AMISA

Conheça os Programas de Educação Ambiental da empresa

FM000521C_RA_FIEMG_EDUCACAO-AMBIENTAL_BANNER-PRODUTO_FINAL1.jpg

Associação das Mineradoras da Serra Azul – Amisa

CNPJs: 23.769.672/0001-61


Água é vida

Levando em consideração os encontros comunitários, onde o público externo demonstrou muita preocupação e interesse em questões relacionadas à água, apresenta-se o Projeto “Água é Vida”. O Projeto se baseia no oferecimento de um curso dividido em 08 módulos, que capacita os moradores do entorno sobre questões relacionadas às águas e ainda a cena com possibilidades de incremento à renda.

O Objetivo desse projeto é promover o desenvolvimento e empoderamento de ações de educação ambiental acerca de temas caros às políticas públicas e de engajamento social na temática de recursos hídricos com as comunidades integrantes deste PEA, visando ampliar a percepção sobre questões ambientais globais, nacionais e locais, bem como pelos impactos ambientais no âmbito da atividade minerária na temática água.

O curso tem como objetivo específico capacitar o público externo em atividades relativas à questão da água, no que tange a legislação atual, ouso racional e sustentável dos recursos hídricos, a proteção e conservação da qualidade e disponibilidade hídrica.

Aplicando-se a capacitação em tecnologias sociais e alternativas no acesso a água e tratamento de esgoto, compossibilidades viáveis e que garantam a sustentabilidade de ações no futuro. Além disso, criou-se uma corresponsabilidade das comunidades com a questão da água junto ao poder público e empreendimentos locais e a inclusão científico-tecnológica dos moradores em temas que perpassam seus cotidianos.

OBS: o projeto será executado em 2022, devido à pandemia. 

Capacitação em elaboração e gestão de projetos socioambientais e culturais

Este projeto se justifica, além da demanda apresentada pelas comunidades no que tange ao desejo de executar pequenos projetos locais, pela falta de oportunidades de capacitação para além da escola formal existente nessas localidades. Também se justifica pela vontade expressa de se estabelecer parcerias com as mineradoras na execução de atividades socioambientais e culturais nas localidades.

Por isso, entende-se que uma boa forma de minimizar os impactos descritos pelas comunidades, é o apoio contínuo às atividades socioambientais e culturais destacado pelas comunidades como de importância para as mesmas, margeado pela inexistência de projetos de autonomia comunitária no levantamento de demandas locais e execução das mesmas. Cabe ainda ressaltar a baixa ocorrência de projetos dessa natureza nas áreas rurais dos munícipios integrantes do PEA. Assim, esse curso pretende lançar uma ferramenta de ganho coletivo e individual aos moradores para execução de projetos.

Tem o objetivo de informar e contribuir para a elaboração de projetos locais e ampliar as oportunidades de práticas culturais e socioambientais para a população referente a este PEA. Proporcionar uma compreensão sobrea importância da economia criativa para o desenvolvimento socioeconômico e que os participantes estejam aptos a elaborar e executar o seu próprio projeto cultural e socioambiental, assimilando as várias dimensões de um projeto e ainda habilitar os participantes na disputa das diversas fontes de financiamento de incentivo à cultura.

Qualificar e certificar os moradores das comunidades interessados na área de Elaboração de Projetos Socioambientais e Culturais, abordando conceitos como: programas e projetos sociais, formulação de projetos socioambientais e culturais, instrumentos públicos e privados de financiamento, planilha de custos, medição de impactos, indicadores, monitoramento e avaliação.

Ao final do curso, pretende-se que o participante domine todas as etapas da elaboração de um projeto. Além disso, o participante estará apto a participar como concorrente a verbas de financiamento de fundos estadual, federal e municipal como um todo e ainda do Fundo de Projetos Socioambientais AMISA, que oferecerá anualmente incentivo às comunidades do entorno, financiando e apoiando projetos socioambientais e culturais que atendam ao edital, pois apesar de importantes para a sustentabilidade ambiental e cultural das comunidades, teriam dificuldades para serem executados, devido à falta de incentivo público e de instrumentos que possibilitem que essas necessidades sejam conhecidas. As temáticas desses projetos devem ser em torno do meio ambiente, turismo sustentável de base local, cultura, patrimônio cultural, social e educacional.

OBS.: o projeto será executado parte no final de 20221 e no ínicio de 2022, devido à pandemia. 

 

Juntos

Tem o objetivo de informar e contribuir com o desenvolvimento de organizações comunitárias, que visa a formação de moradores do entorno, atuantes ou interessados em atuar junto às organizações sociais de bairro, cooperativas, projetos sociais, coletivos, movimentos sociais, entre outros para intervirem em seus contextos sociais com vistas à promoção de seu território.

