Notícias

FIEMG apoia operação “Pés no chão”

Setor calçadista é afetado por minoria que insiste na falsificação, prejudicando empresas idôneas

O Sistema FIEMG apoia a operação “Pés no Chão” deflagrada no dia 7/11 para investigar um esquema de falsificação de calçados e sonegação fiscal na região de Nova Serrana e em algumas empresas de Divinópolis, no Centro-Oeste mineiro. 

“A FIEMG não aprova e nem apoia atos de empresas que descumprem as leis, falsificam produtos, sonegam impostos e permitem subornos e atos ilegais ou fora das normas éticas e legais. A FIEMG existe para defender os legítimos interesses do setor e das empresas que trabalham legalmente em dentro dos princípios e valores de responsabilidade social”, afirma o presidente da FIEMG, Olavo Machado Junior. 

O presidente da FIEMG Regional Centro-Oeste, Afonso Gonzaga, vai na mesma linha: “É preciso banir uma minoria que ainda insiste em fazer falsificações em Nova Serrana. O polo calçadista da região tem 830 empresas e, destas, 98% trabalham seriamente”, afirma Gonzaga. 

Durante a “operação Pés no Chão” foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara Criminal de Nova Serrana. Para Gonzaga, a prática ilícita causa prejuízo tanto aos consumidores, quanto ao Estado, em razão da falta de recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “Temos que combater a atuação dessa minoria se diz empresário e que, na verdade, maculam a imagem de um polo que vem crescendo de forma positiva, por meio da busca de tecnologias mais avançadas e de uma gestão profissional”, explica Gonzaga. 

Para o presidente do Sindicato Intermunicipal da Indústria do Calçado de Nova Serrana (SINDINOVA), Pedro Gomes da Silva, a fiscalização é necessária e deveria ser cotidiana. “Nova Serrana vive na legalidade. O Estado deve fiscalizar, inclusive para proteger quem trabalha direito e dentro da lei. Afinal, fica difícil para estas empresas, que são a maioria, competir com quem não paga impostos e não arca com as responsabilidades trabalhistas. O nosso polo não pode ser marcado por causa de meia dúzia de fabricantes ilegais”, destacou. 

Geração de empregos 

Nova Serrana foi a cidade mineira que mais abriu postos de trabalho em 2016, segundo dados do Cadastro Geral dos Empregos e Desempregados (Caged). Foram 3.248 novas vagas e o principal responsável foi o setor calçadista. O número também deixou a cidade com a 3ª colocação no país na geração de postos de trabalho. O setor emprega 20 mil trabalhadores de forma direta.

Últimas notícias

  1. Confiança dos empresários mineiros cai em abril

    Leia

  2. Inteligência Competitiva na Era Digital

    Leia

  3. READY TO GO investe no futuro da moda mineira

    Leia

  4. FIEMG articula Missão empresarial à Expomin 2018

    Leia

  5. FIEMG promove Italian Day para apresentar oportunidades no país

    Leia

  6. SENAI Centro Automotivo participa do Encontro Anual do Clube de Veículos Antigos

    Leia

  7. Associativismo para a recuperação de distritos industriais em Contagem

    Leia

  8. Setores público e privado debatem segurança de barragens

    Leia