Notícias

FIEMG terá sistema de compras sustentáveis

Projeto começa com os setores de mobiliário e construção civil

O Sistema FIEMG apresentou para empresários, no dia 7/3, um projeto piloto de compras baseado na sustentabilidade, aplicado nos setores de mobiliário e construção civil. O programa é fruto de um projeto do edital SESI SENAI de Inovação, em parceria com a Fundação Dom Cabral, o SENAI de Londrina do Paraná e a empresa Ecoguia Sustentável.

Para o presidente da FIEMG, Olavo Machado Junior, o novo sistema significa modernização, e vai garantir que os produtos e serviços adquiridos, produzam na medida do possível, com menores impactos ambientais e impactos sociais e econômicos mais positivos. “Tenho dito constantemente que para a empresa para ter pedidos na carteira é necessário apresentar um diferencial de desenvolvimento sustentável. Em Minas estamos trabalhando fortemente nesse conceito”, diz. Ele destacou os programas executados pelo Sistema FIEMG como o Minas Sustentável, Simbiose Industrial, Economia Circular em Distritos e o Minas Clima.

O gerente do Núcleo de Sustentabilidade da Fundação Dom Cabral (FDC), o professor Heiko Hosomi Spitzek, falou sobre a tendência da mudança de um relacionamento transacional, onde a empresa oferece o produto ou serviço e o cliente paga por ele, para uma transação relacional. Na nova relação, a empresa passa a entender o processo produtivo do cliente para saber onde seus serviços podem fazer diferença e como melhorar seu processo.

Ele exemplificou com o caso da Michelin, que mudou a proposta de venda de pneus para a mineração. “Agora eles vendem tonelada por quilômetro transportado. Desta forma, ela deixa concorrentes com produtos inferiores para traz. Muda a lógica do negócio. O cliente passa a entender que o produto mais barato não é sempre o mais vantajoso”, diz.
Enquanto um produto de qualidade roda 100 mil quilômetros, um inferior pode rodar 50 mil. “A primeira empresa ativa a cadeia de valor uma só vez para atingir o mesmo desempenho. Com uma vida útil maior, a empresa gasta menos energia, transporte e matéria prima”, diz.

Para a presidente do Sindicato das Indústrias do Mobiliário e Artefatos de Madeira no Estado de Minas Gerais, Iara Gomes Abade, o programa é um start para que as empresas possam subir pequenos degraus para alcançar uma condição de sustentabilidade que lhes dê competitividade local e global. “Não é apenas a sustentabilidade ecológica, mas a do próprio negócio. O programa é uma forma de cuidar do processo de evolução de maturidade e de melhorias das empresas e não uma barreira mercadológica”, frisou.

A secretária executiva do Conselho de Empresários para o Meio Ambiente (CEMA), Patrícia Boson falou sobre a plataforma que vai apoiar as compras corporativas sustentáveis – o Ecoguia Sustentável. “A plataforma vai agilizar os processos de compras e apoiar a domada de decisões e o gerenciamento da cadeia de suprimentos, além de promover o engajamento de fornecedores e compradores para a melhoria da produção e distribuição de bens e serviços”, diz.

Para o superintendente de Administração da FIEMG, Vinícius Diniz e Almeida Ramos, o desafio é dar maior publicidade para obter maior competitividade. “Vamos trabalhar muito no desenvolvimento de fornecedores e a negociação efetiva. Todas as licitações podem ser acompanhadas no portal da FIEMG e no Portal da Transparência”, diz.

Galeria

Últimas notícias

  1. PCIR é destaque no Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação

    Leia

  2. Ousadia e inovação em atividades de Segurança e Saúde do Trabalho

    Leia

  3. Indústrias de Minas e São Paulo se reúnem

    Leia

  4. Direito de Minas

    Leia

  5. Orquestra de Câmara SESIMINAS se apresenta com Antônio de Meneses

    Leia

  6. Código Ambiental de Contagem em foco no G7

    Leia

  7. Empresas associadas ao CIEMG têm novo benefício

    Leia

  8. FIEMG se posiciona sobre decisão do Banco Central

    Leia