Notícias

SindVinhoMG realiza encontro técnico sobre APL dos Vinhos e Marca Coletiva

Dando continuidade aos trabalhos realizados no mês julho com o Arranjo Produtivo Local dos Vinhos, o SindvinhoMG (Sindicato da Indústria do Vinho de Minas Gerais), realizou, no início de setembro, o seu primeiro encontro técnico, uma parceria entre o programa FIEMG Competitiva e o sindicato.

Realizado em Andradas, Sul de Minas, o encontro reuniu produtores e técnicos do Sistema FIEMG onde, em uma reunião presencial e também via web, puderam discutir os rumos da produção e fortalecimento da produção de vinhos na região.

 

“A importância desse projeto é realmente fortalecer o vinho e toda a cadeia produtiva do vinho no município, região e também internacionalmente. Andradas é a origem do vinho na nossa região, é muito forte, é a cidade conhecida como a terra do vinho. Ter um selo que marque isso é muito importante para o município, e nós, da Emater, estamos à disposição para apoiar projetos como esse, que vem para agregar valores e fortalecer os produtos e seus produtores”, pontuo Maria Neuza de Carvalho, Extensionista da EMATER.

 

Durante o encontro, foi apresentado o Projeto Marca Coletiva, que tem como objetivo estruturar uma identidade visual que transmita os principais valores identificados na região e sirva como base de estratégia de comunicação e referência simbólica em nível estadual, nacional e até internacional.

 

Segundo Carlos Magno, Analista de Projetos do Instituto Euvaldo Loti-IEL, “Esse evento é muito importante e traz, para Andradas e seus produtores de vinhos, o que a FIEMG já tem com experiência em marcas coletivas e, com isso, podermos trabalhar junto com o SindVinhoMG o desenvolvimento de uma marca coletiva para os vinhos de Andradas, fazendo que sejam reconhecidos nacional e internacionalmente”.

 

Marca coletiva é aquela destinada a identificar e distinguir produtos ou serviços provenientes de membros de uma pessoa jurídica representativa de coletividade (associação, cooperativa, sindicato, consórcio, federação, confederação, entre outros), de produtos ou serviços iguais, semelhantes ou afins, de procedência diversa (art. 123, inciso III, da LPI). A marca coletiva possui finalidade distinta da marca de produto ou serviço. O objetivo da marca coletiva é indicar ao consumidor que aquele produto ou serviço provém de membros de uma determinada entidade.

 

Para Beto Mosconi, administrador de uma vinícola na cidade, “é muito importante para nós, alavancarmos o nome da nossa região, para que consigamos um diferencial frente ao mercado. Temos aqui em Andradas uma boa qualidade de uvas e de vinhos e é muito importante termos esse trabalho coletivo que envolva as vinícolas de nossa cidade, os hotéis e demais comércios que possam agregar nesse projeto”.

 

O objetivo do Projeto Marca Coletiva é desenvolver estratégias, diretrizes e proteção para a marca coletiva que será criada em Andradas, para que ampliem as possibilidades de atuação e crescimento das vinícolas apoiando-se em ações que beneficiem o coletivo nos eixos de produtos/serviços, comunicação, comportamento/relacionamento e ambientes.

 

“Uma marca coletiva identifica e distingue produtos vindos de uma pessoa jurídica que representa uma coletividade, daí, o projeto ‘Marca Coletiva dos Vinhos de Andradas’, que é o produto em si, através da coletividade do sindicato dos produtores de vinho. Um grande diferencial é que a marca coletiva indica ao consumidor que aquele produto provém de membros de uma determinada região, segmento, entidade, agregando extremo valor ao produto. Exemplos de algumas marcas coletivas de sucesso desenvolvidas pelo programa FIEMG Competitiva são a de ‘Divinópolis, Polo da Moda’ e de ‘Cervejas de Minas’ entre outras, marcas que já são conhecidas no mercado. Entre marcas coletivas que trabalham no segmento do vinho destacamos a ‘Vinhos do Brasil’, cujo titular é o IBRAVIN, marca reconhecida com registro nacional e internacional. Agregar valores de marca coletiva ao seu produto é um diferencial de excelência para posicionamento de mercado”, disse a Presidente do SindVinhoMG e Diretora da FIEMG Regional Sul, Heloisa Bertoli.

 

“A Marca Coletiva é um projeto que traduz a força de um produto forte conectado a um local. E o vinho de Andradas é nome e sobrenome ligados pela história. O FIEMG Competitiva só quer ajudar a transformar isso em mais negócios pra cadeia de vitivinicultura da região”, explicou Thadeu Neves, Gerente de Projetos do Instituo Euvaldo Lodi