Notícias

Autocuidado é coisa de homem, sim!

Novembro Azul chega para conscientizar a população masculina da importância de cuidar da própria saúde

Homens são fortes, não sentem dor, gostam de correr riscos, comem (muito) de tudo e não precisam ir ao médico, a não ser, que o caso seja gravíssimo. Protetor solar? Para quê?

Durante muito tempo, esse foi o consenso geral e, o resultado desta falta de autocuidado pelo público masculino pode ser percebido, hoje, pelos Dados do Relatório da Masculinidade e Saúde na Região das Américas, divulgado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS): a expectativa de vida masculina é cerca de 5,8 anos menor do que a feminina. Coincidência? Não. 

Culturalmente a população masculina dedica menos atenção aos cuidados relacionados à saúde preventiva, como ter bons hábitos alimentares e irem regularmente ao médico. Junto a estes fatores, existe o preconceito, que relaciona o cuidado a uma atividade feminina. Esses comportamentos contribuem, de maneira significativa, para que esse público não detecte, precocemente, doenças graves, como câncer de próstata.

Por isso foi criada a campanha Novembro Azul, com o objetivo demostrar, para essa parcela população, o quanto o autocuidado é importante para a preservação da vida. “O movimento vem para reforçar a importância de falar sobre saúde do homem de forma integral para, além do câncer de próstata”, alerta Tânia Pessoa, analista de Saúde do SESI MG.

Segunda ela, ainda hoje um grande número de homens não tem a prática da realização de check up. “E isso prejudica a detecção de doenças que poderiam ser tratadas em fases iniciais, aumentando a chance de cura”, afirma a analista, lembrando que o movimento surgiu na Austrália em 2003.

Tânia Pessoa ainda esclarece que, no Brasil, o câncer de próstata é segundo mais comum na população masculina, perdendo apenas para o câncer de pele. “ 75% dos casos são em pessoas com mais de 65 anos de idade e, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa é que, em 2020, os registros sejam de 65.840 novos casos”, argumenta.

Segundo ela, cuidar da saúde é uma atitude individual que vai além de ir ao médico quando se tem algum sintoma. “É ter um olhar atendo a seu próprio corpo e mente”, ressalta Tânia Pessoa. “Realizar as ações preventivas é ter uma alimentação saudável,

praticar atividades físicas, manter seu cartão de vacinas atualizado e ter bons relacionamentos. Outro ponto fundamental é que, em caso de necessidade, busque informações em fontes confiáveis e profissionais especializados”, finaliza a especialista em Saúde Pública.

Ação preventiva também é: cuidar da saúde dos trabalhadores– O SESI MG, por meio de sua Gerência de Segurança e Saúde para a Indústria, realiza ações preventivas da área para as indústrias do estado por meio de palestras, ações educativas e soluções customizadas, estimulando, desta maneira, a adoção de hábitos mais saudáveis.

Entre em contato com o SESI MG e saiba como a instituição cuida da saúde dos trabalhadores mineiros: 0800.888.0123.

Últimas notícias

  1. Seminário Moveleiro on-line é sucesso em Ubá

    Leia

  2. Alunos do SESI-MG brilham em concurso acadêmico

    Leia

  3. SESI MG debate os efeitos da pandemia no mundo do trabalho

    Leia

  4. SESI Talks debate temas da área da Ergonomia, Segurança e Promoção à Saúde

    Leia

  5. SESI Talks debate temas da área da Ergonomia, Segurança e Promoção à Saúde

    Leia

  6. 2021 já está à porta. E você? Já sabe onde seu filho vai estudar?

    Leia

  7. Livros: uma companhia para toda a vida

    Leia

  8. FIEMG recebe premiação pelo apoio no desenvolvimento de respiradores pulmonares

    Leia