Palavra do Presidente

12/11/2020

Vote por Minas!

Flávio Roscoe Nogueira

Os mineiros irão às urnas neste domingo para decidir sobre o futuro de nossos municípios. São exatos 15.700.996 eleitores, que vão eleger prefeitos e vereadores em 853 cidades, em cujas mãos estarão decisões cruciais para a vida de mais de 20 milhões de cidadãos. O futuro que teremos em 2024 refletirá, com certeza, a decisão que tomarmos agora. É importante pensar nisso! 

Por esta razão, decisiva para os destinos das cidades mineiras e de suas populações, a FIEMG está realizando debates com candidatos em alguns municípios do estado, como é o caso da capital, Belo Horizonte. Move-nos a inarredável convicção de que a conversa sincera, o diálogo e o debate sempre produzem melhores resultados do que o autoritarismo, que é sempre deletério. 

Também nos move e inspira, a crença de que indústria, sociedade e líderes políticos precisam andar sempre juntos na missão de produzir bens e serviços e gerar empregos de qualidade. Esta, com certeza, é a prioridade máxima. Por isso, devemos olhar para situações que nos inspiram e nos movem adiante. Nos últimos meses, durante a pandemia do novo coronavírus, o Governo de Minas Gerais, em parceria com a população e com o setor produtivo criou condições para que a indústria não parasse de funcionar, trabalhando com saúde e segurança e mantendo postos de trabalho fundamentais neste momento. 

De fato, sempre, indústria e sociedade trabalham com os mesmos objetivos. A indústria é parte integrante e ativa das comunidades do seu entorno. Por sua vez, a sociedade está sempre dentro das fábricas, usufruindo dos empregos ali gerados e, na prática, com o seu trabalho, fazendo a produção e o progresso acontecerem. 

Esta constatação nos levou a definir os temas dos debates com os candidatos a prefeito de Belo Horizonte, dividindo-os em duas etapas: na primeira, as perguntas formuladas aos candidatos concentraram-se no tema “Desenvolvimento Econômico”, com foco prioritário na geração de emprego e renda na cidade. Na segunda etapa, que será realizada exatamente hoje à noite, o tema é “Infraestrutura”, com o foco em mobilidade, segurança e tecnologia. 

Questões cruciais para a cidade e sua população estão emergindo nos debates com os candidatos e se transformando em pauta obrigatória e prioritária para o próximo prefeito e para os 41 vereadores eleitos para a Câmara Municipal. Alguns são recorrentes e verdadeiramente graves. Neste ról, incluem-se, com absoluto destaque, as enchentes que se repetem há anos, prejudicando especialmente a população mais carente, nas periferias. É um problema que não pode continuar sendo empurrado com a barriga, que não pode ser mais postergado. 

A pandemia ainda preocupa e preocupa muito, por muitas razões. Igualmente graves são as sequelas deixadas ao longo dos últimos sete meses, com a “quebradeira” de empresas, sobretudo no setor comercial e no segmento dos micro e pequenos negócios, sem contar os informais – o que impacta todos os setores produtivos. Milhares de empregos foram perdidos e precisam ser resgatados. Belo Horizonte carece, na Prefeitura e na Câmara Municipal, de lideranças políticas com sensibilidade e disposição para ouvir a população e adotar soluções que realmente resolvam os problemas. 

Também se destacam, nos debates, propostas visando o crescimento da economia de Belo Horizonte e da geração de empregos de qualidade por meio da transformação do hipercentro da capital em um dos mais importantes polos de inovação, tecnologia e economia criativa do país. A indústria mineira – e a FIEMG – podem ajudar muito nesta empreitada. Mantemos, na região da Cidade Nova, o CIT SENAI – o nosso Centro de Inovação e Tecnologia, que reúne um importante acervo de laboratórios de inovação e tecnologia nos setores mais importantes da economia e da indústria mineira, como mineração, construção civil, meio ambiente. 

No coração do hipercentro de BH, na Praça 7, no prédio criado por Oscar Niemeyer para receber o antigo BEMGE (Banco do Estado de Minas Gerais), estamos trabalhando para ali instalar o P7 Criativo, projeto voltado exatamente para receber empreendedores do setor da economia criativa, com startups dos mais variados setores e segmentos. São exemplos de ações que a indústria desenvolve em nossa capital, que mobilizam a população e a ela oferece oportunidades. É assim também com unidades educacionais do SESI e do SENAI, com o Centro Cultural SESIMINAS e com o Museu de Artes e Ofícios, que apresentam rica programação de eventos. Atuam junto com a FIEMG os sindicatos empresariais, que igualmente realizam projetos importantes para gerar negócios para os belorizontinos. Todo este aparato está à disposição dos futuros administradores de Belo Horizonte – o prefeito e os 41 vereadores que serão eleitos no domingo. 

Sim, temos diante de nós o grande desafio de pensar e construir nossa cidade, mas também temos, felizmente, perspectivas absolutamente positivas: o êxito na empreitada só depende de nós. Assim, neste momento, em que menos de 72 horas nos separam da abertura das urnas, desejamos à sociedade mineira um bom e produtivo voto. Votando bem, com consciência, começaremos pelos nossos municípios a construção de uma grande Minas Gerais e de um poderoso Brasil.

"Votando bem, com consciência, começaremos pelos nossos municípios a construção de um grande estado e de um poderoso país." 

Palavra do Presidente

Flávio Roscoe Nogueira
Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais – Sistema FIEMG

Publicado no jornal Estado de Minas do dia 12/11/2020

Edições Anteriores

  1. A indústria tá... em tudo!

    Leia

  2. Futuro incerto

    Leia

  3. Maturidade empresarial

    Leia

  4. Vote por Minas!

    Leia

  5. Com a cara de Minas!

    Leia

  6. Nova Minas

    Leia

  7. Feito em Minas

    Leia

  8. Futuro de Minas

    Leia


Confira artigos anteriores