Palavra do Presidente

30/05/2019

Gestão Pró-Indústria

Flávio Roscoe Nogueira

Comemoramos este mês o Dia da Indústria 2019 em Minas Gerais – e o fazemos com a convicção de que avançamos significativamente neste último ano, desde que, em maio de 2018, assumimos a missão de gerir o Sistema FIEMG. Não significa, por óbvio, que a economia e a indústria mineira e brasileira estejam voando em céu de brigadeiro, muito pelo contrário. Significa, sim, com certeza, que a indústria mineira, por suas empresas e empresários, está pronta para enfrentar e superar a crise que continua sendo a mais grave de nossa história.

Conforta-nos, neste momento, constatar que a Gestão Pró-Indústria inspira-se em um modelo participativo, que une as dez Regionais FIEMG, nossos 136 sindicatos filiados e milhares de empresas a eles associadas, em todos os segmentos industriais, em todas as regiões do estado. De fato, o compartilhamento de ideias, objetivos e metas nos conduz a uma gestão efetivamente solidária, comprometida com os reais interesses da indústria e das nossas Minas Gerais. O associativismo empresarial está mais forte em Minas.

Com esse trabalho, alcançamos a necessária sustentabilidade financeira do Sistema FIEMG e adequamos a sua operação à realidade do momento e, integralmente, às necessidades, demandas e aspirações da indústria mineira. Reduzimos despesas, aumentamos as receitas, readequamos projetos, produtos e serviços – mantendo e aprimorando a qualidade das nossas entregas. Os resultados já apareceram. Saímos de um resultado operacional deficitário, no período de junho de 2017 a abril de 2018, de R$ 14,9 milhões, para atingirmos um superávit (de junho de 2018 a abril de 2019) de R$ 164,1 milhões. Com firme postura diante das contas do Sistema FIEMG, reduzimos a dívida em 46% na Federação e em 52% no SENAI, além de aumentarmos o caixa do SESI em R$ 58,5 milhões e o do IEL em R$ 1,8 milhão. Tudo isso nos 11 meses já apurados da Gestão Pró-Indústria – de junho/18 a abril/19.

Com muito orgulho, somos referência no país em comparação a unidades de outros estados. No ensino profissionalizante, o SENAI de Minas Gerais trabalha com o melhor custo por aluno em comparação a unidades de outras regiões do país. O número de estudantes matriculados cresceu de 99.462, em 2017, para 103.260, em 2018. Para cada matrícula na Rede Federal de escolas profissionalizantes, o SENAI consegue oferecer 2,6 matrículas, mesmo considerando que no SENAI estão incluídos custos previdenciários que não existem na área federal.

O SESI é exemplo e modelo pela qualidade do ensino que oferece à sociedade mineira, comprovada em exames, como o ENEM, IDEB, PISA, em olimpíadas do conhecimento e em concursos de robótica. Os resultados comprovam a excelência. Das 80 escolas com melhor desempenho no IDEB, 40% são do SESI – e 14 delas ficaram em 1º lugar no município onde estão instaladas. Todas, sem exceção, estão entre os 10% melhores do país no ENEM. Assim como no SENAI, aumentamos o número de estudantes matriculados também no SESI. De 2018 para 2019, o crescimento foi de 9%. Ao todo, são 52.720 alunos em ações educativas, entre Educação Básica, cursos de esporte e cultura.

São números que comprovam que a Gestão Pró-Indústria confere elevada prioridade à educação e, unida e coesa, está preparada para efetivamente defender os interesses legítimos da indústria mineira. Os exemplos são muitos e podem ser expressos em iniciativas que traduzem a disposição do Sistema FIEMG em buscar sempre soluções que fortaleçam a indústria mineira e contribuam para diversificá-la e modernizá-la.

O principal pilar de sustentação desse trabalho é o Programa de Defesa de Interesses da Indústria, que estamos implementando com o apoio dos nossos sindicatos filiados, das empresas a eles associadas e do nosso Conselho Estratégico. O objetivo é tratar de questões fundamentais para a competitividade da indústria, cujos exemplos mais emblemáticos, neste momento, são as grandes reformas estruturais – Previdência Social e Tributária. A defesa dos legítimos interesses da indústria inclui também ações desenvolvidas durante a greve dos caminhoneiros, em maio/junho do ano passado, e medidas judiciais destinadas a questionar exigências absurdas e desnecessárias do chamado Bloco K.

É exatamente na linha da defesa dos interesses da indústria que se insere o Plano de Investimentos – Pacto por Minas, que lançamos recentemente, com o decisivo apoio do governador Romeu Zema e dos parlamentares mineiros na Assembleia Legislativa, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. Nosso “pacto” visa mobilizar o estado por meio de suas lideranças empresariais e políticas – e é uma proposta suprapartidária, cujo compromisso único é com os interesses de Minas e dos mineiros. Esse Plano de Investimentos nasce exatamente para nortear ações que as lideranças mineiras vão realizar a partir de agora, visando devolver ao estado a sua capacidade de crescer de forma sustentada e duradoura.

Além de contribuir para resolver os problemas da economia de Minas Gerais, esse “pacto” pode ser visto como um exemplo para o Brasil, que também clama por um entendimento nacional que mobilize nossos governantes, a fim de que se unam para efetivamente enfrentar e superar essa crise gravíssima e conduzir a nação ao lugar que a sociedade deseja e exige. É hora de subordinar interesses de pessoas e grupos aos reais interesses do país.

 

“O compartilhamento de objetivos nos conduz a uma gestão solidária e comprometida com os interesses da indústria e de Minas.”

Palavra do Presidente

Flávio Roscoe Nogueira
Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais – Sistema FIEMG

Publicado no jornal Estado de Minas do dia 30/5/2019

Edições Anteriores

  1. Reforma, estados e municípios

    Leia

  2. Gestão Pró-Indústria

    Leia

  3. Previdência: reforma ou falência?

    Leia

  4. Pacto por Minas

    Leia

  5. Nova mineração

    Leia

  6. Em dias de sol

    Leia

  7. Futuro de Minas

    Leia

  8. Um novo país!

    Leia


Confira artigos anteriores