Notícias

Auma Agroindústria recebe visita da FIEMG

Investimentos industriais, política e projetos foram os assuntos abordados

Cenário econômico, política para agroindústrias, investimentos e projetos futuros foram temas abordados na visita realizada pelo presidente da FIEMG Regional Alto Paranaíba, Lisandro Bicalho, ao empreendedor Cláudio Nasser de Carvalho da Auma Agronegócios.

Durante a visita, o presidente Lisandro destacou as ações do Sistema FIEMG pelo fortalecimento e competitividade da indústria mineira. Cláudio observou que o desenvolvimento do Brasil passa pela união de todos. “Uma união em que os grandes produtores, empresários e industriais contribuem para o fomento de pequenos negócios”, comentou. Para ele, o Brasil vai começar a ganhar espaço e reconhecimento mundial, quando houver esta integração, em detrimento de vantagens individuais.

O grande desafio é estabelecer políticas públicas. Uma das ideias é instituir uma escola de política desenvolvimentista, com todas as atividades conectadas ao consumidor final. “Ação neste sentido é promovida pela Fundação Brasil Meu Amor, que atua na construção de um Brasil mais unido”, complementou. 

A Indústria

O agroindustrial Cláudio Nasser apresentou os investimentos mais recentes realizados na Auma Agronegócios, com a atuação em 14 segmentos da economia. O carro chefe dos negócios está ligado ao agro. Em uma ação consorciada, os dejetos dos suínos são utilizados na produção de energia gerada por meio de biodigestores e, também, na produção de gás veicular, cuja frota de carros e tratores da fazenda está em adequação para uso. A ideia é nos próximos dois anos ter a fazenda autossustentável em energia e combustível.

No café, o projeto é agregar valor com a torrefação, conquistando um novo mercado consumidor. A produção de milho é essencialmente utilizada na fabricação de ração para a alimentação dos suínos. A Auma atua no setor de energia, biotecnologia, produção de sementes de soja, na indústria alimentícia, na indústria 4.0 em inovação e tecnologia de informação. 

Em Patos de Minas, a indústria gera 520 empregos diretos e o industrial expande os negócios também para outros municípios: Brasilândia/MG com a produção de algodão e Petrolina/PE com uva. 

Cláudio apresentou ainda as ações em gestão de resíduos da indústria, reaproveitamento de água, geração de energia limpa e outras práticas de sustentabilidade ambiental.

Galeria