Notícias

Sindimeias-JF e Sindivest-JF apoiam Frente Parlamentar para o Desenvolvimento da Indústria Têxtil

Evento realizado em JF cobrou atuação dos deputados em defesa da economia brasileira
Fotos: Divulgação/FIEMG

Uma reunião realizada na sede da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção – ABIT, no dia 29 de abril, deu início em Juiz de Fora a um movimento para discussão sobre o aumento significativo na importação de produtos dos segmentos de Vestuário e de Meias, prejudicando a produção nacional. Com base no momento difícil que a indústria Têxtil vem passando, o Sindicato das Indústrias de Meias de Juiz de Fora (Sindimeias-JF), o Sindicato das Indústrias do Vestuário de Juiz de Fora (Sindivest-JF), com o apoio do Centro Industrial de Juiz de Fora e da FIEMG, promoveram, no dia 03 de maio, o Almoço Empresarial - “Modernização regulatória do Mercosul para promoção da integração produtiva e legítimo comércio entre os países membros”.

O encontro, que aconteceu na sede da FIEMG Regional Zona da Mata, contou com as presenças do deputado federal Tiago Mitraud e do deputado estadual Guilherme da Cunha, além da participação de representantes de várias empresas do setor, preocupadas com a perda de empregos e o enfraquecimento da indústria brasileira, causados principalmente pela importação de produtos paraguaios, que possuem diferencial competitivo no mercado.

A reunião foi articulada pelo presidente do Sindimeias-JF e do CIJF, e também vice-presidente do Sistema FIEMG, Tadeu Monteiro, e pelo presidente do Sindivest-JF, Guilherme Marcon, e pretendeu formalizar e reforçar a solicitação da ABIT para que o deputado federal Tiago Mitraud e demais parlamentares de sua bancada façam parte da Frente Parlamentar Mista José Alencar para o Desenvolvimento da Indústria Têxtil e de Confecção do Brasil nesta nova legislatura que se inicia no dia 08 de maio de 2019. A Frente Parlamentar atua no Congresso Nacional desde 2008, com o objetivo primordial de apoiar o desenvolvimento sustentável da Indústria Têxtil e de Confecção do país.

Os empresários do setor de Meias e Vestuário de Juiz de Fora também contaram com o apoio de representantes de outros segmentos industriais, presentes no encontro aberto pelo presidente da FIEMG Regional ZM e do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Juiz de Fora (Sinduscon-JF), Aurélio Marangon Sobrinho. “Parabenizo o grupo pela iniciativa. Não conseguiremos desenvolver nosso país enquanto não tivermos uma regulamentação eficiente para quem empreende”, disse.

Mariângela Marcon, associada do Sindivest-JF e membro do Conselho Fiscal da FIEMG, falou em nome do presidente do Sindicato, Guilherme Marcon, que não pôde estar presente, apresentando as demandas do setor. “Pedimos aos parlamentares que lutem por nós neste momento em que o cenário das indústrias permanece indefinido devido às incertezas. Precisamos traçar um posicionamento estratégico para não perdermos mercado para o exterior e esta Frente Parlamentar representa uma esperança para a indústria, um esforço conjunto de empresários, parlamentares, trabalhadores e governo para mudar este cenário”, declarou.

Tadeu Monteiro falou sobre as dores que as indústrias do segmento vêm passando, principalmente devido às importações de produtos do Paraguai e da China. “Espero que a renovação na Câmara Federal nos traga um alento. Peço o apoio dos deputados para uma fiscalização mais efetiva na entrada dos produtos vindos do exterior, pois com estas importações estamos deixando de gerar emprego e renda para o Brasil”, disse.

O deputado estadual Guilherme da Cunha afirmou que é preciso que Minas Gerais volte a crescer e para isso é necessário desburocratizar o estado. “É muito difícil empreender no Brasil; para quem é pequeno a burocracia significa muito. Precisamos simplificar a vida de quem quer crescer, pois o empresário é o motor da economia e muitos se veem condenados à informalidade”, declarou.

Já o deputado Tiago Mitraud disse que é uma satisfação poder conversar com o empresariado, estabelecer um relacionamento com a indústria e ver de que forma pode-se melhorar a situação do empreendedor. “Queremos ouvir as demandas de vocês, vamos analisá-las e fazer com que as pautas importantes evoluam”, afirmou.

Por Graciele Vianna

Galeria