Notícia

SENAI MG forma turma de Aprendizagem Industrial em Processamento de Carne

Curso é uma parceria com o SINDUSCARNE

O SENAI Lagoinha formou, no dia 06/12, a 10º turma de Aprendizagem Industrial em Processamento de Carnes, onde 21 alunos receberam o diploma de conclusão de curso.

Realizado em parceria com o SINDUSCARNE, a modalidade é feita pelo sistema DUAL, onde os estudantes têm a parte teórica na unidade do SENAI e a prática na empresa.

Para o presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Carnes e Derivados de MG, Leônidas Vicente da Silva Maciel, a formação profissional na área é importante não só pela qualificação dos profissionais, mas também para o entendimento melhor do setor. “Preparamos os alunos para entrar na indústria e entender o porquê das coisas, como o cumprimento da legislação, questões sanitárias e até mesmo postura no ambiente de trabalho, já que trabalhamos em um segmento de muita responsabilidade, que é o de alimentos”, pontua.

O Brasil é um grande exportador de carnes e o setor ainda é carente de mão de obra qualificada. “É necessário qualificar pessoas para as empresas e o SENAI é a melhor escola. A base teórica é o diferencial, porque dá a noção de responsabilidade que nós, empresários, queremos em um empregado”, avalia o líder industrial, que foi paraninfo da turma.

Para Gerson Gonçalves, gerente da unidade, a parceria com o sindicato aproxima a escola – e os alunos - das empresas. “Por fazer um curso onde há a parte teórica e prática, os estudantes saem mais preparados, com mais oportunidades no mercado e constroem carreiras promissoras”, fala.

É o caso de Thiago de Castro Araújo, de 27 anos, que formou na primeira turma, há dez anos atrás. Thiago começou como jovem aprendiz e hoje é coordenador de produtos na Plena Alimentos. “A teoria que aprendemos no curso agrega muito ao nosso trabalho. Além disso, é apaixonante. Quem entra para essa área não abandona mais”, fala.

Maria Clara Borges da Costa, de 20 anos, que formou o ano passado, compartilha da mesma opinião.  Ela entrou na Aprendizagem por indicação de uma amiga, sem saber muito do que se tratava, mas acabou se apaixonando pelo assunto e já saiu do curso contratada. “Há um ano atrás eu queria ser Arquiteta, mas hoje não deixo minha carreira por nada”, conta a jovem, que é assistente de pesquisa na Plena Alimentos e atua no desenvolvimento de formulação, embalagens e layouts de produtos. “Ter estudado como Aprendiz me possibilitou conhecimento, pois passamos por todas as áreas e isso contribuiu muito para o meu desenvolvimento, pois me permitiu conhecer todo o processo da empresa. Amo meu trabalho!”, resume.

Expectativa de futuro promissor para Letícia Maria Antunes Sales, de 19 anos. Por causa do curso ela quer expandir seus conhecimentos e fazer futuramente uma graduação em Veterinária ou Engenharia de Alimentos. “O curso foi muito mais do que eu esperava. O conhecimento é amplo e vai muito além do que apenas falar de carnes. Gostaria que todos pudessem ter a oportunidade de aprender o que eu aprendi”, conclui.

Galeria

Últimas notícias

  1. 8 motivos para apoiar o SESI e o SENAI

    Leia

  2. FIEMG certifica futuros engenheiros

    Leia

  3. Balanço de ações e perspectivas na pauta dos Conselhos Regionais SESI, SENAI e IEL

    Leia

  4. Programa Futuros Engenheiros qualifica novas turmas

    Leia

  5. Mais 55 estudantes da região se qualificam no Programa Futuros Engenheiros

    Leia

  6. SESI e SENAI têm alto índice de aprovação

    Leia

  7. Empreendedorismo para a indústria

    Leia

  8. Empresa de Pompéu participa de consultoria de manufatura enxuta do FIEMG Competitiva

    Leia