Notícias

Lideranças empresariais discutem reabertura do comércio com o prefeito

A reunião foi no gabinete do prefeito de Patos de Minas

Lideranças empresariais reuniram-se com o prefeito José Eustáquio Rodrigues Alves. Na pauta, o retorno das atividades comerciais suspensas pelo decreto municipal, editado em virtude das medidas emergenciais de combate ao coronavírus.

As lideranças manifestaram o apoio às medidas adotadas pelos poderes públicos estadual, federal e municipal, no entanto, realçaram a preocupação com a situação econômica dos negócios, com o retorno gradativo das atividades comerciais, a partir do dia 1º de abril.

Na oportunidade, foi entregue ao prefeito, um documento elaborado pelos representantes das entidades empresariais e industriais, defendendo a reabertura do comércio, com a adoção de práticas de atendimento, sem colocar em risco a saúde da população, em especial dos grupos de maior risco. O documento é assinado pelas entidades: Sindcomércio; Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Vestuário (Sindivest); Sindicato dos Hotéis, Restaurantes e Bares (Sindhorb); Sindicato dos Profissionais da Contabilidade (Sindcont); Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL); Associação Comercial e Industrial de Patos de Minas (Acipatos) e Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

O presidente do SindComércio, Eduardo Soares, ressaltou que as entidades defendem que as pessoas que se enquadram nos grupos de maior risco devem permanecer em isolamento social.

Segundo ele, as entidades não levaram uma proposta fechada em relação ao funcionamento do comércio. Solicitaram a participação dessas lideranças no Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, com o objetivo de contribuir para as próximas ações que serão implementadas.

O prefeito enfatizou que acompanha todas edições de decretos em todas as esferas e as orientações das autoridades da área de saúde. Ele destacou ainda que tem verificado, diariamente, a evolução dos casos suspeitos e os resultados dos exames apontados no Sistema de Saúde oficial, mantendo o disposto no decreto de isolamento social, com validade até o dia 31 de março.