Notícias

Produtividade para o canteiro de obras

Construção industrializada é tema de Congresso Técnico do Sinduscon-MG durante o Minascon

“Os desafios da construção industrializada” foi tema do Congresso Técnico do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) no dia 12/09. Os debates sobre o assunto aconteceram durante o Minascon 2017, maior evento unificado da construção no estado, realizado de forma inédita fora da capital, em Uberlândia. 

O Congresso Técnico do Sinduscon-MG foi dividido em três momentos. O primeiro foi a apresentação do Manual da Construção Industrializada, produzido pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) em parceria com entidades de classe do setor. A publicação foi mostrada ao público, formado por empresários e estudantes de engenharia e arquitetura, pela professora da Universidade de Brasília, Raquel Naves Blumenschein. 

Ela afirmou que o futuro da construção passa pela industrialização dos processos produtivos. Blumenschein explicou que o Manual é uma publicação simples, técnica, prática e fácil leitura, que auxilia os profissionais no raciocínio para a construção industrializada. O documento é composto por três partes: conceitos, exemplos de planilhas (check-lists) e um conjunto de exemplos de projetos de construção industrializada em concreto, madeira e alguns usos em cerâmica. 

O segundo momento do Congresso foi conduzido pelo engenheiro e professor da USP, Ubiraci Spinelli. Ele apresentou a palestra “Construção Industrializada e produtividade no canteiro”, em que expôs exemplos de produtos que conferem menor custo nas obras. 

Spinelli mostrou que a produção pré-fabricada aliada à concepção adequada dos processos e da organização das obras resulta em competitividade e maior produtividade para o setor. “Quando falamos em construção industrializada, é preciso lembrar que todo o processo construtivo deve ser pensado para receber os produtos fabricados fora do espaço da obra. Isso significa dizer que o canteiro precisa ser concebido para esse fim”, alertou o professor. 

A parte final do Congresso foi coordenada pela professora da Universidade Federal de Uberlândia, Maria Cristina Vidigal de Lima, que mediou os debates entre o público e os palestrantes.

Últimas notícias

  1. Aurélio Marangon Sobrinho é o novo vice-presidente da FIEMG Zona da Mata

    Leia

  2. Centro Cultural Sesiminas abre inscrições para todas modalidades da escola de cultura

    Leia

  3. Palestra na FIEMG abordou o Tratamento Tributário Setorial

    Leia

  4. Presidente da FIEMG participa de reunião de coordenadores sindicais

    Leia

  5. Astec do Brasil busca fornecedores no “Compre Bem”

    Leia

  6. Padarias mineiras investem em capacitação para sucessão empresarial

    Leia

  7. SENAI prorroga matrículas para cursos técnicos

    Leia

  8. ATA Carnet completa dois anos de operação no Brasil

    Leia