O curso tem como objetivos específicos:

  • Apoiar e reforçar as iniciativas existentes nas18 comunidades do entorno;
  • Apoiar as atividades de organizações comunitárias;
  • Construir e disseminar a produção do conhecimento na gestão coletiva e mais sustentável dos recursos naturais do seu entorno;
  • Apoiar na organização e planejamento comunitário, além das iniciativas à produção sustentável, beneficiamento e de comercialização coletiva;
  • Promover uma formação e orientação jurídica sobre os direitos fundamentais, desenvolvimento local sustentável;
  • Capacitar os moradores a promoverem nas comunidades, espaços de diálogo capazes de direcionar soluções para problemas existentes.

O conteúdo englobará tanto questões conceituais como práticas, com o objetivo de guiar e fomentar a organização social local. O projeto será realizado por meio do ensino-aprendizagem com o objetivo de construir a autonomia das comunidades, com abordagem participativa e de conhecimentos das comunidades, orientadas por monitores técnicos.

Esse curso é centrado na busca da melhoria da qualidade de vida, através da gestão coletiva, desenvolvendo ações de organização e planejamento comunitários, promover o diálogo sobre questões internas nas comunidades, poder público e com os empreendimentos, além de apoio à produção sustentável e comercialização coletiva.

OBS.: o projeto será executado em 2022, devido à pandemia. 

 

Portas Abertas

O projeto Portas Abertas se justifica por ser um desejo manifestado pela população das comunidades do entorno, assim como dos funcionários interno, percebido durante a realização do DSP, que explicavam ser essa uma oportunidade de conhecimento, união e reflexão sobre a atuação das mineradoras na região, construindo uma visão sistêmica de meio ambiente e promovendo uma maior circulação da informação ambiental nas comunidades.

O projeto tem como objetivo geral apresentar a atividade minerária, bem como as ações ambientais que envolvem as mineradoras atuantes na Serra Azul -ArcelorMittal, Mineração Usiminas e Minerita - para as comunidades do entorno, interessados a conhecer e aprofundar seus conhecimentos sobre a atividade.

A fim de promover visitas guiadas às empresas Mineração Usiminas, Minerita -Minérios Itaúna e ArcelorMittal Mineração Serra Azul, os empreendimentos pretendem ampliar o conhecimento sobre a extração mineral, os processos produtivos das empresas, seus impactos e medidas de controles, como também sobre o desenvolvimento sustentável.

A realização do evento “Portas Abertas” são, basicamente, visitas técnicas guiadas nas empresas Mineração Usiminas, Minerita e ArcelorMittal Mineração Serra Azul (AMISA), direcionadas aos moradores 44 comunidades integrantes deste PEA e demais interessados, como estudantes de diversos níveis e variados municípios, familiares de funcionários e possibilidade de intercâmbio entre funcionários das empresas da AMISA.

As visitas serão guiadas por um educador ambiental e funcionários dos setores em que a atividade acontecer. Além da visita técnica, os visitantes receberão material educativo, como folhetos, cartilhas e passarão pelo treinamento o de saúde e segurança e ambientação de cada empresa.

As visitas serão agendadas de acordo com a demanda pelos grupos interessados, através do (31)99340-4083 da AMISA ou nos encontros comunitários. As visitas serão organizadas por cada uma das empresas, que será responsável pela estrutura e conteúdo de suas visitas guiadas, lanche e, caso combinado entre as partes, transporte dos participantes.

Serão realizadas visitas de acordo com as temáticas, relacionadas nos roteiros, que enfatizam os temas levantados durante a realização do DSP nas comunidades do entorno, que abordarão o processo de produção, impactos ambientais e medidas de controle, entre outros.

OBS.: o projeto será executado em 2022, devido à pandemia. 

Não é lixo

O programa “Não é lixo!” atende uma demanda apresentada nas três mineradoras acerca das temáticas reciclagem, aproveitamento e conscientização acerca da produção de resíduos na atividade e minerária e na vida cotidiana.

Com o intuito de minimizar a quantidade de resíduos descartados, o curso propõe uma ação educativa, visando investir numa mudança de mentalidade como um elo para trabalhar a transformação da consciência ambiental, bem como incentivar o reaproveitamento daquilo que pode ser reutilizado.

ju.jpg

Não é Lixo: Relação Lixo, Pessoas e Meio Ambiente

Objetiva uma ação de educação ambiental que promova a não geração, a redução, a reutilização e a reciclagem de resíduos sólidos, abordando os principais problemas enfrentados pelos funcionários dentro dos empreendimentos que trabalham, assim como em suas residências e conscientizar e estimular o desenvolvimento e as boas práticas de responsabilidade socioambiental.

-l.jpg

Colaboradores Minerita Minérios Itaúna

O projeto será realizado por meio do ensino-aprendizagem com o objetivo de construir a autonomia dos trabalhadores das minas, com abordagem participativa e de conhecimentos e vivência dos próprios participantes, orientadas por monitores técnicos. As atividades serão dinâmicas e interativas, de caráter contínuo, buscando contribuir com a sensibilização e a formação continuada dos participantes.

