e tratamento de resíduos sólidos

Previsão é de 100% nas coletas porta-a-porta, seletiva e compostagem nas escolas, até 2036

A necessidade de discutir e aperfeiçoar o Plano de Coleta Seletiva no município, de acordo com os princípios estabelecidos na Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS foi um dos destaques da audiência pública promovida pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. A audiência foi no auditório do CIEMG, nesta quinta, feira, 19 de abril e reuniu autoridades municipais, especialistas, catadores de material reciclável, empresas e cidadãos.

Uma das prioridades estabelecidas pela PNRS é a discussão e aperfeiçoamento do Plano de Gestão dos Resíduos Sólidos, com a inclusão das cooperativas de catadores, destacou João Batista Lima Filho, superintendente de Planejamento de Resíduos. “É preciso prioridade nessas ações, como também definir os parâmetros da responsabilidade compartilhada, da logística reversa e os acordos setoriais”, destacou.

No momento, os projetos executados pela Coleta Seletiva no município contam com uma estrutura de tratamento dos resíduos sólidos recolhidos no porta a porta; nas escolas; nas repartições públicas e nos principais corredores comerciais. Em relação aos grandes geradores, “também será preciso aperfeiçoar os planos de gerenciamento da coleta seletiva”, disse João Batista.

Na relação de serviços realizados atualmente pela Secretaria de Limpeza Urbana, além da rotineira varrição manual, há coleta 3 vezes por semana por caminhão compactador e nas caçambas estacionárias. Também estão disponíveis, segundo explicou o superintendente, os coletores de 200 litros em vias com restrição de acesso, e outros de 30 litros em vias públicas e em eventos específicos. O setor também responde pela manutenção e operação dos chamados Ecopontos, e recolhe entulhos e faz a moda de árvores, em pequenas quantidades.

Licitada pela Prefeitura de Contagem, a Ampla Consultoria e Planejamento apresentou o Diagnóstico de Resíduos Sólidos Urbanos e Programas de Coleta Seletiva de Contagem. O estudo mostrou que enquanto os orgânicos representam 49% da coleta; os rejeitos compõem 18% e 33% são passíveis de reciclagem.

O prognóstico dos resíduos sólidos ao longo dos 20 anos, apresentado pela Ampla, prevê metas graduais até 2036 para alcançar 100% de abrangência na coleta porta a porta; na coletiva seletiva e compostagem, nas escolas. O prognóstico prevê ainda aumentar o volume de locais para entrega voluntária, com raio de 500m, abrangendo todo o território do município. O estudo, na íntegra, está disponível para consulta, na Secretaria de Meio Ambiente de Contagem.

A coleta seletiva deve ser uma agenda integrada com várias secretarias municipais e não ficar restrita apenas à de Limpeza Urbana e Meio Ambiente foi um dos destaques na apresentação do Instituto de Referência de Resíduos, ao apresentar sua atuação junto às cooperativas de catadores.

Últimas notícias

  1. 22ª Fenova começa com grandes expectativas de vendas

    Leia

  2. SINDBEBIDAS e PCIR promovem mais uma ação do Projeto Pão de Malte

    Leia

  3. Minas Gerais quer ampliar negócios com sul-africanos

    Leia

  4. Tendências para a indústria em pauta em Governador Valadares

    Leia

  5. Empresas de Uberaba são aprovadas em edital de inovação

    Leia

  6. Noite de consagração no MegaCana Tech Show

    Leia

  7. FORLAC levou novidades para o setor de laticínios

    Leia

  8. FIEMG Lab 4.0 e o novo ciclo de aceleração de startups

    Leia