Notícias

SENAI oferece cursos de qualificação profissional para o Projeto “Soldado Cidadão” do Exército

A iniciativa acontece em Uberlândia, triângulo mineiro, bem como em todo o país

O Projeto “Soldado Cidadão” foi lançado oficialmente pelo Governo Federal em 2004 e implementado no mesmo ano no até então 36º BI Mtz, hoje 36º BI Mec (Batalhão de Infantaria Mecanizado), beneficiando as três Forças Armadas e abrangendo todo o território nacional, 26 estados e o Distrito Federal. O objetivo do projeto é oferecer qualificação para os militares carentes ou sob situação de risco para que os mesmos tenham mais oportunidades de serem inseridos no mercado de trabalho depois de saírem do serviço militar. Após passarem pelo projeto citado, muitos assumem funções dentro das próprias organizações militares, aprimorando, com isso, a mão de obra interna.

O comandante do 36° BI Mec, Tenente Coronel Regis Ribeiro Andrade, destacou a perenidade do Projeto em questão: “Desde a sua origem, há 17 anos, o Projeto já beneficiou mais de 255 mil jovens pelo Brasil, caracterizando o compromisso das Forças Armadas com a integração cívico-social dos cidadãos egressos do Serviço Militar e constituindo-se em valiosa colaboração do Ministério da Defesa para o desenvolvimento econômico e social do País. No 36º BI Mec, anualmente, são oferecidas em média 30 vagas.”

Ainda segundo o Tenente Coronel, os cursos oferecidos são diversos, em áreas como telecomunicações, eletricidade, automobilística, comércio e varejo, alimentício, construção civil, conservação e zeladoria, informática e ensino profissional marítimo, selecionados de acordo com a demanda dos mercados de trabalho regionais e do próprio Batalhão, além da preferência dos jovens participantes. Os cursos são presenciais e semipresenciais, ministrados por instituições de reconhecida competência nacional e regional. Além da capacitação profissional, são ministrados módulos de cidadania, empreendedorismo e sustentabilidade. A duração é de cerca de 3 meses e uma carga horária média de 160 horas. No ano de 2020 foram investidos no Projeto 4,7 milhões de reais, beneficiando 4.568 jovens. A intenção de curto e médio prazo é manter os cursos que já são oferecidos e de acordo com a demanda apresentada, aumentar a disponibilidade de vagas e especializações.

Para que a iniciativa fosse viabilizada, o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) ao lado de outras instituições de treinamento, tornaram-se parceiros do projeto, oferecendo os cursos de seus portfolios para qualificar os militares. O SENAI que compõe a FIEMG (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais) é nacionalmente conhecido por gerar mão de obra qualificada para a indústria, contudo, em fevereiro de 2020 foi criada a área governamental que atende a esfera pública a fim de fortalecer a indústria através do relacionamento comercial com o setor governamental.

De acordo com César Cunha, agente de mercado da FIEMG, a intenção é expandir a atuação do SENAI no Projeto por todo o estado de Minas Gerais. “Depois da criação da área governamental da FIEMG, o primeiro Projeto Soldado Cidadão em parceria com o SENA em Minas foi aqui em Uberlândia; já estamos seguindo para as cidades vizinhas como Araguari, Uberaba e Ituiutaba, e o objetivo é expandir para todo o estado.”

Dinâmica das aulas ministradas

As aulas estão seguindo todos os protocolos de segurança exigidos pelo cenário atual da pandemia, e tem apresentado bons resultados no processo de ensino e aprendizagem. A professa Julie de Mello, instrutora da área de Construção Civil do SENAI, sinalizou que o desenvolvimento dos alunos tem sido muito positivo.

“A turma tem 15 alunos, as aulas estão acontecendo no período da tarde e são divididas entre exposições dialogadas e exercícios de leitura de projetos. Os alunos têm interagido, compartilhado as suas ideais, experiências e desenvolvendo bem as atividades. Esta turma tem um perfil interessante pois alguns alunos já tiveram contato com a execução de instalações elétricas e outros ainda não. Devido a todas as mudanças atuais, é o começo de um novo jeito de ensinar e aprender que estamos aprendendo juntos.” disse a engenheira civil e professora do curso de Qualificação em Eletricista Instalador Predial.

O aluno do curso citado, Rafael de Carvalho, contou que a experiência tem sido produtiva. “É uma área muito boa para quem quer atuar no mercado de trabalho, em todo lugar precisa de um bom eletricista, e o curso está nos trazendo esta formação. Além disso, o conteúdo é bom até mesmo para quem precisar fazer alguma manutenção em casa ou na residência de algum familiar.”

No ano de 2021, serão oferecidas 30 vagas para alvenaria e elétrico predial no 36º BI Mec em Uberlândia. Além disso, há a expectativa de oferta para outros cursos.

         

Galeria