Notícias

Redução e Valorização de Resíduos na Indústria é tema de Curso

Evento foi ministrado on-line nos dias 21 e 22/10

A destinação correta de resíduos das indústrias é uma ação de preservação ambiental, que é cobrada cada vez mais e, ao contrário do que se pode imaginar, além de representar o cumprimento de normas ambientais, pode tornar-se uma fonte de receita para as indústrias.

Pensando nisso, a FIEMG, por meio da Regional Alto Paranaíba, ministrou de maneira remota, um curso sobre Ferramentas e Práticas para a Redução e Valorização de Resíduos na Indústria. O assunto foi ministrado em dois dias e contou com a participação de representantes de indústrias, consultores e técnicos de Meio Ambiente, de todo o Estado.

O analista de Meio Ambiente da FIEMG, Guilherme Zanforlim, fez a apresentação no primeiro dia. Ele enfatizou que a responsabilidade do resíduo é da indústria geradora e que, portanto, é preciso uma atenção especial às normas ambientais vigentes e aos procedimentos para a destinação final correta.

Ele citou os conceitos de Produção Mais Limpa, de Ecoeficiência Ambiental e de Economia Circular e os ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. De acordo com ele, o que é resíduo em uma indústria pode se transformar em um novo produto com valor agregado ou mesmo ser matéria-prima em outra.

Um dos pontos muito destacados foi a verificação nos processos industriais para se evitar o desperdício de matéria-prima. “Consequentemente, tem-se a perda de recursos. Ao se revisar o processo produtivo, consegue-se otimizar a produção e aproveitar melhor os insumos disponíveis”, acrescentou.

Em relação à valorização dos resíduos, ele pontuou também que há mercado para determinados resíduos. “Temos casos em que a própria indústria buscou solução para o resíduo gerado, com o beneficiamento dele, transformando-o em um novo produto, e, com isso, gerando uma nova alternativa de renda, pelo valor agregado”, acrescentando que é preciso fazer um levantamento de cada tipo de resíduo gerado, as quantidades mensuradas e, se ele pode ser reciclado.

O analista alertou, também, para a exigência do Sistema MTR – Manifesto de Transporte de Resíduos, em que a indústria deve acompanhar todo o processo de destinação final e conhecer todas as tecnologias para tratamento de resíduo: aterros, incineração, coprocessamento e outras, para se certificar de que estejam licenciadas.

Já o analista ambiental da FIEMG, João Vitor Souza Teixeira, ficou responsável pela apresentação de atividade prática para os participantes, no segundo dia. Ele demonstrou, em planilhas, como deve ser o levantamento dos resíduos gerados pela indústria em todos os seus processos e as possibilidades de mercado.

O analista ambiental da FIEMG – Regional Alto Paranaíba, Helberth Teixeira, colocou-se à disposição para orientar indústrias com relação à redução e valorização de resíduos, bem com relação aos programas de Economia Circular (que possibilita o aproveitamento de resíduos entre indústrias), MTR e outras questões. O contato dele é (34) 3823-3999 ou pelo e-mail: hhenrique@fiemg.com.br.