Notícia

Grupo de trabalho buscará soluções para problemas entre BH e Nova Lima

Presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, participa de lançamento que prevê atuação conjunta

Um grupo de trabalho que objetiva criar soluções para os problemas relacionados à região comum entre os municípios de Belo Horizonte e Nova Lima foi instalado nesta quinta-feira (25/11). O grupo, que ficará responsável pela interlocução institucional, é composto pelo Governo do Estado de Minas Gerais, pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), pela Prefeitura de Belo Horizonte e pela Prefeitura de Nova Lima.

A criação do grupo de interlocução foi formalizada pela assinatura da Portaria Conjunta nº 1, de 24/11/2021, que prevê que os órgãos envolvidos possam trabalhar juntos em busca de soluções para questões jurídicas e administrativas, evitando, sempre que possível, a judicialização.


Durante a cerimônia, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), Flávio Roscoe, disse que a união faz toda a diferença e, para os empresários, a segurança jurídica vem acima de tudo, pois ninguém investe com insegurança. “É um bem do qual não podemos abrir mão”, comentou. Para Roscoe, toda a sociedade perde com litígios judiciais que duram anos, porque pode privá-la de investimentos fundamentais para o desenvolvimento. “Essa iniciativa é uma prova de maturidade do processo democrático”, disse.


Iniciativa

Em seu pronunciamento, o procurador-geral de Justiça, Jarbas Soares Júnior, destacou que o desenvolvimento de Belo Horizonte se expandiu para os municípios limítrofes, em razão da área insuficiente prevista inicialmente para a capital mineira. A consequência são os inúmeros problemas, entre eles, os de trânsito e os relacionados ao meio ambiente.


Segundo ele, o Ministério Público tem duas alternativas: continuar o que tem sido feito, que é um caminho com muitas ações judiciais e termos de compromissos, com soluções localizadas ou não apresentando soluções, e com conflitos judiciais desnecessários, muitas vezes, procurando responsáveis.

O outro caminho, de acordo com o procurador-geral de Justiça, é tentar saídas por meio do diálogo entre poder público e empresários, de forma madura e responsável, num modelo que pode ser, inclusive, replicado para outras regiões.


Jarbas Soares Júnior explicou que o objetivo desse diálogo é trazer entendimento entre as partes, segurança para os empresários, garantia para a população, tranquilidade para todos. “Caso contrário, não adianta construir hospital, se o trânsito não deixar a gente chegar até lá. A vida se tornará um tormento para todos”, afirmou.


Com Assessoria do Ministério Público de Minas Gerais

Últimas notícias

  1. Bolsonaro recebe propostas da indústria para a retomada do desenvolvimento e do emprego em 2022

    Leia

  2. Sindipan-JF faz tradicional Confraternização de Final de Ano

    Leia

  3. Atividade industrial registra queda de 1,3% em outubro sobre setembro

    Leia

  4. Setor sucroenergético de Minas Gerais receberá R$ 6 bilhões em investimentos

    Leia

  5. Empatia moverá líderes na 5ª Revolução Industrial

    Leia

  6. Empresas mineiras podem organizar a sua vida financeira

    Leia

  7. Impactos das recentes decisões judiciais na arrecadação de Minas Gerais

    Leia

  8. Lideranças da Agenda de Convergência comemoram reabertura do Aeroporto Regional do Vale do Aço

    Leia