Menos é Mais

Durante o DSP do Público Interno, muitos colaboradores citaram o uso de copos descartáveis e papéis nos empreendimentos e o uso de sacolas descartáveis no dia a dia. A questão foi amplamente debatida e em todos os empreendimentos havia o entendimento de que poderia ser diminuído o uso desses materiais. Visando a conscientização em relação à redução no uso de copos descartáveis, papéis e sacolas plásticas, a ideia é sensibilizar para uma mudança de hábito nas dependências das mineradoras.

lixo.jpg   Campanha Menos é Mais de Papel. Fonte: Arquivo Trilho Ambiental

O curso tem o objetivo de diminuir o consumo de copos e embalagens descartáveis e papéis no dia-a-dia dos funcionários, criando mudanças de atitudes e incentivando a redução do consumo de materiais dessa natureza, contribuindo para a diminuição da produção de resíduos.

O projeto Menos é Mais realiza blitz educativas, campanhas de conscientização e distribuição de copos, garrafas sacolas e embalagens duráveis aos funcionários, incentivo à diminuição de impressões, assim como a utilização de rascunhos nas impressões. As blitz e campanhas de conscientização terão como abordagem desde a base da produção até a destinação final dos resíduos de materiais de expediente.

trilho.jpgCampanha Menos é Mais de Copo Descartável. Fonte: Arquivo Trilho Ambiental.

O programa prevê ações e iniciativas que levem a sensibilização dos gestores e funcionários próprios e terceiros com o objetivo de reduzir, reutilizar e reciclar os materiais usados durante a jornada de trabalho. As atividades são realizadas de forma interativas e em todos os setores dos empreendimentos e serão realizadas em cada empreendimento, de acordo com suas especificidades de condução das atividades.

 

Socialtec

Durante o DSP do Público Interno, os colaboradores dos três empreendimentos citaram o interesse em temas como reaproveitamento e economia de água e energia, além da capacitação para se desenvolver empreendedorismo para geração de renda suplementar a partir do meio ambiente.

Nesse sentido, propõe-se um curso de construção de tecnologias sociais, consideradas importantes ferramentas desenvolvidas a partir do conhecimento popular e de problemas locais, construídas de forma coletiva, baseadas na criatividade e na disponibilidade de recursos. Dessa forma, as mesmas são de baixo custo, de fácil reaplicação e podem ser adaptadas a novas realidades de acordo com as necessidades ou recursos disponíveis.

Pautadas nos princípios da economia solidária, as Tecnologias Sociais são ferramentas e/ou iniciativas com alto potencial para resolução de problemas locais, a partir do que aquela realidade oferece. Dessa forma, este programa se justifica por abordar temáticas ambientais de importância no cotidiano, que despertem o interesse do público interno, com a abordagem de ensino-aprendizagem de tecnologias socioambientais.

             kaa.jpgArquivo Trilho Ambiental. Instrutora: Caroline Martins    

Meu Pet amigo

A partir de uma reclamação colocada pelos funcionários da Mineração Usiminas, percebeu-se que a questão dos cachorros abandonados ou que fogem para áreas próximas às mineradoras é um problema ambiental a ser resolvido.

Alguns funcionários relataram tanto abandono por parte de moradores próximos, quanto de caminhoneiros, que encontram os cachorros nas estradas e soltam nas áreas da mineração. Esta atividade pretende despertar nos funcionários o interesse em contribuir para a resolução dessa questão, além disso, o trânsito desses animais é extremamente perigoso para o funcionamento das áreas industriais.

O foco principal é realizar parcerias com entidades de proteção de animais na região, podendo ser ONGs, prefeituras locais e demais instituições, e apoiar financeiramente ou em produtos, espaços de acolhimento desses animais. Ainda serão realizadas campanhas de conscientização sobre a temática. Estas ações serão realizadas em conjunto com o Programa de Comunicação Social da Amisa.

Comitê de Sustentabilidade

A partir do levantamento de interesses dos funcionários das mineradoras integrantes deste PEA, foi prevista a criação do Comitê de Sustentabilidade, voltado à formação de um grupo de trabalho voltado à temáticas ambientais específicas, assim como das atividades de desenvolvimento do PEA.

Cada mineradora formará seu próprio grupo do comitê de sustentabilidade. Os grupos serão formados a partir do interesse na participação do acompanhamento das atividades e dos temas ambientais pertinentes aos empreendimentos, de acordo com as especificidades de cada empresa.

 

Plantando e Colhendo na Serra Azul

Capacitar os participantes em produzir tecnologias sociais, promovendo a apropriação e disseminação de tecnologias sustentáveis pelos funcionários próprios e terceiros, a partir de autoconstrução sistemas ambientais para melhoria da qualidade de vida.

Cursos de curta duração.

*Aquecedor Solar de Baixo Custo

*Captação de Água de chuva]

*Reutilização de óleos domésticos;

*Fossaecológica.

lk.pngPlantando e Colhendo na Serra Azul: Planejando uma Horta

kj.jpgArquivo Trilho Ambiental. Instrutora: Caroline Martins
                

site_saiba_mais.jpg