Notícias

Café Empresarial: autoconhecimento para a autoliderança

O mais importante é saber aonde se quer chegar, planejar e manter a atenção na intenção

"É possível ter autoconhecimento, autoliderança e até mesmo alcançar a genialidade, quando cada um se propõe uma meta que brote do seu interior e mantenha a automotivação e o foco para alcançar seus objetivos". Quem afirma é Raquel Couto, consultora, psicóloga e Coaching Master, durante o Café Empresarial realizado no CIEMG no dia 28/02.

Ao destacar o poder da crença, ela ressalta que o pensamento repetido passa a ser a crença, entre os vários fatores que interagem nesse processo. A consultora explica que as crenças de cada um, nada mais são que o resultado da interação de experiências e conceitos adquiridos, começando pelo ambiente familiar e até no país onde está inserido, como, por exemplo, o "jeitinho brasileiro”, no ambiente de trabalho, no grupo de amigos. Nessa fusão se incluem experiências passadas, boas ou ruins, que também podem ser mudadas. "O pensamento é o principal poder sobre os quais o ser humano tem domínio e comanda os demais que são os sentimentos, o sentimento, o que se fala e o que se faz. Cada um se responsabiliza pelo que faz e cada um estabelece significados que governam sua vida, o que implica em respostas positivas ou negativas”, afirma. Como exemplo, ela lembra: "alguém me fará raiva, se eu o permitir”.

Cada ser humano é único e combina pensamento com comportamento e quando se sabe com clareza aonde se quer chegar, alia-se a intenção à atenção. Ou seja, a intenção guia a atenção. É certo que “ao se pensar uma coisa e fazer outra, mina-se a criatividade, a credibilidade e perde-se o foco”, alerta a consultora. 

Ao estabelecer a diferença entre um gênio como Steve Jobs, e outros das mais diversas áreas e uma pessoa comum, a palestrante disse que a primeira característica é ter paixão pelo que faz. É importante ainda manter o foco e o controle sobre cada etapa do processo, e saber se adaptar a diferentes níveis de consciências e situações.

Ter visão clara do que se quer construir é essencial. “Se não se sabe aonde chegar, qualquer caminho serve”, destacou. O pensamento comanda tudo, disse ela e é preciso manter alinhamento entre o que se pensa, o que se fala e o que faz. Buscar novas soluções, procurar aprender sobre a meta, se conectar com o outro “olho no olho” e entender que sozinho não se chega a nada é outra orientação dada pela palestrante. 

Além de estar 100% envolvido no que se faz, é essencial planejar o que se quer alcançar, detalhadamente, saber o momento exato de tomar decisão, aceitar o erro como aprendizado e não como derrota são também fatores que impactam sobre o resultado final, destacou Raquel Couto.  

É preciso manter controle sobre pensamentos, emoções e responsabilidade sobre o que se quer construir e, se o resultado não foi atingido, é porque a pessoa não se comprometeu o suficiente, alertou Raquel. 

Últimas notícias

  1. PCIR é destaque no Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação

    Leia

  2. Ousadia e inovação em atividades de Segurança e Saúde do Trabalho

    Leia

  3. Indústrias de Minas e São Paulo se reúnem

    Leia

  4. Direito de Minas

    Leia

  5. Orquestra de Câmara SESIMINAS se apresenta com Antônio de Meneses

    Leia

  6. Código Ambiental de Contagem em foco no G7

    Leia

  7. Empresas associadas ao CIEMG têm novo benefício

    Leia

  8. FIEMG se posiciona sobre decisão do Banco Central

    Leia