Notícias

Confiança da indústria mantém trajetória ascendente em julho

Apesar do avanço significativo, ICEI ainda apontou falta de confiança dos industriais

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) aumentou 5,8 pontos frente a junho (43,0 pontos), registrando 48,8 pontos em julho. Essa foi a terceira elevação consecutiva do indicador, consolidando a trajetória de retomada gradual do ICEI, após queda recorde de 26,8 pontos em abril. O resultado sinaliza que a flexibilização parcial das medidas de distanciamento social vem contribuindo para uma melhora da percepção dos empresários, tanto sobre as condições atuais quanto sobre as condições futuras de seus negócios. Todavia, embora mais próximo da linha divisória dos 50 pontos, o índice foi inferior a esse patamar, mostrando falta de confiança. Comparativamente a julho de 2019 (55,9 pontos), o indicador caiu 7,1 pontos, permanecendo abaixo da sua média histórica (51,6 pontos).

O ICEI nacional cresceu pelo terceiro mês seguido, em 6,4 pontos, na passagem de junho (41,2 pontos) para julho (47,6 pontos), e continuou apontando falta de confiança. O ICEI resulta da ponderação dos índices de condições atuais e de expectativas, que variam de 0 a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos indicam percepção de situação atual melhor e expectativa positiva para os próximos seis meses, respectivamente. O componente de condições atuais avançou 5,3 pontos em julho (35,8 pontos), ante junho (30,5 pontos). Embora permaneça abaixo da fronteira dos 50 pontos, o resultado sinalizou uma melhora na percepção dos industriais quanto à situação atual das economias brasileira e mineira, e de suas empresas. O índice caiu 10,7 pontos na comparação com julho de 2019 (46,5 pontos).

O componente de expectativas aumentou pela terceira vez consecutiva e ultrapassou a linha divisória dos 50 pontos, mostrando empresários otimistas com relação aos seus negócios nos próximos seis meses. O indicador atingiu 55,3 pontos em julho, elevação de 6,1 pontos frente a junho (49,2 pontos). Em contrapartida, o índice recuou 5,3 pontos ante o apurado em julho de 2019 (60,6 pontos).

Clique aqui e acesse a pesquisa completa realizada pela FIEMG.