Notícias

Empresários da Construção Civil foram informados da desativação da Balança instalada na rodovia MGC-154

Demanda aconteceu na FIEMG em agosto de 2019, na primeira visita do governador Romeu Zema (NOVO) em Ituiutaba, juntamente com o Presidente da Federação, Flávio Roscoe.

O presidente da FIEMG Regional Pontal do Triângulo, Roberto Revelino, acompanhado da representante do Sinduscon-Tap, Cristina Garvil, esteve em reunião na CFL Construtora Ferreira Lima e Macro Materiais de Construção, onde entre os assuntos abordados na visita aos empresários Márcio Bernardes Ferreira e Rodrigo Gonçalves Freitas foi a desativação da balança instalada na rodovia MGC-154, na saída de Ituiutaba para Capinópolis, de responsabilidade do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais - DER-MG, que confirmou o encerramento da fiscalização do peso de cargas em caminhões no local.

Cristina Garvil concedeu entrevista ao Pontal em Foco na manhã da última quinta-feira, 16, sendo que o tema também foi tratado na ocasião. A entrevistada informou que a tratativa sobre a questão teve início na primeira visita do governador Romeu Zema (NOVO) em Ituiutaba, juntamente com o presidente da Federação, Flávio Roscoe, ocorrida no dia 8 de agosto de 2019, quando em reunião com empresários, líderes regionais e representantes de classe na FIEMG Regional Pontal, o empreendedor tijucano do ramo de construção, Rodrigo Gonçalves levou ao chefe do Executivo de Minas Gerais o problema enfrentado por conta da balança. “O empresário reclamou sobre a balança ser injusta por fazer a pesagem por eixos, com pagamento excedente quando é encontrada diferença no peso da carga entre eles. Foi quando eu fui nomeada por Zema para tratar a questão e levar ao governo as informações sobre a demanda”, explicou.

A situação foi observada de perto e levada ao Governo de Minas Gerais que, recentemente, realizou a desativação de tal fiscalização na referida rodovia.

Cabe ressaltar que a fiscalização de peso dos veículos de carga é uma ação importante, pois preserva o patrimônio público e também a segurança viária, de modo que os sistemas de frenagem e de suspensão tem sua eficiência reduzida quando os veículos estão com excesso de peso.

Galeria