Notícias

Liderança positiva: como desenvolver os talentos da equipe

Qualidades positivas impactam no ambiente de trabalho e no resultado

A liderança positiva foi o tema do Café Empresarial do CIEMG de agosto, que inaugurou também um quadro novo, a Tribuna Livre, que abre espaço para empresas associadas se apresentarem aos demais participantes desse encontro receptivo mensal.

A liderança positiva sob a ótica da Psicologia Positiva, do século XXI, que se contrapõe à do século passado, cujo foco era no que há de negativo nas pessoas foi apresentada por Monika Tschoepe, graduada em Psicologia e pós-graduada em Gestão de Pessoas e Heloisa Junqueira, pós-graduada em Gestão Estratégica do Conhecimento.

A Psicologia Positiva se orienta por uma visão mais equilibrada, pela promoção das qualidades, estimulando, entre outras características, a coragem, otimismo, habilidades interpessoais, ética, honestidade e perseverança. Segundo essa linha, os aspectos mais importantes a observar são a conexão com outras pessoas, procurar encontrar o sentido do trabalho e buscar vivenciar experiências que proporcionem prazer. “o que não exclui também estudar e compreender emoções negativas como medo, raiva, tristeza, que garantiram nossa sobrevivência”, explicou Monika.

A definição de Freud de que a normalidade é a capacidade de amar, trabalhar e se divertir conduz essa linha que destaca as virtudes e forças de caráter como fio condutor da liderança positiva, destacou a psicóloga. Essa concepção envolve características como humildade, coragem, sabedoria e conhecimento, justiça e imparcialidade, gratidão e esperança, entre tantas outras emoções, disse Heloísa Junqueira sobre o tema. “As emoções positivas impactam a equipe, garantem um clima agradável e satisfação no trabalho, além de estimular talentos, características essas que o líder, em qualquer posição na hierarquia da empresa deve praticar”.

Entre os fatores para se estabeleça um clima positivo no trabalho, Heloísa ressaltou que o líder positivo deve ter compaixão, ou seja, cuidar e se preocupar com o outro; exercitar a capacidade de perdão, como, por exemplo, reconhecer o erro honesto e auxiliar para que seja corrigido; e a gratidão que implica em incentivar, agradecer, reconhecer e comemorar o positivo.

Nas relações interpessoais, segundo Heloísa Junqueira, o líder precisa saber identificar, usar e multiplicar referências de fluxo positivo e, assim, fortalecer a troca e a cooperação para favorecer a aprendizagem e resultados. Deve também reforçar pontos fortes, saber administrar os negativos e celebrar vitórias; usar linguagem afirmativa e de apoio, além de substituir críticas pelo foco no problema e não na pessoa.   

 

Últimas notícias

  1. 22ª Fenova começa com grandes expectativas de vendas

    Leia

  2. SINDBEBIDAS e PCIR promovem mais uma ação do Projeto Pão de Malte

    Leia

  3. Minas Gerais quer ampliar negócios com sul-africanos

    Leia

  4. Tendências para a indústria em pauta em Governador Valadares

    Leia

  5. Empresas de Uberaba são aprovadas em edital de inovação

    Leia

  6. Noite de consagração no MegaCana Tech Show

    Leia

  7. FORLAC levou novidades para o setor de laticínios

    Leia

  8. FIEMG Lab 4.0 e o novo ciclo de aceleração de startups

    Leia